Seja bem-vindo (a) a sua Neverland virtual!

Aqui você encontrará tudo sobre o anjo e homem Michael Jackson e também poderá conhecer pessoas com os mesmos gostos que você. Irá conviver e aprender muito mais sobre este artista e ser humano maravilhoso que é Michael Jackson!

Faça parte da nossa família você também! Michael Jackson não é só um cantor e sim uma filosofia de vida!

------- Equipe Neverland -------

Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

[FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes

Ir à página : 1, 2, 3 ... 11, 12, 13  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 13]

1 [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Nov 04 2011, 07:32

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Olá família Neverland!

Eu sempre escrevi estórias com Michael, sou fã dele desde pequena e nem sabia que essas estórias eram chamadas de FICS. Que bom que existe esse cantinho!

Eu me achava louca por isso, mas descobri que existe um bando de loucas como eu...Razz !

Vi aqui, algumas escritoras SENSACIONAIS, e já sou fã de carteirinha de algumas delas, tipo Lii Jackson e Miah (desculpem citar o nome de vocês). Por causas delas (segredo!kkk), criei coragem para postar a minha! Espero de coracão que vocês acompanhem e gostem!

Beijo a todas!



Essa estória é uma mistura de realidade e ficção, e é baseada em alguns livros como "Michael jackson- A magia e a loucura" e "Moonwalker" e também em todo material que juntei durante vinte e seis anos de dedicação.

Em 1989, Michael Jackson viaja pelo mundo no auge da fama em sua turnê BAD. Ao passar pelo Brasil, ele se encanta por uma jovem que trabalhava no hotel onde ele ficou hospedado. Ela trabalha como interprete e por acaso, acaba ajudando a equipe de Michael a resolver um problema, ao conhecê-la, ele a convida para fazer parte de sua equipe e a leva para Los Angeles. A partir daí, Lilian Villaça, vai viver ao lado do rei do pop um verdadeiro conto de fadas, experimentando tudo que esses contos proporcionam: Principes e bandidos, castelos e masmorras, romance e aventura, rainhas e bruxas. "Por tráz dos Holofotes" é uma narrativa em 1° pessoa, de um tumultuado romance entre Michael Jackson e sua assistente pessoal Lilian Villaça, que traz uma estória sem máscaras... da vida privada do rei do pop.

Vale a pena acompanhar!

2 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Nov 04 2011, 07:43

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
“INTRODUÇÃO”






Todo mundo tem sonhos e fazem de tudo a vida inteira para fazer esses sonhos se tornarem realidade. Algumas pessoas conseguem, outras morrem antes, e existem aquelas que sonham, mas sabem que em momento algum de sua vida vai ver aquele sonho se tornar real, apenas sonham e se contentam com o prazer que aquele sonho traz.
Eu sempre fui uma sonhadora, mas em momento algum da minha vida, imaginei que seria tão abençoada, e veria todos os meus sonhos se tornarem real. Até aqueles sonhos que eu nem ousava sonhar, vi acontecerem diante dos meus olhos.
Conheçer Michael, foi a melhor, e em muitas vezes, a pior coisa que aconteçeu em minha vida, mas com certeza eu tinha que ter passado por tudo o que passei. Eu precisava caminhar por todos os caminhos que caminhei para encontrar meu lugar no mundo.
Ao lado de Michael, eu vivenciei as maiores experiências que um ser humano pode viver, conheci o mundo inteiro e aprendi coisas que nunca pensei que aprenderia.
Ao lado de Michael, eu vivi em verdadeiro conto de fadas, onde eu fui um dia a gata boralheira e me tornei a princesa mais feliz do mundo. Fui mocinha e bandida, fui vitíma e cumplíce.
Em vinte anos, pude conhecer intimamente um dos homens mais importantes do mundo, eu vi um Michael Jackson que ninguem viu, com toda certeza eu tenho respostas para perguntas que o mundo inteiro faz a seu respeito. Michael sempre disse que todo mundo tem segredos obscuros, e eu fiz parte desses segredos. Ele me confidênciou coisas, ele abriu literalmente sua vida e se expos a mim sem limites. Eu soube até de coisas que por muitas vezes perguntava a Deus se suportaria tudo aquilo. Por várias vezes vi-me perguntando “porque eu?”
Uma vez Michael me disse que todo mundo tem uma missão, que ninguem vem ao mundo por acaso, e que a missão dele era mudar o mundo e salvar as crianças... e a minha missão era protege-lo, dar-lhe forças, ficar do seu lado... Coisas de Michael.
Eu amei o rei do pop, fui sua maior amiga (talvez não a melhor, mas com certeza a maior), fui sua caixinha de segredos, seu diário vivo.
Nesse livro, relatarei algumas das minhas experiências vividas ao lado desse homem extraordinário... Mas existia entre nós um pacto e existem coisas que só foram reveladas a mim e que Michael guardou consigo para sempre e eu não revelaria nem sobre tortura.
Aqui, abro meu coração, talvez numa tentativa de eternizar o que sinto por Michael... Leal a tudo que vivemos e sentimos um pelo outro, guardando no mais profundo do meu coração o que sinto para sempre!

Existem coisas que acontecem em nossas vidas que não tem explicação...
As vezes estamos em lugares e vivemos com pessoas que a nossa imaginação jamais alcançaria!
Quem imaginaria encontrar a felicidade em um mundo tão túmultuado?
Quem imaginaria ser feliz com coisas tão pequenas,
estando rodeado de tamanha grandeza?
Encontrar um homem...
Viver um sonho...
Descobrir os encantos e as amarguras de se viver...
Por trás dos Holofotes!
Lilian Villaça.
“UM POUCO SOBRE MIM”

Eu nasci em 1969, na muito conhecida cidade de Salvador, na Bahia. Meu pai, o senhor Ângelo Villaça, é professor de línguas e filosofia e minha mãe a Srª. Luísa Villaça é reitora em uma faculdade importante da cidade. Meus pais, sempre me cercaram de muita informação e cultura, minha irmã caçula Marina e eu, crescemos cercadas por livros, meus pais tinham uma política de que a educação e o conhecimento nos leva a lugares imprevisíveis, e eu segui a risca.
Minha família sempre foi muito unida, meus pais se amavam linda e respeitosamente e passou esse amor para nós, meu pai sonhava em ter a minha irmã e eu sempre por perto, ele queria a casa cheia de netos e a autonomia de poder monitorar e proteger suas filhas sempre, o que nem ele nem ninguém esperava é que justamente eu, que se parecia tanto com ele iria seguir caminhos tão diferentes.
Talvez por influência dos meus pais, minha vida era estudar, eu não tinha os interesses que as jovens de minha idade tinha, eu era apaixonada por línguas estrangeiras e sonhava em seguir a carreira do meu pai no mundo das letras, mas eu queria de alguma forma usar isso na área de turismo, porque não queria de forma nenhuma ficar com meus pés firmados em um só lugar, eu tomaria o elixir de Hermes e criaria asas nos pés. Aos dez anos eu começei a fazer cursos de inglês, espanhol e italiano e aos desessete, já havia ingressado na facudalde de letras, ao final do primeiro ano, consegui um estágio em um hotel, luxuoso da minha cidade, minha mãe era amiga do gerente, que me deu oportunidade de trabalhar com a equipe de tradutores.
Por causa dessa minha dedicação, eu não tinha muitos amigos e os poucos me achavam muito estranha para perderem tempo comigo, nunca tive namorado sério, apenas fiquei, em raras vezes que me permitia uma balada, o que eu gostava mesmo era de boa música, cinema, teatro, dança clássica, toda forma de arte. Quando tinha quatorze anos começei a me interessar por um grupo americano chamado Jackson Five, onde tinha um “tal” de Michael Jackson, que conseguia prender a minha atenção com aquela voz doce e um rebolado... meu Deus! No Brasil e no mundo ele havia explidido com Thriller e não tinha como ficar indiferente àquele moreninho lindo.
Mas a vida continuava, e eu tinha que correr atrás dos meus objetivos, então deixaria o Jackson Five para as mais interessadas, meu tempo era muito curto para pensar neles. Com o passar dos anos, minha paixão pelo meu trabalho só aumentava, eu adorava estar com gente de outros países, sair com eles, mostrar a minha cidade e a cada dia eu aperfeiçoava mais as línguas que falava e aprendia outras e aos vinte anos terminei minha faculdade mergulhando de cabeça no que fazia.
Para entender a minha personalidade e o que eu fiz com minha vida é necessário que a cara leitora entenda como eu conheci Michael e como ele se tornou a essência de tudo que sou, é preciso entender que de alguma forma tudo que aconteceu, estava escrito em algum outro plano que foge da nossa capacidade de raciocínio e para te fazer entender, foi preciso mergulhar no meu passado, talvez assim fique fácil para mim e para você, entender porque consegui viver ao lado de rei do pop por exatos vinte anos.

CAPÍTULO I

ENCONTRO E ADPTAÇÃO


Em 1989, a minha cidade estava em polvorosa, Michael Jackson e a sua turnê Bad, passaria por lá para um dos concertos de encerramento e como o hotel em que eu trabalhava era o mais luxuoso e importante da cidade, ele e sua equipe ficariam por lá. Meu Deus, a agitação estava enorme, tivemos que mudar a nossa rotina e a toda hora recebiamos orientações de como deveriam ser as coisas durante os três dias que a equipe estaria lá, foi um corre, corre enorme para atendermos as suas exigências, antes mesmo deles chegarem. Na noite da chegada de Michael, todos no hotel estavam com os nervos a flor da pele, Álvaro, o gerente, estava uma pilha e toda hora repassava conosco as regras: “Nada de fotos, nada de autográfos, nada de nada!”, nós os funcionários já estavamos cientes de que se conseguissemos ver a cor dos cabelos de Michael já estaria se bom tamanho. Por causa do grande tumúlto que se formou na porta do hotel, foi criada uma estrátegia para que Michael entrasse com um pouco de tranquilidade, alguém da equipe dele, com a altura e o corpo parecido, entraria pela porta da frente com todo aquele aparato de disfarce, segurança, polícia e tudo mais, enquanto o verdadeiro Michael entraria pela garagem e seguiria no elevador de serviço até o andar em que ficaria. Alguns funcionários foram escalados para recepciona-lo na porta do elevador, e apesar de sempre me dar as melhores oportunidades, Álvaro não me escalou para tal, que raiva! Mesmo não morendo de amores por Michael Jackson, é claro que eu queria estar perto dele, todo mundo queria, mas tudo bem, ele viria, balançaria todo mundo e depois iria embora deixando agente de água na boca, e a vida continuaria. Depois que Michael e sua equipe ocupou devidamente todo o décimo primeiro andar do hotel, um bando de gente começou a circular por toda parte, bailarinos, figurinistas, advogados menos é claro Michael Jackson.
_ Será que ele não vai descer nem um pouquinho? _Perguntou Stela, minha amiga e uma das recepcionista do hotel.
_É claro que não, sua boba, se ele descer vai ser devorado pelas loucas que nem você! _Respondeu Rogério, com ar de deboche. Rogério era meu colega da área de turismo e eu tinha uma quedinha por ele, o danado bem que sabia, mas se achava lindo demais para dar bola para uma garota sem gracinha como eu.
Eram oito horas da noite e nós estavamos as voltas para atendermos todo aquele pessoal, ir para casa, estava fora de cogitação, ficariamos por lá mesmo e nos revesariamos no descanço, estavamos na recepção, Rogério, Stela e eu quando de repente um homem louro, alto e extremamente agitado saiu de elevador falado e gesticulando:
_ Um médico por favor! Eu preciso de um médico!
Nós entreolhavamos assustados enquanto Álvaro, corria para chamar o doutor Mirtins, que havia sido solicitado pelo produtor da turnê, um dia antes da chegada de Michael, houve um problema com o médico que os acompanhava e ele teve que voltar para Los Angeles. Ficamos nós perguntando o que estaria acontecendo quando o telefone da recpção tocou e quando Stela atendeu, Álvaro falou agitado do outro lado da linha.
_Stela, peça para Lilian ou Rógerio subir aqui imediatamente!
_Ok! Lilian, Álvaro pediu para você subir agora! _ Disse-me ela sem pestanejar.
_Eu!!! _Exclamei quase gritando. Depois Stela me confessou que disse que Álvaro estava me chamando porque Rogério já havia estado na garagem, Stela sempre foi arteira.
Enquanto subia, eu me perguntava o que iria fazer lá, será que ia ver Michael Jackson, será que iria falar com ele? Ah, que bobagem, claro que não, jeito então era chegar lá e ver o que estava acontecendo. Ao descer do elevador, Álvaro estava na porta, ele segurou o meu antebraço e falou em meu ouvido:
_Lilian, o Dr. Martins está lá no quarto com Michael Jackson, mas tá uma confusão danada, porque ninguém entende ninguém, você vai intermediar o diálogo entre eles, mas por favor Lilian, seja discreta, não vai dar uma de tiete, seja profissional!
Meu coração deu um pulo, meu Deus, eu iria estar frente a frente com Michael Jackson, era inacreditável, mas eu tinha que manter minha postura:
_Fique tranquilo Álvaro, eu nem sou tão fã desse cara! _Álvaro sorriu discreto, de onde eu tirei isso? Como assim “esse cara”? E quem pelo amor de Deus não era fã de Michael Jackson?
Entrei na suite devagar e minhas pernas tremiam como galhos ao vento, minhas mãos estavam geladas que faziam as pontas dos meus dedos doerem, haviam várias pessoas no quarto, umas oito, se não me engano, lembro-me daquela cena como hoje, Marcel Avram, Bill Brain, Karen Faye entre outras pessoas que conheçi e convivi ao longo do tempo. Ao atravessar a porta da pequena antesala da suite, dei de cara com uma cena memorável, Michael estava sentado na cama segurando uma toalha branca no rosto, seus cabelos estavam enrroladinhos e levemente baguncados, ele estava vestindo uma camiseta de algodão branca, tão fininha que era quase transparente, calça preta e somente meias alvas como a neve, eu não conseguia desviar os olhos para mais nada, enquanto o Dr. Martins falava eu ia traduzindo para Marcel mecanicamente. O que aconteceu foi que mesmo com todo clima agradável que estava na suite por causa dos condicionadores de ar, Michael não parava de suar e isso o estava deixando nervoso e preocupado, para que o Dr. pudesse examina-lo, Marcel pediu:
_Michael, tire a toalha do rosto!
_Oh, sorry! _ Disse Michael, com a voz mais doce que eu já tinha ouvido em minha vida. Ele abaixou a toalha e escutava atentamente a tudo que eu dizia, sem tirar os olhos do Dr.
_Então é isso, ele está com um processo de desidratação rápida, talvez por causa do excesso de esforço físico, mas não é nada grave, ele tem que se alimentar bem essa noite,beber bastante líquido e descansar, amanhã ele vai está prontinho para o show! _Eu traduzi simultaneamente, depois de agradeçer, Marcel pediu para que todos saissem do quarto e foi ai que eu ouvi a frase mais espetácular e inusitada de toda minha vida:
_Isso, saiam todos por favor, menos a moça de azul! _Michael disse apontando para mim.
_Mas Michael, você ouviu o Dr. precisa descansar! _Marcel tentou argumentar!
_ Por favor Marcel, agora chega tá? _Michael levantou, caminhou até Marcel e o conduziu delicadamente pelo ombro até a porta. _ Agora deixa que eu cuido de mim, ok! Tente descansar um pouco, você também me parece desidratado, vá beber alguma coisa! _Michael disse, enquanto todos riam saindo da suite. Todos saíram, Michael voltou a sentar na beira da cama e eu fiquei parada na porta, gelada, inerte, sem graça e sem palavras...
_Desculpa, eu usei você como uma válvula de escape, não aguentava mais tanta gente no meu pé! Mas fique a vontade, só um pouquinho tá? Só até eles desistirem de mim, pelo menos essa noite, tenho certeza que estão todos ai na porta! _Disse Michael, tentando se explicar cheio de vergonha!
_Estou as ordens Sr. Jackson, pode ficar tranquilo! _Disse tentando disfarçar meu nervosismo.
_Sente um pouco, vamos ter que esperar! _Ele disse sorrindo.
Imagine só que situação, eu sozinha numa suite de hotel com Michael Jackson, sem saber o que dizer nem o que fazer, Michael estava tão simplismente discontraído na minha frente que estava me deixando imcomodada, ele percebeu e tentou quebrar o gelo:
_Como é mesmo o seu nome?
_Lilian! _Quase a voz não saía, ele levantou, caminhou em minha direção , sentou-se ao meu lado em uma mesinha que tinha em frente a cama, estenteu-me a mão e disse:
_Muito prezer Lilian! Eu me chamo Michael Jackson! Apertei sua mão e nós rimos por ele ter se apresentado, como se precisasse... ele sabia que não.
_É engraçado, vocês aqui falam apenas o primeiro nome não é? _Perguntou ele colocando a mão no queixo.
_É, nós não temos o costume de falar nome e sobrenome, mas meu nome é Lilian Villaça!_Michael sempre foi muito observador.
E foi assim que desengatamos uma extensa conversa, ali, sentados naquela mesinha de mármore branco e claro que não nos tornamos intímos, mas de alguma forma Michael se sentiu confortável com a minha presença e eu estava ficando cada vez mais discontraída na frente dele, falamos sobre a minha cidade, sobre os lugares, pontos turísticos, ele me contou como estava indo a turnê e quando eu perguntei como conseguia fazer o moonwalk, ele passou a me explicar todo empolgado. Quando nós demos conta da hora, já estava perto da meia noite:
_Desculpa Michael, mas eu preciso ir!
_Oh, claro Lilian, eu já prendi você por muito tempo, obrigado por me fazer companhia!
Levantei, caminhei até a porta enquanto ele me seguia, antes de sair, ele apertou minha mão e agradeçeu mais uma vez:
_Obrigado mesmo!
_Não há de que Michael, foi um prazer conversar com você!
Caminhei pelo longo corredor aos olhares dos guarda costas, desci o elevador sem acreditar no que havia acabado de acontecer. Quando você vê um artista na tv, você imagina que ele é um deus, que é intocável, inacessível e de repente eu estava ali, conversando sozinha com Michael Jackson, isso realmente estava fora dos meus planos. Michael era a principio uma pessoa muito simples, humana, de carne e osso como eu, apesar de toda mistifícação que existe as seu redor, ele se mostrou a mim apenas como uma pessoa cansada e sedento por um pouco de simplicidade em sua vida. Quando cheguei no saguão do hotel, todos estavam alvoroçados prá saberem o que havia acontecido lá em cima:
_O que vocês conversaram?
_Como ele é?
_Como é o nariz dele? _Uma enchorrada de perguntas caiu sobre mim, depois de responder a todas elas, fui descançar um pouco em um dos quartos que eram destinados aos funcionários que dobravam seus trabalhos, tentei dormir, mas o sono não vinha, a imagem de Michael não saia da minha cabeça, tive vontade de ligar para a minha irmã, minha grande amiga Marina, mas já era muito tarde, duas e meia da manhã, e ela estaria dormindo há tempos, o jeito era esperar o dia amanheçer e ver o que ia acontecer.
_Lilian, Lilian, acorde! _ Stela apertava o dedão do meu pé esquerdo.
_O que é Stela? _ Perguntei confusa e ainda bêbada de sono.
_Àlvaro está ai fora, parece que Michael quer falar com você!
_Hã? _ Pulei da cama e quase caí de cara no chão quando enrrolei meu pé no cobertor. _ Ai meu Deus, de novo? Me ajude Stela, pegue a minha farda, abra a porta para Álvaro entrar, eu vou...eu tenho que tomar um banho, rápido Stela!
_Calma Lilian, prá quem não é fan do cara, você está muito nervosinha! _ Disse ela sorrindo, enquanto abria a porta para Álvaro.
_Bom dia meninas! Lilian, rápido por favor! _ Apressou-me ele.
_Essa Lilian tem uma sorte danada, o que será que Michael quer com ela dessa vez? _Disse Stela.
_Esses artistas são assim mesmo, não é a primeira vez que vejo isso por aqui, quando eles cismam com alguém é assim! Anda logo Lilian, o cara quer que “a moça de azul” leve o café dele! _ Álvaro gritou.
_ Levar o café? _Perguntei saindo do banheiro. _ Que horas são?
_ São seis e meia, o hotel já está um caos, muita gente já estar no restaurante tomando café! Vou esperar lá fora, mas não demore, você sabe como são essas estrelas!
_Tá bom Álvaro, já estou indo!
Não sei como consegui me arrumar em menos de dez minutos mesmo com a ajuda de Stela, ela não parava de falar da minha sorte e dizia que faria tudo para estar em meu lugar. Passei na cozinha correndo e peguei uma bandeja de vime com um adesivo escrito Michael Jackson. A caminho do décimo primeiro andar, minha cabeça parecia ter passado por um liquidificador, eu era tão envergonhada, tão tímida, não era para estar acontecendo aquilo, não comigo, mesmo achando um máximo estar perto de Michael, era uma tortura ficar com aquele tremor no estômgo, a boca seca, as pernas doendo de tão tensa e o pior, sem uma palavra para dizer. Ao sair do elevador notie que o corredor estaria completamente vazio se não fosse a presença daquele homem negro, enorme que ficava sempre parado na porta do quarto onde Michael estava, aproximei-me um pouco rápido e ele examinou a bandeja antes de abrir a porta lançando apenas um disfarçado sorriso para mim, entrei no quarto devagar e Michael estava em pé, na porta da antesala. Ele estava vestindo um pijama azul escuro com desenhos de barquinhos verde e vermelho e calçava uma pantufa de pata de leão, muito engraçado!
_Bom dia “moça de azul”! _Ele disse esbanjando um largo sorriso!
_Bom dia Sr. Jackson, aqui esta o seu café! _Disse colocando a bandeja na mesinha de mármore.
_Eu acho engraçado quando as pessoas me chamam de Sr. Jackson! _Ele disse caminhando até a mesa. _Eu me sinto um velho, sabia? E olha que eu só tenho...
_Trinta anos! _Eu falei antes que ele completasse, ele sorriu colocando as mãos no rosto.
_Vamos ver o que temos aqui! _Ele falou vasculhando a bandeja. _É muita coisa para um pobre bailarino, vamos sente um pouco, tome café comigo!
_Ah, não Sr. Jackson, por favor, eu já tomei café! _Que mentira absurda.
_Ah, por favor, quebre mais esse galho para mim, eu aposto que toda essa comida e obra da Karen, se eu não sumir com pelo menos a metade disso aqui, não vou ter paz o dia todo, me ajude mais uma vez, por favor! _ Ele implorou, puxando a cadeira para mim.
_Tem certeza que não tem nenhum problema?
_Absolutamente!
Sentamos e conversamos outra vez, Michael gentilmente serviu suco de pêssego para mim, mas eu é claro não bebi nem uma gota, estava fascinada, olhava hipinotizada, enquanto ele passava géleia de amora na torrada e comia com chá de camomila. Nessa época, Michael já tinha feito algumas plásticas, eram bem discretas, mas dava para notar as marquinhas em seu nariz, sua pele estava bem mais clara, mas era um tom diferente, nem branco, nem moreno, dava para ver que havia uma espécie de base em seu rosto, por sinal, muito bem aplicada, seus cabelos estavam bem bagunçados, preso pela metade para trás, suas mãos eram bem manchadas e suas unhas bastante escuras.
_Você fala muito bem a minha língua, Lilian!
_Obrigado, eu me esforço muito!
_Você fala outros idiomas além de inlgês?
_Ah sim, falo Italiano, Espanhol, Frances e tô caminhando para outros!
_Nossa! Parabéns, você é boa mesmo! Eu sempre quis aprender outras línguas, eu falo uma ou outra palavra, mas não entendo nada que não seja em inglês! _Ele sorriu. _Você é ótima! Desculpa, mas posso saber quantos anos você tem?
_Claro, tenho vinte anos!
_Tão nova e tão inteligente, isso é um dom sabia? Você é abençoada Lilian!
_Obrigado Michael, é uma honrra ouvir isso, você é um especialista em dom e inteligencia!
Nós ficamos conversando por um bom tempo, falamos sobre várias coisas e de alguma forma a voz e o sorriso de Michael, me fazia perder a noção do tempo, eu já ia me despedir, quando ele me surpreendeu com um pedido:
_Lilian, eu tenho um tempo antes de ensaiar para o show de hoje a noite e tenho agendado um passeio de helicoptero, acho que já tenho um guia, mas se você puder vir comigo e me mostrar a sua cidade, vai ser ótimo! _Ninguém iria acreditar no que estava acontecendo, nem eu estava.
_Claro Michael! É só dizer a hora.
E foi bem assim, eu saí de helicoptero com ele, foi um passeio rápido, mas foi mágico. Quando chegamos, Michael foi direto para o lugar onde seria o show e eu voltei para casa. Nem meus pais, nem minha irmã, acreditavam que eu conversei, tomei café e passeei de helicoptero com Michael Jackson, eu sei que era difícil de acreditar, mas era a pura verdade. Na manhã seguinte, eu fiz questão de chegar bem cedo no hotel, mesmo com os pés sempre no chão, eu tinha a esperança de que Michael iria me chamar novamente, mas isso não aconteceu, havia poucas pessoas da equipe dele circulando pelo hotel, telvez estivessem mortos de cansados pela noite passada. Passei o dia todo cuidando do meu trabalho, eu tinha que traçar um roteiro para um grupo de Israelitas que viriam na próxima semana, Michael e sua equipe iriam embora na manhã do dia seguinte.
Ok, tudo bem, ficaria apenas a lembrança daquela voz maravilhosa, que eu até então só havia ouvido entoanto alguma canção, mas vamos combinar, eu tinha sido muito burra, nem uma fotinho para guardar, agora o “cara” ia embora e não adiantava contar que mais ninguém iria acreditar. Eram exatamente quatro e quarenta e três da tarde quando eu acabei de fazer o meu roteiro, estava morrendo de fome pois não havia parado para almoçar, fui até o refeitório e pedi um suco de laranja, meu telefone tocou:
_Oi Álvaro, eu vim aqui rapidinho tomar um suco, já estou indo! _Me expliquei antes de levar um puxão de orelha.
_Lilian, é Michael Jackson de novo, ele quer te ver!
_Tá certo, eu estou indo para lá!
Que bom que Michael não havia me esquecido, demorou mas ele me chamou outra vez, subi e quando a porta do elevador abriu, Marcel Avram estava parado em minha frente, dei um passo a frente e antes que pudesse dizer qualquer coisa ele falou com voz ríspida:
_Por favor senhorita, não dê ouvidos ao que o Sr. Jackson diz, seja lá o que for, não nos cause mais problemas! _Ele deu-me as costas e entrou no elevador. Confesso que não entendi nada, mas fui em frente, queria me despedir de Michael. O guarda costas abriu a porta e eu entrei devagar, Michael estava sentado na “nossa” mesinha e Karen Faye estava com ele.
_Com licença! O senhor mandou me chamar? _Perguntei encabulada.
_Está vendo Karen, ela insiste em me chamar de velho! _Disse ele fazendo careta.
_Então essa é a “moça de azul”! _Karen falou apontando para mim.
Nós ficamos uns vinte minutos conversando, quer dizer nós não, Karen fez um verdadeiro interrogatorio, enquanto Michael ouvia tudo sem dizer uma palavra. Ela perguntou sobre meu emprego, minha familia, minha formação, quis saber dos meus interesses profissionais, gente eu estava voando completamente, não estava entendendo, e então depois de várias perguntas ela levantou, olhou para Michael e disse:
_Por mim tudo bem Mike, pareçe um bom negócio, agora a escolha é sua! _Ela saiu do quarto, nos deixando sozinhos.
Eu não consigo lembrar as exatas palavras que falamos naquele momento, o impacto e a emoção foram tão grandes que acho que causaram um bloqueio em minha mente, mas naquela tarde eu ouvi um pedido que mudou a minha vida para sempre, Michael disse que há muito tempo ele queria uma pessoa que pudesse viajar junto com sua equipe, uma pessoa que falasse várias línguas e que eles pudessem confiar, ele disse que achou muito interessante o fato de eu ser tão nova e falar quatro idiomas, enfim, ele me perguntou se eu não tinha interesse de ser essa pessoa.
Se eu não fosse tão nova teria um infarto bem ali, e se hoje eu fosse contar tudo que senti naquela hora, teria que terminar minha estória só nessa fase, foi incrível, maravilhoso, inacreditável! Depois de conversar bastante com ele, eu só tinha uma coisa a dizer:
_Claro que eu vou Michael!
Vocês devem está se perguntando, mas como Michael Jackson, tão inteligente como ele é não tinha em sua equipe uma tradutora? Porque as pessoas que trabalhavam para ele nunca providênciaram isso? Quer saber? Isso eu também me pergunto até hoje, mas me contento em saber que Deus queria que Michael e eu nos conhecessemos e de alguma forma, e essa foi a maneira que Ele encontrou. Para você entender o que estava acontecendo com Michael e sua equipe naquele momento foi o seguinte: Michael não gostava que ninguém lhe ditasse regras, ele deixava as pessoas se envolverem e tomarem redeas da sua vida até certo momento, quando ele se sentia muito invadido, tratava de tomar o controle de sua vida de maneiras impactantes, para que todos soubesses que quem mandava era ele e ele fazia da sua vida o que quisesse. Marcel Avram era o produtor e empresário de Michael, eles estavam juntos desde o lançamento de Thriller, eles se davam muito bem, mas as vezes Marcel exagerava na proteção, ele não gostava do envolvimento de Michael com pessoas comuns, pois em todo hotel que estava Michael era muito simpático com os funciónarios, chegando a ficar amigos de alguns, o convite que Michael me fez, foi uma resposta ao desentendimento que eles tiveram depois do show, porque Michael convidou a família de um polícial que ele havia conheçido no aeroporto, para ir ao show e depois os levou até seu camarim. Então, quando foi assim, quando eles chegaram no Brasil, Marcel avisou que queria Michael longe de todos os funcionários, por isso ele me convidou para ficar no quarto, quando Marcel brigou com ele por causa disso, ele me convidou para tomarmos café e por fim, quando Marcel ficou histérico por causa do ocorrido com o policial, Michael me convidou para ir embora com ele... santo desentendimento!

3 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Nov 04 2011, 07:46

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Não foi nada fácil fazer meus pais acreditarem que eu havia recebido essa proposta e muito menos convencê-los de me deixar ir. Segundo o que Michael me falou, ele ainda passaria no México e na Argentina, e antes de voltar para os EUA, ele mandaria alguém da equipe passar aqui para me levar, isso me daria tempo para arrumar minha documentação, duas semanas, foi o prazo que ele me deu.
Quando eu disse a Michael que iria com ele, não pensei em nada, só fiz o que qualquer pessoa em sã conciência faria, ele ficou animado e me contou qual seria meu papel na equipe. Michael foi embora na manhã seguinte sem me deixar nenhuma garantia de que eu realmente iria trabalhar com ele, apenas a sua palavra, depois da nossa conversa, ninguém me falou mais nada, na hora de partir, ele me chamou na suite e sem me convidar para entrar, entregou-me a toalha que ele enxugou o rosto no dia em que chegou e disse-me apenas:
_Te vejo em Los Angeles!
Vocês podem imaginar a loucura que estava minha vida, no começo, euforica, eu contava a todo mundo o que aconteceu, mas ao contrário do que esperava, passei a ser motivo de chacota, em casa meus pais não queriam nem que tocasse no assunto, imagine eu que sempre fui uma pessoa tão centrada e responsável, me deixando levar por uma fantasia de um astro excêntrico, apenas a minha irmã conversava comigo a respeito, ela não estava acreditando que Michael mandaria me buscar, mas não duvidava que ele havia me feito tal proposta e também nunca riu de mim.
Decidi deixar todo mundo de lado, e levei a vida sem tocar mais no assunto, algumas vezes eu sonhava, imaginando como seria minha vida nos EUA, trabalhando para Michael Jackson, outras vezes eu dizia a mim mesmo, para deixar de ser idiota, pois aquilo nunca iria acontecer. Três dias depois da ida de Michael, meu coração não estava em paz, eu queria que as duas semanas passem logo, assim me convenceria de que tudo não havia passado de um sonho. Para me distrair, aceitei o convite de Stela para irmos até a festa de aniversário de casamento dos pais dela, Rogério também iria, e quem sabe me daria uma chansezinha, eu estava precisando!
Eu me apaixonei por Rogério desde o primeiro dia em que o vi, ele já trabalhava no hotel há tempos e eu fiquei na mesma equipe dele. Rogério era alto, loiro de olhos azuis, o sonho de consumo das mulheres do hotel, todas suspiravam quando ele passava e ele sabia muito bem disso. Ele era alegre extrovertido, namorador e tratava todas as mulheres com o mesmo galanteio, nós contumavamos chama-lo de Dom Ruan. Eu estava realmente gostando dele, não era apenas deslumbramento, eu queria realmente ter a chanse de engatar um namoro com ele. Stela sabia do meu interesse, por isso fez questão que ele fosse com agente. Na casa dos pais de Stela, eu tentei de todas as formas me envolver para tirar da minha mente aquele assunto que me consumia e acabei bebendo um pouco de álcool, coisa que só havia feito umas duas ou três vezes na vida. A uma certa hora, eu estava sozinha sentada na mesa, pois Stela e Rogério haviam sumido, decidi procurá-los, a casa era grande e não os achei nos lugares onde estavam os convidados, sem querer, acabei me esbarrando na cozinha, olhei e vi, Stela e Rogério, preparando alguma bebiba enquanto conversavam, como o som estava alto, eles não ouviram quando eu entrei, mas para minha surpresa eu ouvi perfeitamente quando ele falou:
_Mas ela é muito sem graça! Talvez por puro instinto, pensei que “ela” na verdade poderia ser eu, e mesmo sabendo que não era certo, fiquei atraz da geladeira ouvindo o que eles falavam:
_Mas ela gosta de você a um tempão e você sabe disso Ró! _Disse Stela quase gritando para ele ouvir.
_Ah, não, ela não faz meu tipo, eu poderia ficar com qualquer pessoa do hotel, menos com ela, Lilian não sabe curtir a vida, só pensa em trabalho, estudo, e esse sonho dela de um dia ganhar o mundo, ser “alguem na vida” como ela diz, aff, isso cansa, talvez eu possa um dia dar uns beijinhos nela, só para tirar proveito, mas namorar com ela nunca!
Que droga! Eles estavam mesmo falando de mim, então era assim que ele me via, e eu achando que com toda aquela simpatia, um dia ele pudesse me dar uma chanse, ai que raiva! Saí dali sem ser notada, alias essa era minha especialidade, não ser notada por ninguém. Fiquei com raiva de ter ido a festa, fiquei com raiva de gostar de Rogério, fiquei com raiva da minha opacidade... pensei em Michael, como eu queria que ele realmente estivesse falado sério.
No dia seguinte, acordei com uma enorme dor de cabeça, era domingo e minha irmã me convidou para irmos a praia, mas com o mau humor que eu estava, era capaz de chover assim que pisasse na areia. Fiquei trancada no quarto o dia todo, com a desculpa de que precisava fazer uma faxina nele, por volta das onze da manhã, meu celular tocou, pensei em não atender, poderia ser Stela ligando de algum outro número, já que eu não atendi as ligações dela, resolvi atender e ao dizer alô, o chão tremeu debaixo dos meus pés:
_Hello, it's Miss Lilian?
_Yes, I am!_ Respondi em inglês por impulso, era um homem chamado Jonh Branca, ele disse que era advogado de Michael, e estava ligando para saber se estava tudo acertado para minha “contratação”. Meu Deus, ou Michael não estava brincando, ou aquilo era uma brincadeira de péssimo gosto de algum desoculpado. Não parecia mais brincadeira quando ele me falou de contrato, cartório, embaixada brasileira, vistos e outras coisas, acertei algumas coisas com Jonh, tirei algumas dúvidas e decidi acreditar, até que alguém me provasse o contrário, Jonh pediu um número de uma conta, e como eu não tinha nada a perder, muito menos dinheiro, dei meu número sem pensar.
_Amanhã a tarde você dá uma olhada para ver se entrou dinheiro em sua conta, é um adiantamento que o Sr. Jackson pediu que fisesse para que você possa agilizar alguns papéis que sera preciso, ok?
Vou manter contato para saber como andam as coisas, vai ser um prazer tê-la conosco Srtª Lilian!
I-N-A-C-R-E-D-I-T-Á-V-E-L! Eu não podia acreditar no que estava acontecendo. Fique quieta Lilian, muda, calada, aga como se nada estivesse acontecendo, não conte a ninguém, surpreenda a todos, essa é a sua chanse de brilhar, tome esse elixir, e é só esperar as assinhas começarem a crescer em seus pés... Me falou a mulher no espelho!
No dia seguite, na hora do meu almoço, passei no banco e lá estava um generoso depósito em nome da MJJ Productions. Era ele é claro, só podia ser.
Em silêncio, providênciei todo que Jonh Branca, que passou a ligar para mim todos os dias, me pedia, em casa eu falava com a meus pais a respeito, eles agora acreditavam, porque tinham provas de que Michael não estava brincando. Tudo pronto, e em vinte e nove de janeiro de mil novecentos e oitenta e nove, às nove da manhã, eu estava no aeroporto com meus pais, minha irmã e minha amiga Stela, me despedindo para embarcar na minha nova vida.
_Eu nem acredito que isso tá acontecendo com você amiga! _Disse Stela quase chorando.
_E eu? Quem vai ficar acordada até altas horas comigo? _Marina soluçava.
_Não adianta vocês chorarem! _Eu disse. _Eu não vou chorar! Parem com isso gente , eu não vou morrer, e é claro, se tudo der certo, eu venho visitar vocês, e ninguém sabe quanto tempo vou ficar por lá!
No horário marcado, Jhon Branca apareceu na sala de embarque, ele veio pessoalmente me buscar a pedido de Michael, nós não nos conheciamos, mas ele tinha nas mãos aquela usual plaquinha com o nome dele. Nos apresentamos, e Jonh explicou aos meus pais um pouco de como seria o meu trabalho, eu não queria parecer uma menininha cercada de cuidados pelos pais, mas eles insintiam em saber onde e com quem eu iria morar, quando poderiam falar comigo, essas coisas. Embora estivesse empolgadissima com minha “contratação”, aquela foi a hora mais dificil, me despedir da minha família, Marina, agora, não conseguia mais conter as lágrimas, e até a hora de embarcar, foram aparecendo mais alguns dos meus amigos, primos, tios, todos que ficaram sabendo da minha partida, minha mãe, sempre serena e firme, não largava a minha mão e deixava rolar lágrimas em seu rosto, meu pai estava visívelmente abatido, mas com um certo “Q” de contentamento por ter feito uma filha tão corajosa quanto eu estava sendo naquele momento. Na hora do embarque, meus pais me abraçaram juntos, e eu que até então tinha me mostrado forte, desabei nos braços deles:
_Senhor Ângelo e Dona Luísa, eu prometo a vocês que vou usar todas as armas que vocês me equiparam a vida toda e vou vencer na vida, eu prometo e vou fazer isso por vocês! _Eu disse soluçando.
_Filha, não esqueça dos príncipios que nós passamos para você, amor e fidelidade acima de tudo, não esqueça de que Deus é o dono de tudo, é permissão Dele você estar indo para longe de nós, então não se esqueça Dele nem um só dia da sua vida, leia a Biblía sempre que você puder e vai encontrar respostas sempre que precisar!_Minha mãe falou em meu ouvido, enquanto me abraçava.
_Eu estou sem palavras, você sabe o quanto te amo e vou ficar aqui torçendo por você, e...se...se alguma coisa der errado, fale comigo imediatamente, eu vendo até a minha alma para ir buscar você, não tente insistir, filha, volte, e nós vamos estar aqui de braços abertos para te acolher! _Meu pai disse segurando o meu rosto com as duas mãos e olhando bem dentro dos meus olhos. Depois de conseguir me conter um pouco, abraçei a minha irmã Marina, minha menininha, minha amiga, ela era dois anos mais nova que eu, mas me dava conselhos como gente grande, ela também era muito responsável, mas era mais extrovertida, mais doidona... como eu ia sentir saudade de Marina!
_Olhe aqui sua fugona, você está indo trabalhar para Michael Jackson, cara nem acredito! Não vá ficar metidinha só por causa disso não, ouviu? Eu quero que você me ligue todo dia, me escreva todo dia, eu quero saber tudinho sobre ele, quero posteres, cd's, vídeos, tudinho! _ Marina agarrou meu pescoço. _E é claro, você tem que cumprir a promessa que me fez, você vai se tornar grande, enorme e acima de tudo, vai ser muito feliz! _Ela terminou chorando.
_Está certo mana, eu vou ser feliz sim. Ah, e vou te passar a resenha todinha da vida do “cara”! Falei sorrindo e enxugando os olhos. _Agora chega tá gente? Muito obrigado mesmo por todos terem vindo aqui, eu prometo que assim que me estabeleçer lá, mando notícias para todos, mas agora eu preciso ir, Michael Jackson está me esperando! _Todos riram. Peguei a malinha que iria comigo no avião e dei as costa indo em direção a Jonh, que esperava pacientemente, eu iria saír sem olhar para trás, para evitar mais choro, mas alguém me fez olhar chamando o meu nome:
_Lilian! _Era Rogério, ele estava ao lado de Álvaro. Eles vieram em minha direção e Álvaro me deu um afetuoso abraço:
_Eu sei que você vai brilhar, está escrito na sua testa! _Ele disse.
_Obrigado por tudo Álvaro! _Foi só o que consegui dizer. Rogério, estendeu a mão para mim e eu correspondi, ele puxou-me de leve, me abraçou apartando minha cintura e disse no meu ouvido:
_Boa Sorte querida, você mereçe!
_Obrigado Rogério, um dia quem sabe, agente se encontra! _ Jonh chegou mais perto e disse:
_Precisamos ir agora!
Corri em direção ao corredor e agora sim não olhei mais para ninguém, andei em direção ao pátio e Jonh vinha logo atrás de mim, fomos em direção ao avião e no topo da escada, antes de entrar, olhei em volta e vi que todos estavam lá dentro, olhando e acenando de longe, das janelas do salão de embarque, acenei e entrei, rumo a minha nova vida. Eu já tinha viajado de avião, mas nunca tinha estado na primeira classe, era uma delícia, muito confortável. Jonh me entregou alguns papéis e um envelope branco com as iniciais MJ, dentro tinha um papelzinho com um suave perfume que me pareceu famíliar, “SEJA BEM VINDA”, era só o que estava escrito, quem escreveu aquele bilhetinho, pareçe que tinha o hábito de escrever correndo, as letras estavam desalinhadas e pareciam rabiscos, mas eram letras que se apresentavam para mim, e eu com certeza, as veriam por muito, mas muito tempo mesmo. Durante o voo, Jonh e eu conversamos bastante, ele era muito discreto, mas me contou um pouco do que eu enfrentaria pela frente e o que eu podia esperar de Michael Jackson, ele não falou mal, mas falou algumas coisas que eram até engraçadas, mas assustaria muita gente, eu não tive medo, aquela altura a ansiedade de ver Michael novamente me dominava. Talvez por ter sido a primeira pessoa com quem tive contado naquele novo mundo, eu gostei muito de Jonh Branca, senti que podia confiar nele e senti que poderia recorrer a ele sempre que precisasse.
_Desculpa a observação Srtª Lilian, mas você é muito bonita! _Disse Jonh em um determinado momento.
_Eu desculpo mas com uma condição, me chame só de Lilian, tá? Senhorita soa um pouco estranho para mim!
_Ok, Lilian! Mas o “Bonita” permanece certo? _Brincou ele.
Jonh não era a primeira pessoa que me dizia que eu era bonita, apesar de me achar muito “normal” e nem um pouco atraente, tinha que admitir que eu tinha lá alguns encantos de toda mulher brasileira. Minha mãe era negra, não tinha descendentes de nenhum outro País, ela era muito bonita, uma mulher tipicamente brasileira. Meu pai, apesar de brasileiro, era branco, seus pais eram portuguêses, ele tinha os cabelos claros e olhos verdes. Minha irmã, puxou a família do meu pai, ela não era branca, mas tinha a pele muito mais clara que a minha, os cabelos dela eram lisos e claros, apenas os olhos não tinham saídos aos do meu pai, mesmo tão diferente, ela de rosto, parecia muito com minha mãe. Já eu, era uma confusão, uma mistura desses dois que inventaram unir tantas diferenças, as vezes eu gostava da minha aparência, as vezes eu me achava uma grande interrogação. Para começar, meus cabelos não eram totalmente duros, eram até bem comportadinhos, mas eu tinha tanto cabelo que as vezes fica dificil prendê-los, eles eram extremamentes cacheados, ou melhor, encaracoladissimos e iam até abaixo dos ombros, isso porque eu os cortava constantemente, senão...! Meus cachos eram admirados por todos, mas as vezes eu tinha um pouco de inveja do cabelinho lisinho da minha irmã. Eu tinha um metro e cinquenta e cinco centímetros, e alguém ai já ouviu falar de “Gabriela, cravo e canela”? Pois é, essa era a minha cor, uma ivenção de Jorge Amado, para definir uma cor que ele não sabia qual era. Meus olhos, ah, esses eram os únicos que eu tinha orgulho de verdade, eles eram cor de mel, falo de boca cheia, como são lindos os meus olhos! Eu era magra, não importava o que comesse, continuava magra, ao contrário de Marina qua aos dezoito anos já tinha um corpão, uma vez um editor de uma revista de moda que estava hospedado lá no hotel, disse que eu poderia seguir carreira de modelo se quisesse, eu dei uma gargalhada na mesma hora, eu tinha que rir!
Desembarcamos no Los Angeles International Aiport, às dez da noite, foram doze horas de voo, pegamos um carro e viajamos de Westchester, até o estado da Califórnia, exatamente em Santa Mônica, onde fica o maravilhoso rancho Neverland. A viagem toda durou cerca de cinco horas e chegamos no rancho às três da manhã.
Quando os portões de Neverland se abriram, minha boca se abriu tanto quanto, eu estava perplexa, era madrugada, tudo escuro, mas o rancho estava iluminado como se fosse dia, a distância dos portões até a casa principal era grande, e fomos de carro até lá. A casa não estava muito movimentada, aliás eu esperava ver por lá muita gente andando de um lado para outro, um monte de empregados, mas ao contrário, estava bem tranquila, apenas seguranças circulavam por lá. Jonh me conduziu até uma enorme sala, com poltronas em estilo barroco, quadros de Michelangelo, nas paredes e tapetes felpudos, Michael estava em pé, em frente a uma enorme laleira, vestido em um macação laranja.
_Boa noite Michael, eu trouxe sua encomenda! _Disse Jonh.
_Oh, seja bem vinda Lilian! Que bom que você veio! _ Michael disse, caminhando em minha direção, eu estava tremendo por dentro.
_Obrigado Michael, espero fazer o melhor que puder!_Falei.
_Michael, precisamos combinar onde ela vai ficar...
_Está tarde Branca! _Michael o interrompeu, deixe-a ficar por aqui essa noite, a casa é muito grande, isso se você não se importar Lilian!
_Claro que não, eu posso ficar onde vocês quiserem! _Respondi. Era muito engraçado, Michael chamava Jonh, de Branca, esse era o sobrenome dele, mas não é comum no Brasil, e apenas ele chamava Jonh assim.
_Lilian, lá em cima tem muitos quartos, você pode ficar em um deles esta noite, você pode tomar um banho, descansar um pouco e mais tarde conversamos! _Disse Michael gentilmente.
_Tudo bem! _ Respondi.
_Branca, por favor, peça para a Tuddy levá-la até um dos quartos!
Jonh pediu para que eu o acompanhase, ele foi dizendo no caminho:
_Tuddy, na verdade é Bethany, Michael tem mania de colocar apelidos nos outros, espere só até ele achar um prá você!
Tuddy, me levou a um corredor enorme, onde haviam quartos dos dois lados.
_Você pode ficar nesse aqui! _Disse ela, mostrando-me o terceiro quatro do lado esquerdo. _Aquele ali é o quarto de Sr. Jackson! _Ela completou apontando para o último quarto do lado esquerdo do corredor.
O banho eu tomei, mas embora estivesse muito cansada, não consegui pregar o olho. De manhã, quando sai do quarto, não vi ninguém no corredor, desci e sozinha, tentei achar a cozinha, encontrei Tuddy em um dos salões e ela me levou para tomar café.
_Onde estão todo mundo Tuddy?
_Ah, daqui a pouco a casa acorda! Hoje teremos visitas, com certeza, já faz muito tempo que Michael esta viajando e agora que está de férias esse rancho não vai parar!
_E onde ele está agora?
_Ele só vai acordar lá por volta do meio dia! As vezes apareçe por aqui, outras vezes pede o café no quarto.
_O que você vai fazer aqui?_Perguntou-me a moça que estava preparando alguma coisa no fogão.
_Eu vou fazer parte da equipe, eu acho!
_Você é Brasileira, não é?
_Sou sim!
_Que bom, temos outra brasileira, por aqui, ela vem sempre cozinhar para Michael, quando ele está entediado!
Ficamos conversando quando de repente Michael entrou na cozinha:
_Bom dia, girls! _O sorriso delas foi radiante!
_Bom dia Michael! Você acordou cedo hoje! Porque não avisou que viria? _Perguntou Tuddy.
_Porque eu sabia que você teria um chazinho bem quente para mim! _Disse ele a beijando na testa.
_Camomila certo?_Tuddy perguntou.
_Camomila! E então Lilian, conseguiu descançar um pouco? _Ele falou comigo, enquanto sentava na bancada que dividia a cozinha.
_Nem tanto Michael!
_Eu entendo, essas viagens são mesmo estressantes, mas logo você se acostuma com o horário ai vai ficar tudo bem! Está pronta para o trabalho?
_Prontinha!
_Então depois do café eu vou te dar uma lista do que você vai fazer, mais tarde quando Branca resolver apareçer, ele vai falar do seu contrato, salário, essas coisas ok? Fique a vontade, te vejo logo mais! Ah, Tuddy, Lis vem aqui hoje, por favor faça tudo que ela gosta! _Michael pegou a xícara da mão de Tuddy e saiu da cozinha. Depois de ligar para os meus pais para tranquiliza-los, eu fui encontrar com Michael e Jonh.
Naquele dia eu tive a primeira de muitas surpresas que teria ao longo da minha vida, Eu fui apresentada a Elisabeth Tylor, Lis, como era chamada pelos íntimos, ela veio passar uns dias com Michael e o presente que trouxe me deixou de boca aberta. Michael trouxe um quadro todo em mosaíco de azulejos Italianos, com o rosto de Elizabeth, e em troca ela lhe deu simplismente um elefante! É sério, um elefante de verdade! O sensacional Gipsy.
Elisabeth tinha uma maneira peculiar de tratar Michael, ela o chamava de bebê o tempo todo, e falava com ele com voz de quem está falando com um bebê de dois anos, era sempre assim:
“Oh, meu bebê, vem dá um cheiro um sua Lis!” “Oh, bebê, que coisa linda!” “Oh, bebezinho, Lis te ama tanto sabia?”. Era um pouco estranho, aquele homem, lindo, cheio de atitudes no palco, tão forte como se mostrava, de repente se tornar um bebê, pois era assim que ele se comportava diante de Lis, ele se derretia mesmo, mas depois me acostumei e acabei fazendo o mesmo com ele.
Para terminar essa fase, eu preciso resumir como foi esse primeiro ano com Michael. Como ele estava de férias com o fim da turnê Bad, eu não tive muito o que fazer, ele teve alguns compromissos, apresentações, premiações, mas tudo dentro dos EUA, então para preencher o meu tempo, ele pediu para que cuidasse de sua agenda. Todas as vezes que Jonh tocava no assunto de encontrar um lugar para eu ficar, Michael dizia: “Deixa isso para depois!” e eu ia ficando, acabei arrumando minhas coisas naquele mesmo quarto, eu era a única funcionaria que dormia no andar de cima, seis meses depois de estar lá, Michael tinha colocado praticamente todo o controle de sua vida pessoal nas minhas mãos, roupas, alimentação, diversão, tudo! Era sempre: “Pergunte a Lilian!” “Fale com Lilian!” e em um ano eu me tornei governanta em Neverland e assistente pessoal de Michael Jackson. Ah, e eu não posso esquecer de como ele encontrou um apelido para mim: um dia antes de sair de casa para uma reunião, ele sentou num banco na varanda enquanto aguardava o motorista, ao levantar, percebeu que havia sentado em cima de um chiclé velho, ele vivia largando chiclé em todo lugar, ele ficou apavorado, não queria trocar a sua camisa de militar preta com dragonas douradas onde o chiclé havia ficado grudado, então, graças aos ensinamentos de dona Luísa, corri até a cozinha, peguei algumas pedras de gelo e esfreguei sobre o chiclé, ele empedrou e eu consegui removê-lo fácilmente da camisa, sem deixar nenhuma mancha. Michael ficou maravilhado com aquele “truque” e ele disse empolgado:
_ Você é um anjo Lily! _Foi a primeira vez que ele me chamou de Lily. E mais tarde ele e todo mundo acostumou-se a me chamar de Lily ou Lily Angel.

4 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Nov 04 2011, 09:57

Sunshine

avatar
Membro Unbreakable
Membro Unbreakable
Só deu tempo de ler a introdução,depois eu continuo,mas parece muito legal essa história,estou curiosa para ler o resto *-*

5 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Nov 04 2011, 12:29

lilianrocha

avatar
Fics
Fics
Menina!!! Que fic maravilhosa é essa?? Rapaz, ela foi escrita pra mim, foi?? Porque dessa estória só faltava eu ter trabalhado com Mike!!! Meu nome é Lílian e sou de Salvador....Viu como a estória é minha??? rssssssss Vou me sebtir a própria...aliás, eu sou a própria!!! Estou contando a minha estória, espero que vcs leiam, viu?? Agora vem a parte de como começou o meu romance com Mike...Ah, minha tradutora, continua aí a minha estória, vai....


_________________________
You remember a one day....One day in your life!!!


Cumprimentos.net - faça uma montagem de foto

6 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Nov 04 2011, 13:50

Mii

avatar
Fics
Fics
Olá Lili,

Seja bem-vinda!!

Meu Deus, amei a tua história (pelo manos até onde eu li), não consegui ler tudo ainda, mas nossa é maravilhosa *-*
Assim que der coloco em dia!


_________________________
•Always Keep The Faith•

Michael • Marilyn Monroe • Ian Somerhalder
Sunshine, On In a Million

Let me stick my key in your ignition babe

7 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Nov 04 2011, 15:05

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Ô Lilian, tive que ri... risoss*
Meu Deus quanta coincidencia!!!
Mas se nós somos uma familia, isso deve ser normal né?
Eu li uma fic, que tem situações iguais a minha!
Oh my God!
Então dona Lilian, você não pode perder nem um capitulo dessa fic, sinta-se a vontade para ser a minha Lilian certo? thumbup

8 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Nov 04 2011, 15:11

lilianrocha

avatar
Fics
Fics
Claro que sou eu, sim!!! Very Happy Se duvidar até conto a estória toda... quer ver?? Olha, o nosso romance começou assim....Razz Ah, não, prefiro que vc conte!!!!Cool


_________________________
You remember a one day....One day in your life!!!


Cumprimentos.net - faça uma montagem de foto

9 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sab Nov 05 2011, 10:44

Ne Jackson

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Parabéns!
Enredo maravilhoso e escrita impecável.
Adorei...gostosa demais de ler.
Querendo mais =)

Beijos!!!

10 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Dom Nov 06 2011, 19:36

Mii

avatar
Fics
Fics
Ah, finalmente consegui colocar em dia a história Very Happy
Estou adorando


_________________________
•Always Keep The Faith•

Michael • Marilyn Monroe • Ian Somerhalder
Sunshine, On In a Million

Let me stick my key in your ignition babe

11 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Dom Nov 06 2011, 21:14

Cinthia

avatar

Fã
Nossa,parece ser muito boa essa historia!E o enredo é realmente maravilhoso!!

12 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Seg Nov 07 2011, 10:11

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Oi gatas!
Final de semana agitado, mas vamos lá mais um pouquinho de
POR TRÁS DOS HOLOFOTES

Durante todo aquele ano, eu me envolvi com a vida de Michael, ele teria o ano inteiro para descançar, mas ao contrário, ele inventava viagens, visitava instituições de caridades e hospitais infantis, trazia crianças de vários lugares para passear em Neverland, sem contar a bagunça que constantemente fazia com os amigos mirins, que vinham ficar com ele. Michael insistia em me levar para todo o lugar, quer fosse para se divertir, quer fosse a trabalho, eu sempre estava atráz dele, como uma sombra. Eu logo aprendi a lidar com isso, prestava muita atenção a todos os passos que ele dava e me esforçava para agradá-lo em tudo. Como Michael havia me nomeado como governanta de Neverland, eu acabei morando lá mesmo, Michael não percebeu que acabou dispertando a curiosidade de todos quando permitiu que eu ficasse num dos quartos do andar de cima. Eu agora tinha o total controle de tudo, cuidava da administração do Vale e da vida do rei do pop.
Naquele ano também, eu conheçi toda a familia Jackson, eles vinham de vez em quando e eu percebia uma certa divisão em Michael, antes da família chegar, ele ficava resmungando o dia todo, dizendo que eles não deveriam vir, que se pudesse apenas sua mãe viria visitá-lo, mas quando eles chegavam, Michael explodia de alegria, e ficava assim o dia todo. Eu achei todos muito simpáticos, quando fui apresentada por Michael, como sua assistente, todos me receberam com muito carinho, apenas La Toya se mostrava indiferente comigo, ela sempre fazia questão de deixar bem claro que havia uma distancia enorme entre nós, empregados eram empregados, e ela era a irmã de Michael Jackson. Dona Katharine, como era chamada as vezes pelos filhos, era muito doce e serena, e Michael tinha muito do caráter dela, já Joseph, ai meu Deus, eu tinha tremores só de olhar para aqueles olhos verdes e mistériosos que ele tinha, apesar de tudo e de toda queixa que Michael fazia sobre ele, sempre dizia que ele era um bom homem, uma vez, conversando sozinhos eu chamei Joseph de "O Poderoso Joe", fazendo mensão a um enorme e poderoso gorila que eu tinha visto no cinema, ele tinha sido adotado por uma familia de defensores ambientais e quando cresceu, dominou toda a familia até ser levado de volta para a floresta. Michael riu muito com o apelido que dei ao seu pai, e todas as vezes que falava dele comigo o chamava de "O Poderoso Joe".
Passamos o ano todo assim, nos conhecendo e nos tornando cada vez mais amigos, todos os dias tomavamos o café da manhã juntos e eu passava para ele como seria o seu dia, reuniões, premiações, visitas, médicos, cabeleleiro, essas coisas. Quando tinhamos compromissos fora, ou alguma viagem a fazer, eu ia munida de tudo que ele precisava sem esquecer da minha agenda onde eu anotava cada segundo do seu dia. Quando não tinhamos nada para fazer, nem ninguém em Neverland, passavamos boa parte do dia conversando, sobre vários assuntos, desde coisas importantes, aos mais bobos. Nessa época, a rotina pessoal de Michael, não era muito tumultuada, ele dormia tarde, mas conseguia fazer isso a noite toda, comida nunca foi o seu forte, mas ao contrário do que muita gente falava, ele comia de tudo um pouco, muito pouco, mas não era aquele extraterrestre que se alimentava de oxigênio como muita gente achava.
Eu estava amando o meu trabalho, me sentia muito realizada e estava feliz e deslumbrada com aquele mundo em que estava vivendo, o momento mais difícil daquele ano, foi passar o natal longe da minha familia, apenas um telefonema e mais nada, Elizabeth enfeitou Neverland todinha enquanto Michael e eu estavamos em Las Vegas, eu já sabia que ela o faria, só não imaginava a grandeza que seria, ele arrumou uma enorme árvore na sala de estar, colocou vários presentes, colocou guirlandas, sinos e anjinhos por toda parte. A surpresa apesar de grande, foi um choque para Michael, ele nunca tinha celebrado o natal. Elisabeth abriu mão de toda badalação para estar com o bebê dela, ela sabia que ele ficaria sozinho naquela noite. Foi muito estranho para mim, eu estava acostumada com todo aquele calor que temos no Brasil, o modo como nós celebramos o natal, toda aquela atmosfera de festa que fica em cada casa, a familia reunida em volta da mesa, imaginei meus pais e minha irmã na casa de algum parente, ou todos eles na minha casa, comendo e bebendo muito, em volta da mesa, mas apesar de toda beleza e fartura que tinhamos em Neveland, o clima estava frio dentro e fora da casa, Michael e Elisabeth, sentados em frente a laleira rindo e falando de coisas que só acontecia no mundo deles, e eu de vez em quando vinha a sala saber se eles estavam precisando de alguma coisa, a uma certa altura, Michael me convidou para sentar ao lado deles e conversar um pouco, um pouco constrangida eu obedeci, e foi só isso. No ano novo fomos para casa de Elizabeth, foi um pouco melhor, mas a saudade bateu sem piedade.
Em 1990, tivemos muito trabalho, Michael estava envolvido em um novo álbum e estava as voltas com a preparação para a turnê Dengerous. Naquele ano, enquanto eu me esforçava para cresçer e aprender coisas novas, começei a ver que as coisas não seriam tão fáceis para mim, pessoas que viviam ao lado de Michael, começaram a se incomodar com a relação de confiança que cada vez mais crescia entre nós. Descobri que a mídia tinha o enorme poder de levar um astro a alturas inimaginaveis, mas quando queria e achava conveniente, os empurravam céu a baixo, sem se importar com os machucados que causariam. Era estranho, mas por algum motivo, quanto mais esquisito Michael parecesse, mais coisas sobre ele era vendido, quanto mais excêntrico, mais os fãs se apaixonavam por ele, e consequêntemente, mais álbuns eram vendidos. Aquele foi o ano em que os problemas de saúde de Michael começaram a se tornarem evidêntes, as vezes ele era forte como um touro, outras vezes, parecia uma boneca de porcelana. Eu pude acompanhar o desespero dele quando percebeu que o problema em sua pele, tinha se agravado, não dava mais para disfarçar com maquiagem, já que o vitiligo havia tomado 70% do seu corpo, o jeito era fazer alguma coisa para uniformiza-la de uma só vez, e ele fez, com a ajuda do Dr. Arnold Klain, um dermatologista conceituado de Las Vegas, que Michael conheçeu atravéz de Karen, sua maquiadora. Até hoje, eu não sei ao certo o que pensar do Dr. Klain, de cara, não gostei dele, pois suas atitudes mostravam que ele estava disposto a fazer qualquer coisa para não perder a amizade de Michael e principalmente o lucro que tinha tendo ele como paciênte, porém, não posso negar que por muitas vezes ele foi a única solução para Michael.
De certa forma, eu gostava da maneira com que Michael havia se apegado a mim, era gostoso vê-lo precisando de mim o tempo todo, eu havia me acostumado com aquela dependência, que as vezes me sufocava um pouco, mas eu era recompensada com cada sorriso e agradecimentos que ele me dava. Por causa do seu problema, Michael se fechou para o mundo, eram poucas as pessoas que o visitava, e ele também não fazia nenhuma questão de sair de casa a não ser que fosse a trabalho.
Quanto mais o tempo passava, mais amigos e próximos nós ficavamos, Michael me tratava com muito carinho e esse carinho estava me afetando de uma forma que eu não estava entendendo, quando estavamos juntos, eu podia sentir meus olhos brilharem e se não tomasse cuidado, todos notavam que eu ficava de boca aberta com qualquer movimento que ele fazia, quando ele não estava por perto, eu sentia uma ansiedade muito grande, as vezes eu dizia para mim mesmo que isso era normal, afinal de contas eu estava nada mais nada menos que ao lado de Michael Jackson, mas as vezes, não conseguia me convencer, alguma coisa não estava indo bem, não estava mesmo.


CAPITULO II
MICHAEL E JORDAN – Convivendo com o perigo!

A Turnê Dangerous, começou em 27 de junho de 1992 e nós embarcamos em uma aventura incrivel. Para Michael, era a segunda turnê em carreira solo, para mim, foi a primeira aventura da minha vida, as vezes eu me perdia entre o ser profissional e o ser fã, foi a minha primeira turnê, o primeiro show de Michael Jackson que eu assisti ao vivo na vida, e melhor, bem ali na parte do fundo dos incriveis cenários.
_Oh my God, nós conseguimos, nós conseguimos, yeah! _Michael invadiu o camarim, euforico como uma criança que acabou de ganhar um brinquedo.
_Michael, você foi incrivel, sensacional! Parabéns Michael! _Disse Karen, entrando logo atras dele.
_Onde está Lily? Ela ainda não entrou? _Michael perguntava vasculhando o camarim com os olhos.
_Estou aqui Mike! Ainda sem fôlego... mas estou aqui! _Falei quando apareci na porta.
_E então? você gostou? Foi como você esperava?
_Não querido, eu nunca imaginei que seria assim! Foi muito além do que eu esperava Michael, você parecia que estava possuído, meu Deus nem acredito, você conseguiu!
_ Não, nós conseguimos!
_Michael, cara, foi espetacular, fantástico, esplendido! _Disse Quince Jones, produtor da turnê, quando entrou porta a dentro soltando fogos de artificios.
_Conseguimos Quince, quanta gente! _ Disse Michael, com ar de um menino ganhando nota dez.
_Superamos todas as nossas espectativas, e a segunda parte da turnê será maior ainda, todos os ingreços já estão esgotados em todos os lugares das apresentações! _Falou Quince entusiasmado.
_Essa turnê será maior que Bad, eu quero entrar para a história, quero bater todos os recordes possíveis e você vai fazer isso por mim Quince, prometa que vai! _ Michael falou gesticulando.
_Você já esta na História meu caro, não depende de mim e sim do seu talento, e isso você tem de sobra. Agora você tem duas semanas para se recuperar, descansar um pouco e depois vamos rumo a segunda etapa dessa turnê! Para onde você quer ir Mike?
_Neverland! _Michael respondeu sem pensar.
Depois de passarmos uma semana em Neverland, fomos para Beverly Hills, onde ficariamos hospedados em um hotel, até o começo da segunda parte da turnê. Foi ai que eu notei que quando estava ansioso Michael realmente não conseguia dormir.
Ali no hotel, surgiram algumas divergencias entre Quince Jones e Frank Dilleo a respeito da turnê, e depois de uma calorosa discursão entre Michael e eles, Michael pegou o seu jipe, que ganhou de presente da Pepis e saiu em disparada. Michael era um péssimo motorista, e nós ficamos apreensivos:
_Oh, meu Deus! Temos que ir atrás dele! _Eu disse nervosa.
_Não se preocupe Lily, Michael vai voltar quando menos esperar! _ Frank disse com uma tranquilidade que me incomodava. O que aconteceu enquanto Michael estava lá fora? Um dos piores encontros da vida dele.
Ao passar pela Wilshire Boulevard, Michael percebeu que havia alguma coisa errada com o jipe, ele parou em meio a escuridão e não conseguia dar partida, sem entender nada sobre carros, ele ficou desesperado, tinha medo que alguém o reconhecesse e aquilo se tornasse o caos. Por sorte, ou azar, não sei, um homem, que passava por ali em seu carro, percebeu que aquele cara precisava de ajuda e ao descer, ficou atônito quando reconheceu Michael, era Dave Schwartz, dono de uma loja de aluguel de carros e padrasto de Jordan. Dave olhou o jipe e viu que o problema era falta de gasolina, ele levou Michael até a sua loja, que ficava ali perto e ligou para sua esposa, pedindo para que ela viesse até a loja e levasse Jordan, enquanto ele ligava para um guincho, Michael assinava papéis para alugar um carro e voltar para casa. Antes de sair, Michael foi apresentado a Jordan Chandler e sua mãe June Chandler. Michael ficou feliz em saber que Jordan havia lhe enviado um desenho quando ele esteve internado por causa da queimadura que sofreu na cabeça, e que também era um grande fã. June escreveu o numero dela em um papel e entregou a Michael dizendo:
_Ligue para Jordan, Michael, vocês podem se tornar grandes amigos!
_Posso ligar mesmo? _Michael per guntou a Jordan.
_Claro que pode! _Respondeu Jordan.
Michael pegou o carro e voltou para o hotel, ao chegar ele foi direto para o quarto e não quis falar com ninguém, nós estavamos a ponto de termos um colapso de tanta preocupação, teimosa, eu fui até o quarto dele e bati de leve:
_Mike? Mike posso entrar? É Lily! _ Ele abriu a porta devagar e sem se mostrar disse:
_Eu sei que é você! Eu conheço sua voz. Entre!
_O que aconteceu Mike? Onde você esteve todo esse tempo?
_Andando por ai, eu precisava respirar um pouco! Esses dois me deixam loucos, eles brigam o tempo todo. Ah, anote esse telefone! _Ele tirou um papel amassado do bolso da calça jans surrada. _ Eu conheçi um garoto, Jordan, o nome dele, ele é um grande fã, por favor guarde, eu pretendo ligar para ele depois.
_Tudo bem! Mas Michael, por favor, prometa que nunca mais vai fazer isso! Sair assim sem um segurança, você sabe, é loucura!
_Você não sabe o que aconteceu! O carro parou em plena avenida!
_Hã? E ai??? _ Perguntei com o coração disparado. Michael passou a contar toda a história.
No dia seguinte, Michael ligou para Jordan, e eles conversaram por um bom tempo, coisas sobre games, parques, filmes, Michael ria muito e depois que desligou o telefone passou quase o dia todo falando sobre a “inteligência de Jordan”. Ele passou a ligar todos os dias e quando voltamos para a segunda parte da turnê, Michael passou os nove meses seguintes ligando para Jordan todos os dias. Eu estava envolvida com as coisas do Show, alimentação, figurino, venda de ingresos, e não percebi o quanto Michael estava envolvido com aquela amizade.
A turnê continuou com toda sua magia e encanto e quando terminou, estavamos cansados, mas, vitoriosos e realizados, chegou a hora de umas merecidas férias. Eu havia conversado com Michael sobre a possibilidade de ir ao Brasil, visitar minha familia, já que há três eu não os via, e ele ficaria em Neverland.
Infelismente, todos nós já sabemos o que aconteceu com aquela amizade, eu não quero me aprofundar muito para não trazer a memória todo aquele pesadelo que vivemos, mas não posso deixar de expor o meu ponto de vista sobre o ocorrido.
Quando Michael, convidou aquela família para ir a Neverland, eu logo vi que as coisas estavam fugindo do controle, e da maneira que as coisas estavam indo, não daria nada certo, e foi exatamente o que aconteceu. Eu bem que tentei alertá-lo do perigo de se expor tanto para pessoas estranhas, mas ele veio com todo aquele discurso de que não teve infância, e que andava sempre tão só e agora que tava tendo compania, todo mundo estava sendo contra, e eu não tive escolha, apoiei e fui cumplice dele mais uma vez, ele bem que sabia me convencer das coisas.
June, estava separada do pai de Jordan há cinco anos, e o novo casamento estava indo também por água abaixo, ela era uma mulher bonita e muito ambiciosa, que sempre queria acima do que seus maridos podiam lhe oferecer. Ao lado de Michael, June viu a possibilidade de ter tudo o que sempre quis, ela passou a andar para cima e para baixo com ele, sempre aproveitando ao máximo as estadias em Neverland e os presentes caros que Michael lhe dava, a imprensa até passou a especular que Michael e ela estavam tendo um caso. Eu estava despedaçada, tinha que ficar sempre atrás deles, tendo sempre um sorriso forçado no rosto. Michael, por sua vez, ficava cada vez mais encantado com Jordan, porque ele o tratava como uma pessoa “normal”, mesmo tendo conciência de que ele era um grande astro. Ao lado de Jordan, Michael podia ser quem realmente era, uma criança sufocada, precisando brincar. Jordan estava encantado por Michael, ele passou a vê-lo como um igual, eles gostavam das mesmas coisas, faziam as mesmas coisas, mas para quem estava de fora as coisas não eram bem assim, Michael podia fazer tudo que quisesse, tinha dinheiro para comprar até o mundo, e isso causava uma enorme confusão na mente imatura de Jordan. Evan Chandler, se viu encurralado, sentia o filho escapar por entre seus dedos, ele agora não era mais a principal figura na vida de Jordan, Michael estava tomando seu espaço e isso não agradou. Quando Evan soube pelo próprio Jordan que dormiu no quarto de Michael, a bomba estourou!
Todos tiveram uma parcela de culpa, eu, Evan, Michael, e principalmente June, ela era a mãe, ela tinha o poder de acabar com aquilo tudo, mas ao invés disso, permitia para não perder seu status. Traidora e covarde, isso é o que sempre foi, ela mesma já dormiu com o filho e Michael no mesmo quarto, em Neverland, nos hotéis e até em sua própria casa. Ela sabia que o amor que Michael sentia por ela e seu filho, nunca permitiria que ele o machucasse, que droga, até hoje sinto raiva daquela mulher, as portas do quartos nunca ficavam trancadas, qualquer um poderia entrar a qualquer hora, nós ouviamos os gritos, gargalhadas e sons de games a noite toda quando eles estavam juntos, a bagunça era enorme. Evan ficou com raiva de Michael, e disse a June o que pensava e o que faria, e se ela insistisse em ficar ao lado de Michael, seria presa junto com ele, ela covarde, se rendeu.

13 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Seg Nov 07 2011, 11:54

lilianrocha

avatar
Fics
Fics
Essa história foi o maior absurdo da vida...E pensar que depois dela uma outra história surgiria somente com a intenção de conseguir dinheiro e mais dinheiro....


_________________________
You remember a one day....One day in your life!!!


Cumprimentos.net - faça uma montagem de foto

14 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Seg Nov 07 2011, 13:06

Maria Cecília Bad

avatar
Super Fã Veterano
Super Fã Veterano
chegando e amando!

le a minha??

15 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Ter Nov 08 2011, 06:56

Mii

avatar
Fics
Fics
Comunicado!

Nosso Café Literário já tem uma nova Entrevistada!
Convido todas vocês a darem uma passadinha por lá, e deixarem as suas perguntas!


Clique


_________________________
•Always Keep The Faith•

Michael • Marilyn Monroe • Ian Somerhalder
Sunshine, On In a Million

Let me stick my key in your ignition babe

16 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Ter Nov 08 2011, 08:43

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Oi Gente, hoje vou tentar adiantar minha fic, tá?
Boa leitura!


Então, no inicio da terceira e última parte da turnê, nós estavamos no México quando a notícia caiu sobre nós como uma bomba, Michael estava no hotel e eu havia saído para comprar algumas lembranças, no meio do caminho, Jonh Branca ligou pedindo para que eu voltasse imediatamente, eram oito da noite e o andar onde estava hospedada a equipe estava um caos, havia gente correndo de um lado a outro, falando nos celulares, eu fiquei assustada e antes de ver Michael, Jonh me pos a par do que estava acontecendo. Meu Deus, eu não estava acreditando, como aquilo podia está acontecendo? Michael havia se trancado no banheiro do seu quarto e ninguém conseguia tirá-lo de lá, as pessoas chamavam, batiam na porta mas ele não emitia um só som, então Jhon me disse:
_Você é a nossa última esperança, tente tirá-lo daí!
Eu pedi para que todos fizessem silêncio, bati de leve na porta e disse:
_Peter, sou eu, Sininho, abra a porta!
Ninguém havia entendido nada, porque eu estava falando daquele jeito? certamente aquela não era hora para brincadeiras, mas eu não estava brincando. Michael havia me contado a sua admiração por Peter Pan, e um dia, assistindo juntos ao filme pela “milesima” vez, ele me comparou a Sininho, a fadinha que acompanha Peter aonde ele ai, e aquela foi a forma que encontrei para chamar a atenção dele naquele momento:
_Peter, abra é a sua Sininho! _Repeti sobre os olhares confusos das pessoas que estavam ali.
Para a surpresa de todos, Michael sussurrou quase sem voz:
_Lily é você?
_Sou eu sim Michael, abra a porta!
_Peça para que todos saiam!
Eu nem precisei dizer nada, Jonh fez com que todos saissem do quarto, haviam cerca de oito pessoas, tentando tirar Michael do banheiro, antes de sair Jonh disse:
_Tente acalma-lo de qualquer forma, se precisar nos chame, estamos todos aqui!
Quando todos saíram, eu disse:
_Pronto Michael, todos já saíram, venha, vamos conversar!
Ele abriu a porta de mansinho e sem que eu esperasse se jogou em meus braços em prantos, caímos os dois e de joelhos eu tentava segurá-lo. Michael estava realmente mal, a aparência dele era horrivel, parecia dez anos mais velho, quase desfalecido, ele dizia soluçando:
_Eu não fiz isso, eu nunca faria... meu Deus porque estão fazendo isso?
_Calma Michael, é claro que você não fez isso, deve está havendo algum engano...
_Você precisa acreditar em mim, eu... eu nunca faria uma coisa dessas... eu não seria capaz, não eu!
_Eu sei Michael, isso é um absurdo, mas você precisa se controlar, calma!
_Lily eu jamais poderia fazer uma coisa dessas, jamais...porque...porque...
Eu percebi que ele estava querendo falar algo, que estava preso por muito tempo e incapaz de medir qualquer consequência, ele foi desabafando. As palavras de Michael atravessavam meu peito como um punhal afiado, era dor de mais para uma pessoa carregar, eu tentei fazê-lo parar de falar, mas ele parecia estar desesperado para fazer alguém entender porque ele nunca molestaria uma criança, talvez se qualquer outra pessoa tivesse conseguido tira-lo daquele banheiro, ele desabafaria assim como estava fazendo comigo, mas com certeza, por uma providência Divina, aquela pessoa tinha sido eu, caso contrário, talvez hoje, o mundo todo saberia o segredo mais obscuro de Michael Jackson.
_Michael por favor, você não precisa me contar isso, não faça isso com você, calma! _Eu tentava fazê-lo parar, mas como não consegui, deixei horrorizada que ele dissesse tudo que queria. Depois de desabafar, Michael chorou baixinho, deitado no chão, com a cabeça apoiada no meu colo, ele lamentava o fato de que gostava tanto de Jordan e da família dele e não sabia porque estava sendo traído daquele jeito. Eu poderia dizer que tinha avisado, poderia dizer que nunca confiei naquela mulher, mas a única coisa que fiz foi ouvir a tudo imóvel, eu estava paralizada com aquela situação e com aquela revelação difícil, de repente Michael levantou-se, foi até uma bolsa preta que estava sobre a cama, tirou um vidro de remédio e tomou cerca de dez compromidos de uma só vez, fazendo-os descer pela sua garganta com a ajuda de um vinho branco que ele bebia na própria garrafa, e eu assistia a tudo sem saber o que fazer, ele voltou para o chão cambaleando e deitou novamente a cabeça em meu colo, eu pensei em chamar alguém, mas tive medo que ele ainda dissesse alguma coisa então esperei, ele chorou por cerca de uma hora, e eu fiquei ali com ele, as vezes também chorava, mas tentava me manter forte para digerir aquilo tudo. Por fim Michael adormeçeu, com certeza era por causa dos rémedios e do vinho que ele havia tomado, Jonh, finalmente entrou no quarto, e eu fiz sinal para que ele fizesse silêncio, ele entrou de mansinho e eu apontei para um travesseiro, Jonh me deu e coloquei lentamente em baixo da cabeça de Michael enquanto Jonh a apoiava com as mãos. Quando conseguimos ajeitá-lo, ao tentar levantar, senti minhas pernas doerem pelo tempo em que fiquei no chão, Jonh ajudou-me e quando consegui ficar de pé, saí do quarto correndo, no corredor, encostei na parede e com as mãos no rosto, chorei sem consegui me controlar, imediatamente, dois seguranças, vieram até mim, pedindo para ter calma, logo alguém me ofereçeu um copo d'água, eu não estava acostomada com aquilo, era muita dor, como alguém podia fazer aquilo com o meu Mike, meu bebê. Jonh veio até mim e me abraçou:
_Não Lily, não é assim que vamos resolver as coisas, vamos, temos que ser fortes, Michael vai precisar de toda ajuda possível, temos que estar de pé! _ Dizia ele tentando me acalmar.
Depois de seis meses de tortura, e negociações, os advogados conseguiram convencer Michael, a fazer um acordo e acabar com aquilo tudo, ele não queria, mas no fim, fraco e depressivo, ele acabou aceitando. Elizabeth Tylor, foi uma peça fundamental para a recuperação de Michael, ela esteve com ele o tempo todo e quando o acordo foi fechado, ela levou Michael para passar um tempo em Miami, onde tinha uma casa de praia, e eu é claro fui junto.
Michael estava totalmente frágil, não só pela situação mas também por conta do uso que estava fazendo de medicamentos forte, porém, o que confortava meu coração era o fato de que a cada dia eu me tornava mais importante para ele, nas noites em que ele não dormia, eu estava lá segurando a mão dele, nós piores dias, eu estava perto tentando dizer palavras de conforto, nos dias em que ele não conseguia nem beber um copo d'água, eu estava lá para fazer um pouco de graça, tentando lhe arrancar nem que fosse um sorriso. Eu estava gostando de estar no centro de sua vida. Um dia, cansado de ficar acordado, ele chorou quando lembrou da situação e eu, cantarolei uma musica enquanto afagava seus cabelos em meu colo:

Smile, though your heart is aching
Smile, even though it's breaking
When there are clouds in the sky
You'll get by...

If you smile
With your fear and sorrow
Smile and maybe tomorrow
You'll find that life is still worthwhile if you'll just...

Michael chegou a dizer que quando estava perto de mim, conseguia sentir um pouco de paz.



CAPITULO III
MICHAEL E LISA


Durante aquele tempo tumultuado, Michael passou a falar frequentemente com uma amiga, que já conhecia de longa data, mas que só agora, por causa dos problemas dele, ela havia se aproximado, Lisa Marie Presley.
Lisa era a meu ver uma moça muito bonita e caridosa, ela ficou sensibilizada quando soube que Michael estava abusando de medicamentos e se enganjou na luta para salvá-lo. Michael estava animado pelo fato de ter Lisa sempre ligando e se interessando por ele, depois de um tempo, falando pelo telefone, eles começaram a sair. Eu não sei porque, mas toda vez que Michael me falava de Lisa, eu sentia uma pontinha de raiva apunhalando meu coração, meu rosto ardia e ficava tenso só de ver a forma doce e derretida com que Michael pronunciava o nome: L-I-S-A. Certa noite, ainda na casa de Elizabeth, Michael havia saído com os seguranças e eu tinha ficado em casa. Fiquei acordada até muito tarde esperando ele chegar, eu estava na sacada da varanda do quarto, quando ví a limusine preta parar em frente a mansão. Assim que Michael entrou, ligou para o meu celular, ele tinha esse costume, ligava para saber onde eu estava, mesmo estando na mesma casa.
_Lily, onde você esta?
_Estou no quarto Mike? Você precisa de alguma coisa?
_Eu queria conversar um pouco, posso ir até ai?
_Claro, pode sim! _ Eu nem imaginava a surpresa que teria. Ele subiu e bateu na porta:
_Pode entrar Mike! _ Ele entrou e sentou-se ao meu lado na cama.
_Eu estava com Lisa! _Disse ele olhando para baixo.
_Eu imaginava. Onde vocês foram dessa vez?
_Fomos jantar no Giotto!
_Giotto? Hum! A comida de lá é maravilhosa não é mesmo!
_Eu nem comi Lily, você sabe... belisquei uma coisa e outra e...
_Você não tem geito Mike! Vai a um lugar daquele só para beliscar? Se eu tivesse lá, saíria puxada por um guincho! _Ele deu um sorriso tímido.
_Eu queria falar sobre Lisa, é que... ham, é que aconteceu uma coisa!
_O que foi? Pode falar!
_Nós nos beijamos!
“Nós nos beijamos!” Aquela frase ecoou em minha cabeça, me fazendo tontear, sinceramente eu não queria ter ouvido aquilo, não queria mesmo, eu senti meu corpo pesar, minha boca ficou seca e mesmo não sentindo vontade sorri timidamente:
_Vocês se beijaram? Como assim?
_Ora Lily, nos beijamos! Como é que se beija? _Ele sorriu e eu percebi que tinha falado besteira.
_Eu sei como se beija Mike! _ Falei dando um tapa no ar. _Mas você e Lisa? O que esta acontecendo?
_Nós estavamos conversando, sobre vários assuntos e eu não sei como foi... de repente estavamos nos beijando! _Ele cobriu o rosto com as mãos, sorrindo.
_Você está gostando dela Mike?
_Não sei... Estou?
_Pela cor que está em seu rosto e pelo brilho que esta em seus olhos...hum... acho que esta! _Disse analizando seu rosto com as mãos.
_Ela tem sido tão companheira, tem estado por perto em todas essas horas difíceis, eu gosto de estar perto dela... e... e ela é tão bonita!
_Ela esta te fazendo bem não é?
_Acho que sim Lily!
Ficamos conversando ainda por um tempo, até que Michael voltou para seu quarto, eu deitei na cama, me enrrolei dos pés a cabeça e fiquei pensando naquela conversa, eu senti um pouco de desapontamento, um pouco de raiva, um pouco de tristeza... como assim, Lisa tem sido tão companheira? Tem estado perto nas horas dificeis? E eu? Onde eu estava nessas horas? Eu senti um nó na garganta, meus olhos começaram a arder, alguns soluços começaram a sair sem querer, que droga! Porque eu estava sentindo aquilo, o que está acontecendo, meu Deus? Eu não posso admitir, eu não estava com ciúmes de Lisa... eu não estava gostando de Michael... não podia... senti uma enorme vontade de abraçar alguém.

17 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Ter Nov 08 2011, 10:19

Maria Cecília Bad

avatar
Super Fã Veterano
Super Fã Veterano
Hummm lisa sempre se dá mal.

18 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Ter Nov 08 2011, 12:46

julyjackson

avatar
Super Fã Veterano
Super Fã Veterano
Oi Lili ......comecei a acompanhar sua fic hoje....

flor....parabéns.....fiquei tão compenetrada nesse primeiros
capitulos.....show....!!!!!


estou agorando e aguardando mais..........

bjs

19 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Ter Nov 08 2011, 13:09

Mii

avatar
Fics
Fics
Lisa, lisa, lisa, sempre a Lisa Razz


_________________________
•Always Keep The Faith•

Michael • Marilyn Monroe • Ian Somerhalder
Sunshine, On In a Million

Let me stick my key in your ignition babe

20 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Qua Nov 09 2011, 11:39

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Em fim, Michael assumiu o namoro com Lisa e eu não podia negar que ele estava feliz e recuperado. Nós haviamos voltado para Neverland e ela não saia de lá. Eu tinha que ficar vendo os dois, andando de mãos dadas, sorrindo, brincando e se amando. Lisa estava realmente apaixonada por Michael, dava para ver nos olhos dela, era um amor protetor, ela tentava afastá-lo de tudo e de todos, a principio, Michael estava adorando, ele também estava apaixonado por Lisa, e nunca tinha assumido um compromisso sério com ninguém. Lisa era uma pessoa muito gentil, mas não se relacionava muito com nenhum empregado, por ser filha de quem era e agora namorada do rei do pop, ela tinha naturalmente um ar de superioridade que tornava a vida dela muito mais fácil, e difcil a vida de quem estava a sua volta. Comigo, ela nunca havia passado de um “oi”, ou um "bom dia" e “obrigado”. Talvez por influência dela, a familia Jackson passou a visitar o rancho constantemente, Lisa e Janet eram amigas e isso acabou facilitando. Quando estava em Neverland, Lisa ficava quase o dia todo trancada no quarto de Michael e quando viajavam, é claro que eu não ia junto. Percebi que eu não era mais tão importante para Michael assim, percebi que o centro da vida dele, agora tinha uma estrela maior, que ofuscava a minha pequena faísca de luz. Passei a sair mais, como não conhecia muita gente, estava sempre com Jonh Branca, que era sempre muito gentil comigo, decidi que naquele ano eu iria para o Brasil e quem sabe ficaria lá mesmo, Michael não precisava mais de mim, eu repetia o tempo todo.
No final do ano, houve uma pequena recpção em Neverland e toda a familia Jackson esteve presente, mesmo não celebrando o natal por causa da sua religião, Dona Kate, foi só para ficar ao lado do filho que ela tanto amava. É claro que Lisa também estava lá e os filhos dela também, Michael estava derretido e feliz, era tudo que ele sempre sonhou: sua mãe ao seu lado, crianças e... um grande amor.
Jonh Branca também esteve lá, e foi justamente nesse dia que ele tentou me mostrar que no mundo não existia só Michael Jackson.
Eu estava cansada de ver Michael quase se quebrando nos abraços de Lisa e aquele sorriso estonteante que insistia em ficar no seu rosto, estava me deixando nervosa. Saí da casa principal e fui respirar um pouco de ar puro, sentei-me na borda do lago artificial que ficava bem em frente a casa, abraçei meus joelhos tentando me aquecer um pouco, o frio estava marcando presença naquela noite, eu estava virada para o lago, tão pertinho que se esticasse a perna, tocaria nele, perdida em meus pensamentos, notei quando alguém sentou-se ao meu lado:
_É impressão minha, ou a moça bonita está triste?
_Hã? o...oi Jonh!
_Porque você está aqui sozinha?
_Nada não Jonh, eu só estou lembrando da minha família!
_Alguém já lhe disse que na noite de natal é proíbido ficar triste?
_Mas eu não estou triste Jonh, já disse, é só saudade! _ Falei esboçando um sorriso.
_Bem vinda ao clube Lily! Agora você está percebendo que quando trabalhamos para o Sr. Jackson, acabamos de uma certa forma presos a ele. _ Jonh falou colocando uma das mãos em meu joelho.
_Mas o importante é que ele está feliz não é? _ Coloquei uma das minhas mãos em cima da mão de Jonh.
_Mas não é só isso que importa Stª Lily, você tem que procurar ser feliz também, você é uma moça tão bonita, já está a quanto tempo aqui? Três anos?
_Quase quatro Jonh! _ Falei olhando para baixo, ele segurou em meu queixo e me fez olhar em seus olhos:
_Então, já esta na hora de você se divertir um pouco, se soltar, conhecer o que há fora desses portões, se permitir posso te ajudar! _Jonh aproximou-se mais de mim, fechou os olhos e tocou os lábios nos meus, eu fiquei imóvel, enquanto ele me dava suaves selinhos:
_Jonh, eu... _Ele chegou mais perto, afagou meus cabelos perto da nuca, puxou-me de leve e me beijou, eu retribui o beijo, Jesus, onde eu estava com a cabeça?
Depois de um beijo longo e suave, nos afastamos um pouco, confesso que senti algo estranho dentro de mim:
_Jonh?
_Lily? _ Ele repetiu imitando o meu tom de surpresa. Rimos daquela situação e ficamos sem saber o que dizer até que Jonh quebrou o gelo:
_Puxa, Er... fiz alguma coisa errada?
_Não! Não sei... quer dizer... sei lá, Jonh! _Eu estava confusa.
_Eu gosto de você Lily, já faz um tempo que percebi isso, mas estava esperando uma oportunidade de te dizer. Fique comigo Lily, me dê seu coração de presente!
_Jonh, eu não posso me envolver... não quero, tem o meu trabalho e ...
_Isso não é desculpa, Lily! É porque existe outra pessoa?
_Não! _Eu quase gritei. _Não existe ninguém!
_Então? _Ele aproximou-se novamente. _Vamos nos dar essa chanse, por favor!
Me rendi novamente aos lábios de Jonh, o que eu tinha a perder? Eu era solteira, tinha meu trabalho, embora presa a Michael, eu era independente, Jonh poderia ser a saída para esqueçer aquela loucura, ficamos abraçados, aqueçendo nossos corpos do frio que vinha das colinas de Neverland, até que eu disse:
_Acho melhor nós entrarmos!
_Não podemos ficar mais um pouco? - Ele apertou minha cintura.
_Não Jonh, Michael pode sentir nossa falta! _Falei empurrando-o de leve.
_Michael não é o seu dono Lily! _ Ele me deu outro selinho.
_Eu sei. Mas ele é meu patrão e meu amigo, essa festa é dele, e nós, Sr. Jonh Branca, somos convidado. _Levantamos de mãos dadas, e antes de voltarmos para a casa ele segurou meu braço e disse:
_Promete que amanhã vamos conversar?
_Amanhã vamos conversar! _Ele beijou a palma da minha:
_Quer ir na frente?
_Pode ser, te vejo lá dentro.
A noite passou e tudo correu bem, havia muita alegria nos olhares de todos, e embora as carícias entre Michael e Lisa ainda me incomodasse, bastava olhar para Jonh, para pelo menos sentir um pouco de conforto. Passei então a namorar com Jonh Branca, ele estava realmente apaixonado por mim, e eu gostava da segurança que sentia, quando estava ao seu lado. Michael passava cada vez mais tempo com Lisa, e embora os trabalhos aumentassem, com a produção de clipes do álbum Dangerous, a vida pessoal de Michael agora tinha uma outra protagonista e eu havia sido rebaixada como figurante.
Arrumei tempo para estudar, e fiz um curso de pós graduação na University of Southern California. Minha vida era corrida, mas a noite sempre escapava para ficar com Jonh.
Agora amiga leitora, preciso contar uma parte da minha vida que evitei falar até então, talvez por vergonha... quem sabe. Primeiro prometam que não vão rir de mim! Vamos lá, prometam! Então tá. Isso não era uma coisa comum de acontecer, nem naquela época, mas a verdade é que aos vinte e quatro anos eu ainda era virgem. Por convicção, por educação, por achar que a pessoa certa vinha com um rótulo na testa se indentificando, ou mesmo por não ter tido oportunidade, mas em abril, eu me rendi aos apelos de Jonh e me entreguei a ele. Não vou contar detalhes, apesar de ter sido muito bom, hoje existe um amor maior que apagou da minha memória tudo que vivi com outra pessoa, o que preservo em meu coração é uma enorme gratidão por Jonh, hoje meu grande amigo, por ter me ensinado com tanto amor e paciência, o caminho para o prazer, embora gostando de Michael, foi nos braços de Jonh que eu me tornei mulher.

21 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Qua Nov 09 2011, 12:45

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Depois de muita insistencia, consegui convencer Michael de que eu realmente precisava ir ao Brasil, meus pais cobravam muito e agora não dava mais para adiar.
_Quanto tempo você pretende ficar lá? _Perguntou Michael em uma rara manhã em que tomavamos café juntos.
_Não sei chefe! Quanto tempo o Sr. acha que posso ficar? _Ele riu.
_Ah Lily, você sabe que eu preciso de você aqui!
_Mas Mike é a minha família, eu não os vejo a quase quarto anos!
_Está bem Lily! Você pode ir então. Uma semana tá bom?
_Uma semana??? Ah, não, é muito pouco Michael!
_Pouco? Como assim?
_Eu estava pensando em um mês!
_Hã?? mas quem vai cuidar de mim?
_Pelo que eu vejo Mike, você está em boas mãos agora, e não são as minhas!
_Você esta falando de Lisa?
_Sim. Ela agora é quem cuida de você, das suas roupas, da sua alimentação...
_É impressão minha ou eu tô vendo uma ruguinha de ciúmes, bem aqui? _Michael disse colocando o dedo indicador em meu olho direito.
_Claro que tô com ciúmes! _Eu tinha que ser o mais natural possível. _Estou vendo meu bebê crescer e me deixar para trás, você queria o que? _Ele riu e segurou a minha mão.
_Você não precisa ter ciúmes de Lisa, você sabe que é a mulher da minha vida, ninguém vai tomar o seu lugar, você vai estar sempre do meu lado, me ajudando, cuidando de mim e dos filhos que Lisa e eu vamos ter, sempre!
Aquelas palavras, apesar de estarem carregadas de carinho, machucavam como canivetes afiados, Michael tinha ídeia de quanto eu o amava, só não sabia qual era a intenção do meu amor.
_Eu já te disse que você tem olhos lindos? _Ele falou passando a mão em meu rosto.
_Um milhão de vezes!
_E já disse o quanto me amarro nos seus cachinhos?
_Dois milhões de vezes! _Ele gargalhou, lindo, como sempre.
_Eu te amo, minha Sininho! _ Falou docemente.
_Também te amo, meu bebê!
_Mas não esqueça que eu te amo mais! _Ele levantou e entrou saltitando, e eu fiquei parada no tempo, Ah Michael, como eu queria que você me amasse da mesma forma que eu te amo.
Ficou decidido então que eu ficaria vinte dias no Brasil, e no mesmo mês embarquei para matar a saudade que me consumia. Confesso que esses quatro anos vivendo nos EUA me fez amadureçer fisíca e emocionalmente, eu estava me sentindo mais bonita, mais segura, e mais importante, não posso negar que chegar ao meu País com a bagagem que estava levando, me trazia um pouco de orgulho e uma pitadinha de superioridade, eu havia saído de lá como uma idiota, apagada, que caiu nas lábias de um artista excêntrico, e que mais cedo ou mais tarde voltaria com a cara quebrada. Eu voltei, mas ao invés de cara quebrada, eu estava feliz e realizada. Eu levei fotos, agenda, vídeos, cd´s e posteres de Michael autográfados, tudo para que ninguém tivesse dúvidas de que eu realmente havia me tornado o braço direito de Michael Jackson, também tinha dinheiro, que modestia a parte, não era pouco, dinheiro que eu recebia pelo meu trabalho e que pretendia comprar uma linda casa para os meus pais, no litoral, como eles sempre sonharam. Jonh ficou feliz por eu está indo visitar minha família, ele até cogitou a possíbilidade de ir junto para conhecer meus pais, mas eu achei melhor deixar para a próxima vez, meus pais eram conservadores e eu tinha que prepara-los primeiro, embora eles já soubessem sobre nós.
Foi uma delícia, pisar em solo brasileiro, especialmente em minha cidade ensolarada, parece até que ela tinha ganhado cheiro e gosto. Meus pais e minha irmã estavam a minha espera, foi lindo, abraços, beijos, lágrimas... saudades. Em casa, uma comitiva me esperava, amigos, primos, tios, todos curiosos para “conhecerem” a nova Lily Angel, depois de responder uma enchorrada de perguntas, a maioria sobre Michael é claro, e de mostrar tudo que eu havia trazido, ninguém teve mais dúvida, eu era uma pessoa importante e admirada, e eu gostava disso. No dia da minha chegada, Michael ligou umas três vezes, e toda vez que isso acontecia, eu colocava o celular no viva voz, já que ninguém entendia, exceto o meu pai, o que ele estava falando, a minha família entrava em delirio quando ouvia a voz de Michael. Durante a minha estadia no Brasil, resolvi algumas coisas, visitei amigos, me divertir, e logo na primeira semana, consegui negociar a compra da casa dos meus pais, era uma casa linda, grande e bem estruturada, como eu sempre sonhei, piscina, área verde, muito bonita mesmo, ela ficava em Costa do Sauípe, lindo lugar no litoral da Bahia. Durante o dia, Michael ligava para mim, cinco ou seis vezes, as vezes, ele perguntava por coisas que não conseguia achar, as vezas ele me ligava para falar sobre Lisa e o que eles estavam fazendo, outras vezes ele apenas dizia que estava com saudade da minha voz, a noite era a vez de receber ligação de Jonh, ele sempre ligava no mesmo hórario, e nós ficavamos conversando até tarde, sinceramente, eu não sei qual telefonema me deixava mais feliz, se o de Michael ou o de Jonh.
Quinze dias depois de eu estar no Brasil, Michael me ligou quando eu havia acabado de almoçar, eu já estava estranhando por ele ainda não ter ligado até aquela hora:
_Hi, Lily! Como você está?
_Estou bem Mike? E você? Esta se comportando direitinho?
_Bem acho que sim, mas eu preciso te falar uma coisa! _Eu senti um certo receio em sua voz.
_Pode falar querido, aconteceu alguma coisa?
_Lisa e eu vamos nós casar e eu preciso que você esteja aqui!
Eu quase afundei no sofá com aquela notícia, meu Deus, Michael e Lisa iriam casar, eu senti o chão fugir dos meus pés, meus orgãos internos parece que estavam se misturando dentro de mim, meu coração parecia que ia romper o meu peito e sair correndo para fugir daquela situação.
_Lily? Você ouviu o que eu falei? _Ele estranhou meu silêncio.
_Er... eu ouvi, Mike. Você... você e Lisa vão casar?
_Decidimos isso ontem, eu a pedi em casamento e ela aceitou, eu vou ter a minha família Lily, a minha família! _Ele começou a ficar entusiasmado.
_Que bom Mike, er... eu estou feliz! Quando eu voltar vamos cuidar disso certo?
_Não, não dá tempo!
_Não?? vocês já marcaram data?
_Já, Lisa não quer festa, por causa de seu divórcio recente, eu acho que é melhor assim, não quero a imprensa em cima de nós.
_Michael e você não me contou nada?
_Mas eu estou te contando agora Lily!
_Depois de tudo acertado?
_Oh Lily, não faz isso, eu preciso de você, estou tão nervoso.
_Jonh não está ajudando você?
_Sim, ele providenciou os papéis, mas... mas eu quero você aqui!
_Está bom Michael! Eu volto antes do casamento. Qual é mesmo a data?
_Dia dezoito, vamos viajar e nos casar for a do País.
_Vocês estão com pressa não é? Tudo bem, vou ver o que posso fazer.
O Teto desabou sobre minha cabeça, fiquei mal o dia todo, chorei escondido até minha cabeça ficar a ponto de explodir, mas afinal o que eu esperava, Michael e Lisa eram solteiros, ricos, famosos e apaixonados, eu não podia querer que as coisas fossem diferentes, minha vida estava muito longe de alcançar aquele amor.
Voltei para os EUA e viajamos para a Republica Dominicana, onde Michael e Lisa se casaram em um quarto de hotel, sem festa, sem alarde e sem ninguém da familia presente, alías ninguem sabia desse casamento, apenas Jonh e eu estavamos presente, alem do juíz de paz, para sermos testemunha. Naquela noite eu chorei mais do que tudo na minha vida, foi duro ver o sorriso maravilhoso que Michael estampava no rosto, no final, um beijo apaixonado. Depois da cerimônia, deixamos os dois sozinhos, eu e Jonh, fomos dar uma volta, jantamos, mas nada conseguia arrancar um sorriso de mim, Jonh começou a notar que havia algo de errado, mas eu não conseguia disfarçar a minha tristeza, de volta ao hotel, ele ainda tentou se aproximar, me fazer carícias, ma amar, mas eu não permitir que ele me tocasse, eu não podia, não nessa noite:
_Lily, você está assim por causa do casamento de Michael? _Jonh perguntou franzindo a testa, eu senti um frio na espinha, queria dizer que sim e chorar nos braços dele, mas as coisas não podiam ser assim, eu não podia magoá-lo e esperar compreenção:
_Não Jonh, eu estou feliz por Michael, mas é que... sei lá! _Eu ainda procurava uma desculpa. _É que eu queria ter ficado um pouco mais com minha familia! _Algumas lágrimas correram em meu rosto, senti ele ferver, Jonh aproximou-se mais de mim, enlaçou minha cintura e me puxou para seu peito afagando meus cabelos:
_Lily, você está ardendo em febre! _Ele falou assustado, afastando-me para olhar meu rosto, eu voltei a me abraçar nele e afundei meu rosto em seu peito:
_Jonh, cuide de mim, eu preciso tanto de você!
Ficamos juntos e Jonh me tratou com toda dedicação e carinho de um homem apaixonado, não era justo o que meu coração estava fazendo comigo, nem muito menos com Jonh.

22 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Qua Nov 09 2011, 13:29

Mii

avatar
Fics
Fics
Tadinha da Lili


_________________________
•Always Keep The Faith•

Michael • Marilyn Monroe • Ian Somerhalder
Sunshine, On In a Million

Let me stick my key in your ignition babe

23 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Qui Nov 10 2011, 08:23

julyjackson

avatar
Super Fã Veterano
Super Fã Veterano
AHH Lily, pq vc não abre seu coração pro Michael.....


eu sei q o John esta sendo incrivel com vc, mas não é justo vc ficar
enganando ele e a vc msma.

coragem mulher ..... diz oque o seu coraçao ta pedindo...


linda florzinha, to amando, continua estou ansiosa!!!

bjs

24 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Nov 11 2011, 08:47

CarlinhaJacksonMJ

avatar
Super Fã Veterano
Super Fã Veterano
cheguey e não tenho nem palavras.. sua fic é lindaaa .. poxa tadinha da Lily Sad o Jonh é tão bozinho..gosto muito dele tomara que mais pra frente ele encontre alguém que realmente goste dele..e o Mike ai eu adoro amooooooooooooo ve-lo assim radiantee,mesmo sabendo que logo vai acabar..anciosa pro Mike ficar com a Lily..
a Lily da fic é vc ne? espertinha kkkkkkk se colocou como a principal so pra pegar o Mike hehe de boba não tem nada

Continuaa amore,adorando a fic

25 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Nov 11 2011, 13:51

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Carlinha, é meio complicado, mas essa Lily não sou eu não, ela se parece muito comigo, tem muita característica minha, mas quando eu estou escrevendo, não estou falando de mim e sim da minha personagem.

Que bo que você está gostando, então vamos formar uma corrente para Lily, para que tudo dê certo para ela. Bjos!

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 13]

Ir à página : 1, 2, 3 ... 11, 12, 13  Seguinte

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum