Seja bem-vindo (a) a sua Neverland virtual!

Aqui você encontrará tudo sobre o anjo e homem Michael Jackson e também poderá conhecer pessoas com os mesmos gostos que você. Irá conviver e aprender muito mais sobre este artista e ser humano maravilhoso que é Michael Jackson!

Faça parte da nossa família você também! Michael Jackson não é só um cantor e sim uma filosofia de vida!

------- Equipe Neverland -------

Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

[FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes

Ir à página : Anterior  1, 2, 3, ... 11, 12, 13  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 2 de 13]

26 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Qui Nov 10 2011, 08:23

julyjackson


Super Fã Veterano
Super Fã Veterano
AHH Lily, pq vc não abre seu coração pro Michael.....


eu sei q o John esta sendo incrivel com vc, mas não é justo vc ficar
enganando ele e a vc msma.

coragem mulher ..... diz oque o seu coraçao ta pedindo...


linda florzinha, to amando, continua estou ansiosa!!!

bjs

27 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Nov 11 2011, 08:47

CarlinhaJacksonMJ


Super Fã Veterano
Super Fã Veterano
cheguey e não tenho nem palavras.. sua fic é lindaaa .. poxa tadinha da Lily Sad o Jonh é tão bozinho..gosto muito dele tomara que mais pra frente ele encontre alguém que realmente goste dele..e o Mike ai eu adoro amooooooooooooo ve-lo assim radiantee,mesmo sabendo que logo vai acabar..anciosa pro Mike ficar com a Lily..
a Lily da fic é vc ne? espertinha kkkkkkk se colocou como a principal so pra pegar o Mike hehe de boba não tem nada

Continuaa amore,adorando a fic

28 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Nov 11 2011, 13:51

lili angel


Fã Dedicado
Fã Dedicado
Carlinha, é meio complicado, mas essa Lily não sou eu não, ela se parece muito comigo, tem muita característica minha, mas quando eu estou escrevendo, não estou falando de mim e sim da minha personagem.

Que bo que você está gostando, então vamos formar uma corrente para Lily, para que tudo dê certo para ela. Bjos!

29 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Nov 11 2011, 14:29

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado


Me escondi
Pra não ter que ver você dizer
Coisas que eu não merecia ouvir
Era você ou eu

Escolhi
O pior lugar pra me esconder
Me tranquei por dentro de você
E não sei mais sair

Pela rua penso em ti
Volto em casa, penso em ti
No trabalho sem querer
Quando vejo tô pensando em você
E surgi de onde eu não imaginei
E aprendi que eu nunca sei
Enganar meu coração

Escrevi frases soltas pelo chão
Esperei você dormir
Pra jurar minha paixão

Escolhi
O pior lugar pra me esconder
Me tranquei por dentro de você
E não sei mais sair

Pela rua penso em ti
Volto em casa, penso em ti
No trabalho sem querer
Quando vejo tô pensando em você
E surgi de onde eu não imaginei
E aprendi que eu nunca sei
Enganar meu coração

Escrevi frases soltas pelo chão
Esperei você dormir
Pra jurar minha paixão










Capitulo IV
LISA ESTÁ NO COMANDO?

Ao voltarmos para Neverland, percebi que dali prá frente eu tinha que tomar mais cuidado com minha intimidade com Michael e com a casa. Todos estavam acostumados comigo dando as ordens e fazendo as coisas do meu geito, mas agora, Lisa era quem mandava em tudo. Derante os cinco primeiros meses, Michael e Lisa pareciam gemêos siameses, viviam grudados um ao outro, eles chegaram a passar dias em um dos chalés que existiam em Nevelrand, sem voltar para a casa principal, os filhos de Lisa estavam também na própriedade e ficavam na casa principal com a babá, eles eram crianças adoráveis, Danielli e Benjamim.
A familia de Michael estava inquieta, eles ouviam rumores sobre o casamento, mas Michael não queria que ninguém da sua equipe confirmasse nada, eu não achava aquilo correto, principalmente com Dona Kate, mas Lisa tinha conseguido afastar ele da familia outra vez, a mãe dela também estava desesperada com a notícia, mas Lisa falava com ela muito pouco porque sua mãe era definitivamente contra aquele casamento.
Todo mundo achava que aquele casamento, era um golpe para limpar a barra de Michael depois do desastre da acusação, mas quem estava acompanhando de perto, via que as coisas não eram assim. O fato era que quanto mais as coisas pareciam feias, mais a popularidade de Michael aumentava, ele estava a toda com o sucesso avassalador de Dangerous, e havia fechado mais um contrato bilionário com a EMI, logo ele não precisava de ninguém para limpar sua barra.
Michael estava gostando da sensação de anestesia que Lisa causava nele, indiscutivelmente, ele havia mudado em alguna aspectos, estava mais feliz, mais concentrado nele mesmo e parecia curado da enorme ferida que os pais de Jordie causaram. Lisa também parecia feliz, ele havia alcançado o seu objetivo, ser a salvadora da patría de Michael Jackson.
Depois de cinco meses de “lua de mel”, Michael e Lisa resolveram voltar a realidade, embora fosse uma realidade estranha para a maioria dos mortais, era assim que eles se sentiam bem e ninguém tinha coragem de contesta-los. Eles, embora casados, nunca moraram definitivamente na mesma casa, Lisa tinha uma pequena fazenda que ficava a 160km de Neverland, e era lá que ela e os filhos ficavam a maior parte do tempo. Michael continuava em Neverland. Talvez tenha sido por causa da fama, ou então por ter se tornado um quase “imortal”, mas a verdade é que Michael ainda era muito novo, vivia cercado de pessoas para fazer o que ele quisesse a qualquer hora, tinha dinheiro e poder, e isso as vezes o tornava inconsequente. Michael queria fazer o que lhe desse na telha, sem ter ninguém que ficasse contra, as vezes ele tinha vontade de sair sozinho, ou cercado por crianças, ele gostava de agir como elas, fazer o que elas faziam, era assim que ele se sentia bem. Lisa queria um homem, e acabou notando que seu marido, as vezes, ficava bem distante do que ela esperava. Quando Lisa estava na fazenda, Michael parecia se lembrar de mim, era como se ele precisasse de independência, mas ao mesmo tempo, queria alguém para cuidar dele, e isso ele sabia que eu fazia com prazer. Jonh, embora chateado, estava se acostumando em me dividir com Michael, ele a principio dizia que eu estava ajundando no estrago que Michael estava fazendo com sua vida, e que eu era protetora demais. Michael nunca se mostrou avesso a minha relação com Jonh, ele até havia dito que quando nós nos casassemos, ele fazia questão de entrar na igreja comigo, mas as vezes ele agia como se quisesse atrapalhar, talvez sem querer, ou não. Certa noite, eu estava no apartamento de Jonh, no centro da cidade, era fim de semana e nós tinhamos planejado ficarmos juntos, o clima estava perfeito para uma noite de amor, quando meu telemike* tocou, Jonh me olhou com cara de bravo:
_Lily, onde você está? _ Michael perguntou do outro lado com a voz rouca. Eu levantei da cama e fui para um canto do quarto.
_Mike? O que houve? _Perguntei abaixando a voz.
_Você pode vir aqui? _Eu lançei um olhar para Jonh e abaixei ainda mais a voz.
_Mike, você sabe que eu estou com Jonh! Eu estou no centro da cidade!
_Mas é que eu preciso de você!
_O que aconteceu Michael? _Perguntei com um pouco de ríspidez na voz, como uma mãe repreendendo um filho pequeno.
_Lisa e eu discutimos, eu não sei o que deu nela, só porque eu disse que pretendia ir a Disney com Jonny e Eduard, ela ficou furiosa!
_E com certeza, ela ficaria for a desse programa!
_ Mas, eu quero ir com meus amigos!
_Michael esses seus amigos teem onze e treze anos! Lisa é a sua esposa!
_Você está dizendo que eu estou errado?
_Não Mike, não é isso... mas você sabe... tem que tomar cuidado!
_Tudo bem Lily. Desculpa por eu ter ligado tá?
_Espera Mike...
_Tudo bem! Eu vou deixar você e Branca...
_Mike espera, não desliga...
Michael estava quase sussurando, ele sabia o que fazer para amolecer meu coração:
_Onde Lisa está agora?
_Ela foi para a fazenda com os filhos, e eu... eu... Ah Lily, eu estou me sentindo tão só!
_Michael olha, ai meu Deus, você me coloca em apuros bebê, tá bom Mike, eu vou ver o que posso fazer! Me espera!
A essa altura Jonh já estava vermelho de raiva, ele já sabia o que ia acontecer, não era a primeira vez:
_Isso é rídiculo Lily! É inacréditavel! _Ele disse levantando da cama.
_Calma Jonh, eu não tenho escolha, o que você quer que eu faça?
_Que você cuide da sua vida Lily! É apenas isso que eu quero que você faça! Michael é um homem e por sinal um grande homem, ele não é esse bebezinho que você acha!
Jonh era uma pessoa muito paciente, ele vivia sozinho nos EUA e era um advogado de sucesso, ele trabalhava para grandes estrelas e estava com Michael desde que ele começou sua carreira solo. Eles se davam muito bem, Michael confiava em Jonh de olhos fechados e Jonh sempre se empenhou ao máximo para conseguir grandes negócios para ele. Jonh sempre foi muito gentil, de fala mansa, olhar tranquilo, não gostava de discursões. Mesmo nervoso e com a voz meio alterada, ele fechou os olhos, respirou fundo e aproximou-se de mim:
_Lily, eu amo você, e você sabe disso, mas tá dificil. Você é muito submissa a Michael, as vezes eu chego a pensar que...
_Jonh, por favor!_Eu o interrompi colocando a mão em sua boca. Ele fechou os olhos outra vez.
_Você quer que eu te leve de volta não é? _Ele perguntou cansado.
_Você pode ficar lá também Jonh, Michael não vai se importar. Eu vejo o que ele precisa e depois ficamos em um dos chalés.
_Ai eu te espero, uma, duas, três horas, até o “seu bebê” resolver dormir, isso se ele não ficar acordado a madrugada inteira! Acho que não! É melhor eu voltar para cá.
_Mas Jonh, nós...
_Não Lily! _Ele engrossou a voz. Eu abaixei minha cabeça e sem dizer uma palavra me arrumei para ir embora. Durante todo o caminho Jonh e eu não trocamos uma palavra, eu odiava fazer aquilo com ele, mas não podia deixar de atender um pedido de Michael. Ao chegar, ele não quis descer do carro, mas antes de sair, ele puxou meu braço e disse:
_Lily, por favor, não faça isso conosco outra vez! _Ele falou tão delicado que me fez sentir um nó na garganta.
_Desculpa Jonh!
_Eu te amo...muito! _Eu não tive coragem de responder, apenas aproximei os lábios nos dele e dei um beijo demorado.
E era sempre assim, quando eu estava com Jonh, Michael me ligava e estragava tudo, eu sei que ele não tinha culpa, a única culpada nessa história era eu, que não tinha coragem para dizer não a ele. Eu vivia dividida entre os dois, suportando a angustia de ver o meu amado nos braços de outra. Depois de um ano de casados, Michael e Lisa comecaram a ter sérios problemas, Michael queria ser livre, mesmo gostando de Lisa, ele não queria ter que dar explicações do que fazia, e ainda havia uma questão que tinha se tornado uma obcessão, ele queria a todo custo ter filhos e Lisa não estava disposta a ser mãe outra vez, pelo menos não agora, já que ela pensava em seguir carreira como cantora. Uma noite em Neverland, eu já estava indo para meu quarto quando escutei no corredor a voz exaltada de Lisa, ela parecia chorar. É claro que tive vontade se saber o que estava acontecendo, mas o meu carater não permitia que eu ficasse ali ouvindo, então entrei, e esperei, talvez Michael viesse me pedir socorro. Para a minha surpresa, a noite passou e eu nem percebi, estava tão cansada que adormeci e só dispertei quando os primeiros raios de sol começaram a entrar pelas frestas da cortina, escovei os dentes e desci para providênciar a mesa para o café. Eu estava na cozinha com Tuddy e Cristin, a chefe de cozinha, quando Lisa entrou, ela parecia cansada e estava com olheiras, ela sentou-se na mesa central e pediu um café quente e sem açucar, eu fiz questão de servi-lá:
_Bom dia Lisa! _Eu disse para quebrar a tensão.
_Péssimo dia Lily, pelo menos pra mim! _ Ela respondeu, apertando seus olhos azuis e profundos.
_O que houve? você parece tão aborrecida. _ Perguntei sentendo-me a sua frente, eu tinha um pouco de liberdade para isso.
_É Michael e essa droga de casamento! _Ela desabafou sem se importar com as empregadas. _Eu estou cansada disso tudo, é muita pressão, eu não gosto de ser pressionada, cara, Michael é muito individualista, só pensa nele, na carreira dele, na droga dos filhos que ele quer ter, isso tudo é um saco! _Ela disparou furiosa.
_Calma Lisa, você sabe, tem que ter paciência com Michael, ele é um garotão, e com geitinho você consegue domá-lo!
_ Você tem tanta paciência com ele não é mesmo? _Ela fitou meus olhos.
_Temos que ter Lisa, se quisermos ajudá-lo, temos que ter paciência com ele!
_Definitivamente não! Ninguém tem tanta paciência com Michael como você! É incrivel, você sempre entende tudo que ele faz! Quer saber, acho que você é quem deveria ter se casado com ele!
_Imagina Lisa, o que sinto por Michael, é amor fraternal, quase como uma mãe!
_Por isso, só sendo mãe para aguentar aquela cabeça dura! Ai meu Deus, essa dor de cabeça está me matando! _ela colocou a mão na testa. _Lily, por favor, peça para Bill colocar as minhas malas no carro, elas estão no quarto de hospedes, eu vou voltar para a fazenda.
Depois de ajudar Lisa e de vê-la partir, eu fui para o quarto de Michael, Lisa não havia dito claramente o motivo da briga, mas eu podia imaginar que a coisa era séria.
_Michael, posso entrar? _Falei abrindo devagar a porta, Michael estava deitado, enrrolado dos pés a cabeça e apenas fez sinal de positivo com o dedo polegar. Eu entrei, sentei ao seu lado e puxei o lençol descobrindo-lhe apenas a cabeça:
_O que houve com você e Lisa, mais uma briga
_Lisa é uma egoísta, ela é mal!
_Mas porque você esta falando isso?
_Ela não quer ter filhos,você sabe o quanto isso significa para mim, ela também sabe, mas se recusa e fica brava toda vez que eu toco no assunto.
_Mas ainda é cedo Mike, vocês são novos, se amam, um dia vai acontecer.
_Eu não tenho tempo para esperar, eu quero ser pai, preciso ser pai, e se Lisa me amasse de verdade já teria feito isso. Eu não consigo entender como alguém já teve a experiência de ter um filho e não quer fazer isso sempre.
_Dê um tempo para Lisa Mike, as coisas não são assim!
_Eu já disse que não tenho tempo! _Ele cobriu a cabeça irritado. _Eu estou cansado Lily, não sei se quero mais!

30 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Nov 11 2011, 14:48

lilianrocha

avatar
Fics
Fics
a Lily da fic é vc ne? espertinha kkkkkkk se colocou como a principal so pra pegar o Mike hehe de boba não tem nada... Como assim??? A Lily sou eu...Lílian!!! lol!


_________________________
You remember a one day....One day in your life!!!


Cumprimentos.net - faça uma montagem de foto

31 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Nov 11 2011, 16:44

Mii

avatar
Fics
Fics
HAHAHAHAHA Michael estava igual um criança enrolada nos lençóis Razz


_________________________
•Always Keep The Faith•

Michael • Marilyn Monroe • Ian Somerhalder
Sunshine, On In a Million

Let me stick my key in your ignition babe

32 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Dom Nov 13 2011, 13:29

Mii

avatar
Fics
Fics
Comunicado!

Nosso Café Literário já tem uma nova autora esperando as perguntas de vocês!
Aproveitem e façam suas perguntas.


Clique
Café Literário


_________________________
•Always Keep The Faith•

Michael • Marilyn Monroe • Ian Somerhalder
Sunshine, On In a Million

Let me stick my key in your ignition babe

33 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Seg Nov 14 2011, 08:43

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Oi minhas amadas! Bom Dia!

Quero fazer uma correção, a Lily da minha fic, é a lilianrocha!

Ela assumiu o papel... e pronto!

Desculpas Lilian, já concertei!

34 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Seg Nov 14 2011, 12:33

julyjackson

avatar
Super Fã Veterano
Super Fã Veterano
Essa Lisa é uma doida de pedra pra não querer ter um filho com esse
homem incrivel....

é isso ai Michael, da um pé na bunda dessa ai...kkkkkk e fica comigo!!!

kkkkkkkkkkkk

florzinha to amando sua fic...bjs!!

35 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Seg Nov 14 2011, 15:10

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Oi minhas florzinhas, seus comentárioa me fazem tão bem! ai, ai Rolling Eyes

Vamos lá.


As brigas aumentavam constantemente, e agora havia outro agravante, toda vez que discutia com a esposa, Michael arrumava as malas e sumia sem que ela soubesse onde ele estava. As vezes eu tinha vontade de ligar para Lisa e avisar onde ele estava, já que todas as vezes ele me leveva a tiracolo, mas eu era fiel demais e uma coisa eu ouvia desde pequena: “ em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher!” Lisa ficava furiosa, e quando Michael voltava, ela soltava os cachorros, e ele ficava cada vez mais desanimado com aquelas discursões. Eu não achava correto as atitudes de Michael e uma vez, quando nos haviamos viajado para a Austrália, eu cheguei a questioná-lo:
_Mike, porque você não avisou a Lisa que nós viriamos a Austrália? Eu tenho certeza que ela adoraria passar um tempo ao seu lado! _Ele tomava uma taça de vinho e não me olhou, nem muito menos respondeu, eu insisti:
_Ultimamente vocês teem tido umas discursões tão feias, eu acho que essa seria uma ótima chanse para acertarem os ponteiros...
_Lisa odeia cangurus! _Ele falou sarcástico, sem tirar os olhos da taça. _Agora chega tá Lily? Lisa está em Los Angeles e nós estamos aqui.
Diante dessas atitudes, como eu poderia dizer alguma coisa para Michael? Ele era o dono da sua própria vida e era poderoso demais para eu confrontar, a verdade é que eu tambem tinha um pouco de medo de contraríá-lo, não suportava a ideia de ficar longe dele e eu via que muitas vezes era exatamente isso que acontecia quando as pessoas tentavam confronta-lo, ele as afastavam e fim, essa minha atitude, eu confesso, me fazia passar por cima de muitas coisas e suportar a sangue frio. Quando voltamos aos EUA, duas semanas depois, eu soube que Lisa estava furiosa e havia até desejado que o avião explodisse no ar , levando Michael e eu para o inferno, eu fiquei muito assustada com a tal declaração dela. Ao contrário de Michael, eu sempre avisava a Jonh para onde eu ia, com quem ia e o que iria fazer, mas a essa altura ele também não parecia tão paciente como sempre e ficava aborrecido com cada viagem, todo mundo questionava o fato que que Michael não levava a esposa, mas não abria mão da companhia de uma mulher, que por sinal era eu, mas todo mundo sabia, que ele sempre fazia essas viagens com pelo menos três ou quatro crianças, e eu quase sempre servia de babá para elas. Seria muito bom para mim se Michael enxergasse a nossa relação com metade da malícia com que os outros enxergavam, Ah como seria!
Logo quando voltamos, Michael recebeu a noticia de que faria parte de um especial de natal na HBO, onde ele seria homenagiado pela música “Childhood” , então voamos para Nova York, onde ele iria ensaiar, Michael nem teve tempo de avisar a Lisa que havia retornado, o clima entre eles estava horrivel e eu percebia que aquilo não estava fazendo bem para ele. Para mim, foi um momento de trégoa, pois Jonh, viria conosco porque Michael teria que assinar alguns papéis e a HBO exigia a presença de um advogado dele, eu estava no meio de um fogo cruzado, mas senti que as coisas poderiam ficar um pouco melhores para Jonh e eu... mas foi um grande engano.
Michael começou a ensaiar no teatro onde seria feito as apresentações, porém ele, que já estava chateado com sua relação com Lisa, ficou ainda pior, quando seu acessor de imprensa, que também estava conosco, mostrou a equipe uma manchete que havia saído no tablóide “The New York Post”, onde dizia: “Jacko Wacko, are in the city” “Jacko doido, está na cidade!”, Michael ficava enfurecido quando chamavam ele de “Jacko”, era uma maneira que encontraram para satirizar o nome dele:
_As pessoas não me respeitam, porque me chamam de doido? Eu não sou doido, essas coisas aborrecem, se não fosse pelos meus fans, saíria dessa cidade agora mesmo! _Ele dizia irritado, enquanto andava de um lado para outro.
_Calma Michael, você vai dar ouvidos a tablóides agora? É tudo lixo esqueçeu? Lixo encadernado! Todos tentavam tranquilizá-lo. Michael ensaiou dia e noite, por dois dias seguidos, sem se alimentar ou beber liquidos adequadamente, nós já estavamos acostumados a lidar com ele nessas situações, pois isso sempre acontecia quando tinha que fazer alguma apresentação, todo mundo já estava acostumado a me ver sair com bandejas de refeições intactas, depois dos berros de Michael.
A situação ficou tensa no inicio do terceiro dia de ensaio, Michael havia passado a noite inteira treinando um passo que ele achava que não estava perfeito, no fundo eu sabia que ele estava evitando parar para não pensar no que estava acontecendo com a sua vida pessoal. Eu havia saído para providênciar alguma coisa para tentar fazê-lo comer, quando voltei vi uma movimentação estranha no corredor que dava acesso ao palco, havia uma certa gritaria e agitação for a do normal, mesmo sem saber, eu presenti que algo havia acontecido com Michael, então corri em diração ao palco e ao chegar, foi como se alguém estivesse jogado baldes de gelo em minha cabeça, Michael estava caído no chão, enquanto pessoas gritavam e tentavam reanimá-lo, senti uma enérgia subita tomar conta do meu corpo, a vontade que tinha era voar e pousar exatamente onde ele estava, mas senti um braço forte impedindo-me de avançar, era Bill Brain, o chefe da segurança de Michael:
_Não Lily, não vá, já tem muita gente, ele vai ficar bem! _Ele conseguia me conter apenas com um dos braços.
_Mas Bill, é... é Michael!!!
_Eu sei, eu sei, calma vamos, tudo vai ficar bem!
_Mas o que houve? Eu preciso ver! _Eu ouvi sons de ambulância que vinha de longe, e logo entraram paramédicos, com macas e apatelhos nas mãos, eu aproveitei um momento de distração de Bill, e me desvencilhei do seu abraço forçado, cheguei perto, me ajoelhei ao lado de Michael, e segurei sua mão, ele não estava desacordado, mas parecia desnorteado, sua mão estava gelada:
_Mike, o que aconteceu? _Os paramédicos examinavam o corpo dele como se tivessem procurando agulha num palheiro.
_Mike, está me ouvindo? _ Ele virou devagar e olhou para mim com um olhar cansado, uma lágrima escorreu do olho até sua orelha esquerda, ele fechou os olhos.
_A Senhora é? _ Perguntou-me um dos paramédicos.
_Lilian, assintente do Sr, Jackson, o que houve afinal?
_O Sr. Jackson, está com arritimia cardíaca e apresenta um quadro visível de desidratação, vamos levá-lo para o hospital!
_É grave? _Perguntei com os olhos e o coração quase pulando para for a.
_Inspira cuidados, temos que ir agora. A Senhora irá acompanhá-lo?
_Eu vou com ele doutor! _ Frank, o acessor de imprensa, falou antes que eu pusesse responder.
_De maneira nenhuma Frank! _Eu disse. _Avise a Jonh, e tome as providências necessárias, eu vou com ele!
Michael foi levado para o Beth Israel North Hospital, e lá foi diagnosticado com uma forte infecção viral, e pressão baixa, ele foi examinado, médicado e levado a UTI para se recuperar. Meu coração estava inquieto, tudo havia acontecido tão derrepente, que parecia mentira, eu providênciei tudo que precisava no hospital, enquanto Jonh e Frank, avisavam a Lisa e aos Jackson o que havia acontecido. Uma hora depois, Jonh chegou no hospital e foi me encontrar na sala de espera. Quando o vi, atirei-me em seus braços aos prantos:
_Oh Jonh, ele está tão mal!
_Pisiu! Calma! Eu estou aqui! _Ele me apertava enquanto tentava me tranquilizar.
_Os médicos disseram que ele está com uma infecção grave e a pressão está baixa! Jonh, a culpa é minha, eu tenho a obrigação de mantê-lo bem, mas não o faço!
_O que é isso Lily? _ Ele me afastou para olhar em meus olhos. _Olhe para mim, não á nada disso, Michael não é criança, eu já disse isso mil vezes para você, não se culpe meu amor! _Ele voltou a me abraçar.
_Ah, Jonh, eu o amo tanto, não sei o que faria se algo de ruim acontecesse com ele!
_Eu sei Lily, eu sei! _Eu senti o coração dele descompassar em seu peito.
Em menos de duas horas, o hospital se tornou um caos, havia gente andando de um lado para outro, alguns membros da familia Jackson foram para lá, e os acessores estavam a toda tentando convencer Lisa de ir também. Alguns de nós ficamos no hospital, Dona Kate, foi levada por Jarmanie, La Toya e Rabbie, para o hotel, onde nós estavamos, ela precisava descansar, Jonh insistiu para que eu também fosse, já que Michael estava sedado e só acordaria de manhã, mas eu é claro não sairia de lá até que ele falasse comigo. Janet, Randy e Tito, também ficaram e foi nessa época que Janet e eu começamos uma grande amizade. Às três da manhã, todos decidiram ir para o hotel, tomar um banho, descançar um pouco e voltar bem cedo, mas eu fiquei de plantão. Michael havia ficado em uma área privada no hospital, onde havia um pequeno corredor na sala de espera com de duas folhas, que davam acesso ao quarto da UTI, havia uma janela fechada por um enorme vidro, que possibilitava, os médicos e as enfermeiras, estarem sempre de olho no paciente. Quando ficou apenas eu na sala, um dos médicos, que por sinal era um grande fã de Michael, permitiu que eu fosse até a janela e visse Michael e longe. Eu, nunca imaginei que veria o meu grande daquele jeito, eu já tinha visto Michael bem mal, quase morrendo, mas nada se comparava ao que estava vendo. Ele estava deitado inerte, pálido como uma cera, seus olhos embora cerrados, estavam fundos, meu Deus, como eu não tinha notado o quanto ele estava magro e frágil? Ele estava com um tubo de oxigênio na boca, e haviam vários fios ligados a aparelhos que faziam um barulho que angustiava, de vez em quando eu vinha e olhava, até que finalmente o dia resolveu me dar o ar da sua graça. As seis da manhã, o Dr. Magnum Walter, o cardiologista chefe do hospital, havia feito o primeiro checkup do dia, e veio me dizer como ele estava, já que ninguém ainda havia aparecido.
_Ele está instável, será preciso controlar a arritimia, mas a pressão está se normalizando bem, pode ficar tranquila Srtª Lilian, nosso astro ainda vai cantar e dançar muito para nós! _Ele brincou. _Ele pediu para que eu te chamasse, você pode ficar um pouco, mas evite fazê-lo falar muito, e nada de emoções, está certo?
_Tudo bem doutor, obrigado!
Eu entrei no quarto devagar, e o meu anjo estava da mesma maneira, mas agora seus olhos estavam abertos, e no lugar do tubo, havia uma máscara de oxigênio, ele tinha o olhar mais terno que eu já vi, segurei sua mão e susurrei baixinho:
_Bom dia meu anjo! _Ergui sua mão um pouco e dei um beijo demorado.
_Minha fada! _Ele sussurou por trás da máscara de oxigênio.
_Psiu! Não fale! Eu estou aqui... sempre! _Ele apertou minha mão e fez um gesto fraco, eu entendi que ele queria que eu o abraçasse, eu aproximei-me mais, beijei sua testa, afaguei seus cabelos e como não podia dar o abraço que queria, segurei seu rosto, ele fechou os olhos e eu encostei minha testa na dele, nossos rostos ficarm tão perto, era muito bom saber que ele estava ali.
_Mike, eu... eu tive tanto medo! _Algumas lágrimas vazaram dos meus olhos, e molharam a testa dele. _Nunca mais faça isso Mike, nunca mais! _Ele olhou para mim e sorriu com os olhos, eu sabia quando ele fazia isso, os seus olhos falavam, e eu sempre entendia o que eles queriam dizer.

O Dr. pediu para que eu saisse um pouco para que fossem feitos novos exames, e enquanto outros médicos entravam, eu observava tudo do vidro com cara de assustada, em um certo momento, Michael alcançou meus olhos e nós ficamos nós olhando atraves do vidro, o olhar dele me tranquilizava, e só me mostrava que quanto mais o tempo passava, mais eu o amava, quanto mais distante ele parecia, mais eu queria ficar ao seu lado. Eu não entendia, não conseguia acompanhar a velocidade com que aquele amor crescia, eu não queria, não podia, mas estava perdendo o controle daquele sentimento tão inusitado... o amor.





Ele une todas as coisas
como eu poderia explicar
um doce mistério de rio
com a transparência de um mar ?


Ele une todas as coisas
quantos elementos vão lá …
sentimento fundo de água
com toda leveza do ar


Ele está em todas as coisas
até no vazio que me dá
quando vejo a tarde cair
e ele não está


Talvez ele saiba de cor
tudo que eu preciso sentir
Pedra preciosa de olhar !
Ele só precisa existir
para me completar


Ele une o mar
com o meu olhar
Ele só precisa existir
pra me completar


Ele une as quatro estações
Une dois caminhos num só
Sempre que eu me vejo perdida
une amigos ao meu redor


Ele está em todas as coisas
até no vazio que me dá
quando vejo a tarde cair
e ele não está


Talvez ele saiba de cor
tudo que eu preciso sentir
Pedra preciosa de olhar !
Ele só precisa existir
para me completar


Ele une o mar
com o meu olhar
Ele só precisa existir
pra me completar


Une o meu viver
com o seu viver
Ele só precisa existir
para me completar.







36 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Ter Nov 15 2011, 15:03

Mii

avatar
Fics
Fics
Coitado do Michael.
E como ele consegue ser tão fofo, mesmo em uma situação como está? *-*


_________________________
•Always Keep The Faith•

Michael • Marilyn Monroe • Ian Somerhalder
Sunshine, On In a Million

Let me stick my key in your ignition babe

37 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Dom Nov 20 2011, 18:18

Mii

avatar
Fics
Fics
Comunicado!

O Café Literário já tem uma nova autora para ser entrevistada!
Convido vcs a darem uma passada por lá e conferir, aproveitem e façam suas perguntas!


Clique
Café Literário


Att, Equipe Neverland


_________________________
•Always Keep The Faith•

Michael • Marilyn Monroe • Ian Somerhalder
Sunshine, On In a Million

Let me stick my key in your ignition babe

38 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Dom Nov 20 2011, 20:22

lilianrocha

avatar
Fics
Fics
E aí, galera, a estréia é HJ!!! Até o dia 18/12/11, mandem suas fics pra concorrerem ao nosso I Concurso de Fics!!! Participem!!!


_________________________
You remember a one day....One day in your life!!!


Cumprimentos.net - faça uma montagem de foto

39 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Seg Nov 21 2011, 08:07

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Já passava do meio dia quando Lisa chegou ao hospital. Ela entrou pisando duro, e os seus olhos azuis, estavam vermelhos como fogo, todos da familia Jackson estavam na sala de espera e Lisa entrou sem falar com ninguém, ela foi levada ao quarto por uma enfermeira. Eu estava com Michael e quando Lisa entrou senti que a atmosfera havia se tornado pesada. Por um instante ela ficou parada na porta e encarou Michael sem dizer uma só palavra, ele também fitou os olhos nela, é claro que eu ia deixar os dois sozinhos, mas antes queria dizer para Lisa qual era o estado dele.
_Lisa...
_Lily, saía por favor! _Ela nem me deixou começar.
_Lisa é que... _Tentei insistir.
_Saia agora! _Ela aumentou o tom da voz.
Eu não tinha escolha, e mesmo se tivesse, não escolheria ficar, aquele era um momento só deles, e quem sabe tudo ficaria bem, embora para mim, a situação tinha chegado a um ponto onde não tinha mais volta. Depois de alguns minutos de conversa, começamos a ouvir os gritos de Lisa dentro do quarto, Dona Kate, levantou do sofá com cara de incrédulidade e todos começaram a se agitar, La Toya, euforica, perguntou:
_Que diabos ela pensa que está fazendo? Quem ela pensa que é para falar assim com meu irmão?
Os gritos de Lisa parecia cada vez mais altos, a agitação do lado de fora estava perdendo o controle, a vontade que eu tinha era entrar lá e arrastar Lisa pelos cabelos:
_Desculpem, mas alguém tem que fazer alguma coisa, o Sr. Jackson não pode se emocionar desse geito! _ Disse o Dr. Magnum.
_Eu vou entrar lá! _Dona Kate tentou soltar-se da mão de Marlon.
_Não mãe! Lily?! _Janet olhou para mim como se disesse “Faça alguma coisa”, então eu olhei para Bill, e fiz um sinal positivo com a cabeça, ele entendeu, andou firme em direção a porta e a abriu com energia, o Dr. Magnum o seguiu:
_Srª Jackson, por favor, retire-se! _Bill falou com Lisa, com um tom manso mais autoritário.
_Eu vou acabar com a sua vida, exatamente como você fez com a minha seu idiota! _Foi o que escutamos Lisa dizer.
_Srª Jackson, por favor! _O Dr. quase suplicou.
_Não se atrevam a colocar as mãos em mim! Enquanto a você Michael Jackson, espero que morra! _Ela saiu bufando como um touro.
Ao passar pela porta, Dona Kate, conseguiu segurar o braço de Lisa:
_Lisa, o que pensa que está fazendo? Você ficou louca? _Ela encarou a sogra por um instante, puxou o braço e saiu sem dizer nada. Enquanto todos invadiram o quarto para ver Michael, eu fiquei olhando Lisa entrar no elevador e sumir, respirei fundo, eu sabia que nunca mais a veria, ou pelo menos não por um bom tempo, era melhor assim, já que eu não podia dar a Michael o amor que eu queria, que pelo menos ele fosse amado e compreendido por alguem que soubesse fazer isso, e definitivamente, Lisa não sabia. Sentei-me no sofá e esperei a situação acalmar, eu não precisava fazer nada, pois sabia exatamente o que ia acontecer a seguir:
_Lily, Michael está chamando você! _Janet falou saindo do quarto enquanto passava a mão na testa suada.
Michael parecia calmo, mas os aparelhos que monitoravam seus batimentos cardíacos mostravam o contrário, todos estavam apitando rapidamente em sinal de alerta, enquanto o Dr. o examinava, obviamente ele havia chorado, pois seus grandes olhos amendoados estavam vermelhos e ainda molhados, eu aproximei-me da cama e coloquei minha mão em cima da sua, ele me olhou e puxou de leve a máscara do rosto:
_A magia acabou Lily! _Michael disse com voz fraca.
_Não Mike, a magia nunca acabará enquanto existirem fadas! _Ele não respondeu, apenas apertou minha mão, ninguém entendeu nada.
_Eu vou deixá-los um pouco a sós, mas Sr. Jackson, por favor evite mais emoções, nós precisamos controlar essa arritmia! _Disse o Dr. Magnum. _Eu quero te ver no palco, logo! _O Dr. susurrou no ouvido de Michael, ele sorriu timidamente. Todos saíram e ficamos apenas, Kate, Michael e eu.
_Eu não entendo, como Lisa pode ser tão egoísta? Ela quase me matou! Ele reclamava.
_Calma Michael, você precisa descançar agora! _Eu disse afagando seus cabelos.
_Filho, fique calmo, tudo vai ficar bem, eu prometo! _Kate segurou a outra mão dele.
_Mãe, ele desejou que eu moresse, e tudo que eu queria era um filho! Michael falava com uma dor enorme.
_Você vai ter seus filhos, Michael. Mais cedo ou mais tarde sei que vai! Kate alisava o rosto do filho.
Eu senti tanta pena de Michael, ele era tão poderoso, tão grande quando estava no palco e ao mesmo tempo era tão frágil, tão carente, Lisa podia dar tudo que ele queria, só não tinha paciência para isso, mas eu confesso, chego até a jurar que se ele me pedisse tal coisa, eu faria sem pensar.
Três dias depois, um pouco mais recuperado, Michael recebeu alta, e nós fomos para Neverland, Lisa deu entrada ao pedido de divórcio, e Michael estava livre outra vez.


CAPÍTULO V
DUAS GRANDES SURPRESAS


No dia que voltamos para Neverland, aconteceram coisas que me deixaram perplexa, passamos um dia tranquilo, eu providênciei para que ninguém incomodasse Michael. Dona Kate, Janet, La Toya e Rabbie, vieram conosco, elas queriam encher a estrela da familia de mimos e foi exatamente isso que fizeram, enquanto Michael estava nos braços das Jackson, eu fui me abrigar um pouco nos braços de Jonh. Eu estava fazendo de tudo para recompensá-lo pela minha ausência. Passamos o resto do dia em um dos chalés do rancho, o mesmo que ficavamos sempre, Jonh estava carinhoso e paciênte como sempre, nós namoramos, ficamos abraçados, conversamos, mas eu sentia que ele estava evitando ir além. O dia estava indo embora, o sol já tinha perdido seu dourado forte, e agora banhava a terra com raios laranjas, quase tocáveis. Jonh estava sentado na cama, encostado na cabeçeira, e eu estava toda encolhidinha, aninhada entre suas pernas, ele de vez enquando me apertava e inspirava em meu cabelo, de repente, virou-me lentamente para si, fitou os olhos nos meus e disse:
_Lily, você já parou para pensar no quanto eu sou apaixonado por você?
_Ah Jonh, você me deixa sem palavras!
_Mas é verdade! Eu te amo demais, não sei como, nem quando isso aconteceu, mas você conseguiu me fisgar direitinho e agora... eu não sei o que vou fazer sem você! _Ele beijou minha testa.
_Mas Jonh, porque você está falando assim?
_Por causa dos seus olhos. Talvéz eu esteja enganado e espero que esteja mesmo, mas a sua boca me diz uma coisa e seus olhos dizem outra!
_Eu não estou entendendo, Jonh!
_Michael!
_Michael?
_Está vendo? É por causa desse brilho que estampa seus olhos, toda vez que você fala de Michael!
_Jonh por favor! O que você está querendo dizer?
_Eu não quero dizer nada, são seus olhos quem dizem. Você pode até gostar de mim, mas é a ele que você ama.
Minha boca secou derrepente, senti uma forte pressão no estômago.
_Jonh, isso é um absurdo! Michael é meu amigo, por causa dele eu estou aqui, ele me deu a oportunidade de conhecer lugares, pessoas importantes, eu devo muita coisa a ele, você sabe Jonh, Michael tem um grande carinho por mim, e isso vai além da nossa relação entre patrão e empregada, ele confia em mim...
_Seria muito mais fácil para todos, se você assumisse o que sente! _Ele falou olhando para baixo.
_Você continua dizendo absurdos! _Eu afastei-me e levantei furiosa, aquela conversa estava me deixando desconcertada e nervosa, mesmo que ele tivesse falando a verdade, era uma verdade só minha.
_Eu não quero mais ouvir Jonh! Você morre de ciúmes de Michael, e eu já falei várias vezes que não tem motivos, eu sei que as vezes coloco ele em sua frente, mas não tenho escolha Jonh, Michael precisa de mim!
_E eu Lily? Você acha que não preciso? Você acha fácil para mim, ter que ver minha namorada, a mulher que amo, me deixar sozinho para atender os pedidos de outro homem?
_Jonh não é assim!
_É exatamente assim! Lily, Michael tem você como uma própriedade, eu o conheço há muito tempo, eu sei como as coisas funcionam no mundo dele, ele toma posse das coisas, as nomeiam como suas e pronto, e é assim com você, não importa o que ele sente, você é dele, Lily!
_Jonh, eu não acredito que você está falando essas coisas para mim!
Ele aproximou-se mais, segurou-me pelos cotovelos, e disse com a voz ríspida:
_Então olhe nos meus olhos e diga que você não ama Michael Jackson! Diga Lily! Vamos, diga que me ama e que pretende ficar comigo prá sempre!
_Jonh, isso não é necessário! Você Sabe...
_Eu não sei nada, mas estou querendo saber!
_Eu te amo Jonh!
_Mas não da maneira que eu te amo! _Ele soltou meu braço e andou em direção a cama, com a mão na testa.
_Eu não sei porque estou dizendo isso agora, mas a verdade é que estou cansado, é sempre Michael, sempre!
Jonh estava esgotado, ele já tinha percebido que eu amava Michael, acho até que sempre soube, mas evitava enxergar por me amar, talvez aquele fosse o momento de acabar com tudo, de deixá-lo livre para viver um grande amor, encontrar alguém que fosse livre, porque eu estava presa demais para isso.
_Jonh, olha pra mim! _Cheguei mais perto dele. _As coisas não precisam ser desse jeito...
_Lily! _Ele virou-se para mim. _Então case comigo, deixe de trabalhar para Michael, vamos morar em outro país, assim vou acreditar em você, vou acreditar que estou enganado, que você me ama...
_Não Jonh! Casar por capricho? Largar Michael sozinho? Jogar fora tudo que conquistei, tudo que ele me ensinou e viver pra sempre angustiada, por ter perdido uma grande amizade?
_Ou um grande amor!
_Já chega Jonh! Se você não é capaz de compreender a minha gratidão por Michael, então é melhor mesmo pararmos por aqui!
_Porque você nunca vai deixar ele por mim, não é?
_Não Jonh...Nunca!
Ficamos um tempo calados, olhando para direções opostas, meu coração estava despedaçado por causa daquela situação, eu estava sendo burra, idiota, estava deixando o homem que realmente me amava escapar pelas minhas mãos, e a troco de que? De um amor platônico, que eu sabia muito bem que jamais passaria disso.
_Lily, eu vou para a Ucrânia! _Ele falou ainda de costas.
_Hã? Quando Jonh? Fazer o que lá?
_Amanhã! Eu vou dar palestras em algumas universidades, vou passar seis meses!
_Jonh?! Mas... mas quando você decidiu isso?
_Há um tempo atrás, eu recebi essa proposta, vou ganhar muito bem e não vai interferir em meus trabalhos aqui, eu estava pensando em não aceitar por... mas agora acho melhor ir! -Ele engoliu seco. Eu fiquei sem palavras, não sabia mesmo o que dizer nem pensar, fiquei calada olhando Jonh, vestir a camisa, os sapatos, eu estava paralizada, por fim, ele pegou as chaves do carro, veio em minha direção, tocou de leve em meu rosto, deu-me um selinho e disse:
_Até a volta então! _Eu segurei seu braço.
_Jonh, mas e nós?
_Eu sei o que eu quero Lily, mas você precisa acertar alguns pontos aqui dentro! _Ele apontou para o meu coração. _Eu deixaria tudo para ficar com você, mas... deixa prá lá... eu...
_Eu gosto de você Jonh! _Falei sentindo meus olhos pesarem.
_Arrume as coisas Lily, quando eu voltar, nós conversamos tá? _Ele me beijou outra vez. _Eu te amo!
Jonh foi embora e eu fiquei com um vazio enorme no peito, a noite já havia caído e como sempre começou a fazer frio em Neverland, no caminho para a casa principal, passei pela “Dream Tree”, parei e fiquei pensando um pouco na minha bagunça de vida, dispertei com o toque de mensagem do meu telemike. Eu tinha um celular que ganhei de Michael e que só ele tinha o número, esse celurar só era usado para fazer ligações diretas para ele, foi ele mesmo quem deu esse nome: “telemike”.
Preciso de você!” Foi o que estava escrito na mensagem. Voltei para a casa principal e fiquei jogando conversa fora com Michael e as Jackson, mais tarde, depois que todos estavam bem acomodados, fui para o meu quarto, tomei uma ducha quente, vesti o meu enorme pijama de estimação e deitei em baixo do endredom grosso, a noite tinha esfriado bastante. Eu estava cansada, mais é impressionante que quanto mais cansada você esteja, mais a sua mente funciona, impedindo o sono de chegar, então sem escolha, pensei em Jonh e em tudo que havia acontecido naquele dia.
Eu não sei se o tempo passou ou se ele parou de vez, o fato é que em meio aos meus pensamentos, um visitante ilustre veio tirar ainda mais o meu sono. Eu cheguei até a pensar que estava sonhando, quando ouvi batidas leves e abafadas na porta do meu quarto, levantei-me cambalheando e quando abri, não me surpreendi com quem vi:
_Michael? O que houve?
_Acordei você? _Ele perguntou com as maçãns do rosto coradas.
_Não, eu não estava dormindo. Você precisa de alguma coisa?
_Lily, você se importaria se eu entrasse um pouco?
_Claro que não Mike, pode entrar.
Eu pensei em fechar a porta, depois achei melhor deixá-la aberta, meu Deus, eu estava tão desconcertada, e para me deixar ainda mais confusa, Michael deitou em minha cama e cobriu-se até o pescoço com o endredom.
_Feche a porta! _Ele disse susurrando.
Eu não sabia o que fazer, não sabia o que Michael queria, ele nunca tinha feito isso, as vezes durante a madrugada, ele me chamava até o seu quarto, nós ficavamos conversando, vendo filmes, mas ele nunca tinha vindo ao meu quarto a essa hora e muito menos deitado em minha cama. Mesmo insegura de como deveria agir, em caminhei lentamente e me sentei ao lado dele, minha cama era grande, como todas as camas da casa, mas naquele momento ela pareceu ter diminuido quase pela metade.
_Sua cama é mais macia que a minha! _Ele disse com um sorriso timido. Eu passei a mão em seu cabelo e perguntei:
_Você está sem sono não é?
_Como sempre Lily, como sempre! Mas... eu estou me sentindo tão só. _ A expressão do seu rosto mudou derepente. _Estou sentindo uma dor tão grande em meu peito!
_Eu posso imaginar querido, tem sido mesmo duro pra você esses dias! Eu continuava a acariciar seus cabelos.
_Eu... será que eu vou viver sozinho para sempre?
_Como assim sozinho Mike? Você nunca está sozinho, eu estou aqui, sua mãe, suas irmans, seus fans.
_Mas não é disso que estou falando. Eu queria ter a minha família, meus filhos, uma mulher para amar...
Os olhos de Michael encheram de lágrimas, a voz dele, tão mansa e suave, começou a falhar, as palavras pareciam entalar em sua garganta, ele escondeu o rosto com as mãos e não conseguiu conter o choro, meu coração foi invadido por uma dor extrema, pena talvez.
_Oh, Mike! Eu sinto tanto! _ O meu coração estava gritando e assumindo o controle da minha mente, quando dei por mim, estava deitada ao seu lado, e de frente para ele, o puxei levemente para mais perto de mim, ele não resistiu, e eu o fiz afundar o rosto sobre meu peito, ele aumentou a intensidade dos soluços e chorava copiosamente, eu o envolvi com meus braços e afagava cada vez mais o seu cabelo na região da nuca. Fiquei um tempo sem dizer nada, apenas ouvindo ele desabafar da única maneira que conseguia naquele momento, eu não conseguia pensar em nada, só sentia a dor aumentar cada vez mais em meu coração.
_Eu amo a Lisa! _Ele conseguiu dizer em meio ao choro, sem se afastar de mim. _Eu a amo tanto, não consigo entender porque ela quis que as coisas fossem assim...
Era impressionante, mas a dor em meu peito aumentava cada vez mais.
_Eu não queria que ela fosse embora... não queria que tudo tivesse acabado, eu estava tão acostumado com ela, oh meu Deus, as coisas sempre dão errado para mim...
Ele desabafou, falou tudo que queria, falou coisas que eu não queria e nem precisava ouvir, "Eu amo Lisa!" ele repetia, e eu não tinha nada a fazer. Depois de chorar por um tempo e ainda com o rosto colado em mim, Michael respirou fundo, passou a mão no rosto e me abraçou pela cintura, apertou e eu senti um choque da cabeça aos pés, eu retribui o aperto, ele levantou de leve a cabeça, deu um beijo rápido em meu pescoço e voltou a afundar o rosto em meu peito.
_Você é uma amiga muito especial! _Ele sussurrou.
Eu só podia está sendo muito castigada, por algo que tenha feito, não era possível, eu estava tão perto de Michael, mais ao mesmo tempo, tão longe, era como morrer de sede, tendo um copo d'água nas mãos, aquele cheiro, aquela textura de pele, aquele toque, aquele abraço... era castigo demais! E as palavras dele, falando sobre outra mulher... eu tinha perdido Jonh, e a vida estava me mostrando que eu nunca teria Michael, era castigo sim... só podia ser.
Michael pegou no sono, eu beijei de leve o alto de sua cabeça, tentei tirar meu braço e quem sabe me ajeitar na poltrona, mas ele se mexeu, e com medo de acordá-lo, desisti, ajeitei-me ali mesmo, repousei minha cabeça no travesseiro, bem perto dos cabelos de Michael, e em fim consegui dormir, com certeza por causa daquele cheiro maravilhoso que vinha da sua pele.
O dia amanheçeu e eu dispertei primeiro, nós estavamos da mesma posição, não nos mexemos nem um centimetro, esperei que ele acordasse, e não demorou muito para eu ouvir um gemido longo acompanhado de uma pequena agitação, ele havia acordado. Puxei meu braço de baixo da sua cabeça, ele me ajudou erguendo-se um pouco e voltou a deitar virando-se de peito para cima.
_Bom dia senhor! _Eu disse tocando em sua nariz.
_Eu dormi aqui? _Ele perguntou confuso.
_Exatamente, e ainda fez meu braço de travesseiro, da próxima vez, cobro aluguel. _Ele sorriu e virou-se para mim.
_Poxa, Lily, sinto muito! Abusei de você de novo não é?
_É sim Michael, mas pode abusar quantas vezes quiser tá? Eu adoro cuidar de você, é uma honrra, você sabe disso, afinal, amigos são para essas coisas não é mesmo?
_E você é uma grande amiga! Obrigado Lily! _Ele se aproximou e beijou meu rosto, depois virou-se e esticou o corpo espreguicando-se. _Ainda estou com sono! _Ele disse fechando os olhos.
_Pode ficar mais um pouco. Eu vou descer para providênciar o café da manhã. Fique quanto tempo quiser.
_Vou ficar sim, eu adorei a sua cama! _Ele brincou. _Ah, não deixe as outras mulheres da minha vida me incomodar tão cedo, ok? Elas me apertam tanto que fico com cara de maracujá velho!
_Ora Michael, o que é isso? _Achei graça da sua brincadeira. Levantei, e caminhei em direção a porta, antes de sair ele disse:
_Lily, eu tive uma noite muito tranquila, apesar de tudo! Foi muito bom desabafar, eu me senti protejido aqui com você. Obrigado tá?
_Não há de que! Sempre que precisar, sabe onde me encontrar. Amo você!
_Eu te amo mais minha fada!
Saí do quarto e o meu dia foi inundado por uma paz e uma tranquilidade sem igual, a beleza tomou conta de tudo, e até o dia amanheçeu ensolarado e quente, eu estava me sentindo ótima, eu não podia ter o que queria, mas o fato de ver Michael bem e em paz, já era tudo para mim, de alguma forma o meu amor me fazia pensar muito mais no bem estar dele do que o meu próprio.
E então, daquele dia em diante, Michael vinha todas as noites abrigar-se em minha cama, ele esperava a casa toda estar dormindo e depois vinha. Eu me acostumei, e sempre o esperava, as vezes nós ficavamos conversando a noite inteira, outras vezes dormiamos de frente um para o outro, abraçados ou não, dependia do estado emocional dele. Tinha vezes que ele não vinha, acabava dormindo em seu quarto mesmo, quando estavamos viajando, e estavamos hospedados em algum hotel, a rotina era a mesma, e ele passava mais noites comigo do que sozinho, aos poucos o banheiro do meu quarto em Neverland, foi tomado pelas coisas de Michael, escova de dente, cremes, perfumes, roupas, eu não era mais a dona magoritaria do meu quarto e Michael agora tinha dois.
Com o tempo os empregados, seguranças, amigos, funciónarios, perceberam que de vez em quando nós dormiamos no mesmo quarto, e mesmo sem saber o que "não" acontecia lá dentro, cada vem aumentava mais os rumores de que nós estavamos tendo um caso, mas ninguém nunca ousou a perguntar nem comentar nada comigo ou com ele. Michael nunca tocou no assunto de manter segredo sobre isso, mas eu fazia questão, pois não queria que ninguém pensasse mal de mim, embora fosse isso que acontecia. O fato era que quando Michael dizia que não via mal nenhum em dividir a cama com outra pessoa, estava falando sério mesmo, ele via isso com uma naturalidade tão grande que impressionava, ele não conseguia me enxergar como uma mulher, ele não imaginava o quanto era difícil pra mim viver a experiência de dormir na mesma cama que ele, mas eu não podia fazer nada, como Jhon disse, eu pertencia a Michael, e ele era meu menino, meu amor... minha vida.

40 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Seg Nov 21 2011, 12:26

lilianrocha

avatar
Fics
Fics
Engraçado, Lily, que na minha realidade, eu vivi um amor assim.....Igualzinho ao da Lilian da fic...


_________________________
You remember a one day....One day in your life!!!


Cumprimentos.net - faça uma montagem de foto

41 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Seg Nov 21 2011, 15:32

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado


CAPITULO VI

UMA NOVA VIDA




1996, Michael já estava totalmente recuperado do desastre que tinha sido seu casamento com Lisa, ele havia mergulhado de cabeça num novo projeto e não havia tempo para mais nada, apenas música, ele estava a toda preparando uma nova e incrível turnê que começaria em setembro daquele ano, a turnê HIStory.
Jonh havia voltado da sua viagem, mas como eu havia previsto, nós não reatamos, agora sem Lisa e com os preparativos para a turnê, Michael tomava muito mais o meu tempo, então resolvemos deixar as coisas como estavam. No inicio de janeiro, viajamos por toda a República Theca, onde iniciaria a primeira parte da turnê. Nesse tempo, Michael teve um problema de pele, Karen Fayer, notou que algumas pintinhas marrons, estavam se espalhando pelo seu corpo, então, apavorado, Michael viajava todo fim de semana para fazer um tratamento com o Dr. Arnold Klain, em Los Angeles, eu estava me sentindo muito bem, apesar de não ter dado continuidade a minha vida amorosa. Em uma das minhas idas com Michael para Los Angeles, eu fui até o centro da cidade fazer umas compras enquanto ele estava na clínica, fui até o Lakewood Center Mall, e estava distraída olhando vitrines quando senti alguém tocar em meu ombro, era uma senhora negra, gorda, ela estava muito bem vestida com cores africanas e usava um toço na cabeça:
_Desculpa, mas você não é Lily Angel? _Ela perguntou.
_Sou eu sim! _Respondi um pouco assustada.
_Oh, Lily, foi um milagre de Deus eu ter te encontrado aqui! Poxa, oh meu Deus! Obrigado! _Ela dizia vísivelmente euforica.
_Desculpa senhora, mas nós nos conheçemos?
_Na verdade você não me conhece, mas eu te conheço! Você não é a assintente de Michael Jackson?
_Ah, ok! Desculpe senhora, mas eu não dou entrevista e nem falo a respeito do Sr. Jackson...
_Não Lily, eu não sou repórter, pode acreditar, eu me chamo Norence, eu tenho uma ONG, e eu preciso muito de ajuda!
_Mas em que eu poderia ajudar?
_Primeiro me dando um pouco do seu tempo para que eu possa te explicar melhor como tudo funciona.
Eu não podia ficar ali batendo papo com alguem que não conhecia, principalmente porque essa pessoa tinha me reconhecido, era norma da segurança de Michael, mas quando aquela mulher disse que tinha uma ONG e que eu podia ajudá-la, me interessei, em saber do que se tratava, eu logo pensei em Michael, ele adorava essas coisas.
_Então, podemos conversar um pouco? _Perguntou a senhora.
_Tudo bem! Vamos tomar um café então.
Nós fomos até a praça de alimentação e sentamos em um café.
_Então Norence, de onde a senhora me conhece?
_Como assim? Você trabalha para Michael Jackson, está com ele em todos os lugares! _Ela sorriu ao falar.
_As vezes eu esqueço disso! _Retribui o sorriso.
_Bem Lily, como já disse, eu tenho uma ONG chamada “Hopefulness” (esperança) que trabalha com mulheres e seus filhos que foram rejeitadas, ou sofreram abusos por parte dos maridos, é uma ONG muito bonita mas também muito triste porque são mulheres sofridas, crianças traumatizadas, mas também é um lugar que oferece esperança a essas pessoas, ainda é muito pequena, nós enfrentamos dificudades, mas tentamos resgatar essas pessoas atravez do amor de Deus e da arte em toda forma.
_Isso é muito bonito, imagino que não é fácil também. Mas de onde veio essa ideia? _Eu me interessei por causa do entusiasmo dela.
_Eu e meus três filhos fomos vítimas de agressão por parte do meu marido. Eu vivi vinte anos sofrendo, agerssões físicas e emocionais, ele bebia, batia em mim e nas crianças, ele fazia as crianças irem para as ruas pedir esmolas e me prendia em casa para que não pudesse trabalhar, nós sofremos muito, até o dia em que eu dei um basta, pus um fim naquela situação, saí de casa com meus filhos, procurei um abrigo, consegui um emprego e depois fugi da cidade onde morava. Há dez anos atrás, quando consegui alugar uma casa, acolhi uma mulher que por conhecidência estava passando pelo mesmo que passei, e daí passei a fazer isso sempre e foi meio sem querer, mas hoje eu tenho a minha fundação... e a amo de verdade.
_Nossa que história! _Eu disse. _É mesmo muito bonito o que você faz, mas diga Norence, como eu posso te ajudar?
_É engraçado. _Ela riu. _Mas eu vivo caçando ajuda em todo lugar que vou... e eu simplismente amo Michael Jackson, acompanho aquele garoto desde os tempos dos Jackson Five, ele é ... _Ela colocava a mão na boca empolgada. _Ele é fantástico, e toda vez que via ele ajudar pessoas, aparecer em hospitais, ajudar crianças, eu dizia “um dia esse cara vai vir na minha ONG”, e hoje eu encontro você! Oh meu Deus! Isso pra mim é como achar um tesouro de pirata!
_Olha Norence. _Eu segurei as mãos dela em cima da mesa. _Você sabe, Michael é uma pessoa muito ocupada, é dificil para ele fazer tudo que tem vontade, eu não posso simplismente fazer com que ele vá a sua ONG, mas eu posso falar com ele a respeito, ele pode mandar alguém visitar a sua ONG, dar alguma doação, sei lá, você me entende não é?
_Entendo perfeitamente. Mas eu não quero doação, em dinheiro sabe, nós precisamos muito, não posso negar, mas eu queria que Michael nos doasse arte, música, amor, tenho certeza que a presença dele, mesmo que fosse de longe, levantaria o astral das minhas crianças e das minhas “filhas”, é isso que eu quero!
A simplicidade daquela mulher me tocou profundamente, se eu falasse com Michael, é claro que ele, mesmo sem conhecer, enviaria umo pomposa doação, mas ela queria “arte” “musica” “amor” e o modo com que ele se referia as pessoas que cuidava as chamando de minhas “crianças” e “minhas filhas” era realmente tocante.
_Lily, venha conheçer a minha ONG. _Ela disse, enquanto eu ainda pensava no que faria. _Eu não tenho pressa, você conhece o trabalho, vê se realmente vale a pena, depois você fala para ele, por favor! _Eu fiquei sem saída.
_Tudo bem Norence! Olha, no momento, nós estamos em viajem, estamos envolvidos com uma nova turnê, você me encontrou hoje por acaso, mas eu prometo que assim que der, vou visitar sua ONG. E com certeza falo dela para Michael, mas você disse que não tem pressa não é mesmo? Porque pode demorar um pouco!
_Não tem problema, já é uma grande vitória ter falado com você, eu espero o tempo que for preciso, mas nós podemos manter contato não é?
_Claro, me dê o seu número, da sua casa ou da ONG.
_Aqui está! A “ Hopefulness” é o meu lar, pode ligar o dia e a hora que você quiser.
_Tome, fique com esse cartão. Aqui tem os números de onde voê poderá me encontrar. Agora eu preciso ir Norence, foi um prazer muito grande ter conhecido você.
_O prazer foi todo meu Lily, você é uma moça muito bonita e simpática, adorei conversar com você! Ah, pode me chamar de Nora ok?
_Certo Nora. Nos veremos em breve. _Levantei-me para ir embora e quando já havia dado alguns passoa, a mulher me chamou de novo:
_Lily, você acredita em Deus? Espero que acredite porque Ele tem uma grande surpresa para você!
Fui embora e as palavras daquela mulher ficaram ecoando em minha cabeça como se eu estivesse em uma caverna acústica, qual seria a surpresa que Deus tinha para mim?
Voltamos para Neverland e eu evitei falar com Michael sobre a ONG, ele estava tão concentrado em HIStory, que eu não ousei em atrapalha-lo com esse assunto, se fizesse isso, os produtores e empresários me matariam.
Tudo acertado, e só retornariamos para a Republica um mês antes da turnê, Michael passou a ir com mais frequencia ao consultório do Dr. Klain e passou a falar constantemente de uma nova “amiga” a enfermeira Debbie Rowe. Ele estava tão empolgado com a nova amiga que os dois ficavam horas no telefone, ele dizia que ela era uma pessoa adorável e o estava ajudando no tratamento, um dia ele a convidou par ir a Neverland.
_Lily, essa é a minha amiga Debbie! _Ele me apresentou.
_Muito prezer Debbie!
_Essa é a minha fadinha, de quem eu tanto falo Debbie! _Ele abraçou meus ombros.
_Prazer Fadinha! Esse cara enche o saco falando de você o tempo todo.
Hã? Como assim “esse cara enche o saco?”, então eles já estavam tão intímos assim? Eu senti uma pontinha de ciúmes alfinetar meu coração. Debbie era uma mulher independente, ela devia estar com uns trinta e cinco ou trinta e seis anos, mais ou menos, ela fazia o estilo hip, era extrovertida e meio largadona, apesar de ser muito simpática, ela não era o tipo de mulher que atraía os olhares dos homens, gostava de roupas bem largas e parecia não gostar de maquiagem ou qualquer tipo de vaidade com os cabelos, mesmo assim, ela conseguiu a atenção de Michael, mas apesar de estar tão ligado nela, não parecia que aquela amizade ia além... será?
Eu me acostumei com a presença de Debbie, mas as coisas começaram a ficar dificeis para mim quando Michael começou a ir na casa dela, houve um dia que ele saiu com ela e demorou muito a voltar, eu liguei várias vezes para o celelular, mas sempre dava fora de área, quando liguei para Bill, ele me disse que o Sr. Jackson, estava na casa da Srª Rowe e não parecia que ia voltar. Eu me senti invadida, Debbie estava afastando Michael de mim, eu não queria ter que passar por aquilo de novo, embora fosse inevitável, eu já esperava que um dia Michael iria se apaixonar de novo, mas com Debbie? Meu Deus, ele conheceu ela quase como eu o conheçi, ela era a enfermeira dele, trabalhava para ele como eu, estava tendo uma amizade quase como a minha, mas porque ela e não eu? Droga, nesse momento eu tive muita raiva de ser amiga de Michael.
A amizade deles cresciam cada vez mais e eu percebi que havia algo a mais naquilo tudo, eles andavam pelos cantos, cochichavam, as vezes quando ela ligava, ele afastava-se das pessoas par atender e falava baixinho sempre com um sorriso irritante nos lábios. Eu não perguntava nada, estava ficando com raiva de Debbie, e ela passou a me ignorar, Michael não falava sobre ela, nas vezes em que estavamos juntos.
Em meio a aquela agitação toda, eu tive uma bela surpresa, há muito tempo, cogitava-se a hipoétese de Michael gravar um clipe no Brasil, ele me fazia várias perguntas sobre meu país e depois de estudarem bastante, Quince Jones, que era o produtor de HIStory, resolveu derrepente que o clipe da música “They Don't Care About Us” deveria ser gravado lá, eu só não sabia que seria tão rápido. Então, em fevereiro de 1996, eu desembarquei no Brasil com Michael.


42 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Seg Nov 21 2011, 20:49

Mii

avatar
Fics
Fics
Aff, Michael não enxerga a Lily bem ao lado dele!


_________________________
•Always Keep The Faith•

Michael • Marilyn Monroe • Ian Somerhalder
Sunshine, On In a Million

Let me stick my key in your ignition babe

43 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Ter Nov 22 2011, 10:10

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Agora minhas caras, permitame ser um pouco metidinha e dizer a vocês o quanto foi maravilhoso “tirar onda” ao lado de Michael Jackson no Brasil. Ao chegar na minha cidade, a Bahia, onde seria gravado a primeira parte do clipe, ficamos no mesmo hotel onde nós nos conhecemos, todos ainda trabalhavam lá, e foi muito bom ter voltado por cima, não que eu quisesse humilhar ou ignorar alguem, mas vamos combinar, que ser tão intíma do maior astro pop de todos os tempos não é pra qualquer uma. As pessoas ficavam abismadas com o nivel de proximidade que eu tinha com Michael, ele estava sempre ao meu lado, eu intermediava as conversas dele com os funcionários e até consegui convencer Quince a deixar ele sair um pouco do quarto e dar alguns autógrafos, meus amigos ficavam de boca aberta ao verem Michael sempre falando ao pé do meu ouvido, como ele sempre faz, acho que vocês já conheçem esse costume lindo que ele tem. Por causa da nova postura que eu havia adotado, Stela, Álvaro e Rogério estranharam por eu não ter saído com eles ou mesmo conversar mais um pouco, mas era uma regra da equipe, eu tinha que falar o menos possível com as pessoas, principalmente sobre Michael, e como eu estava no meu país, falando a minha língua, eu não podia deixar ninguem pensar que eu estava aproveitando para dar informações, eu era muito profissional e fiel. Minha familia veio até o hotel, um dia antes da gravação porque tinhamos muito trabalho, e como o tempo era pouco, eu não pude ir na casa dos meus pais. Eu queria apresentar Michael a eles, mas ele estava tão cansado que não quis incomodar, mas ele permitiu que eu ficasse até altas horas com meus pais e minha irmã no restaurante do hotel. Combinamos então que eles iriam para o Rio de Janeiro, e lá depois do clipe, nos jantaríamos com Michael. Na manhã seguinte eu estava muito nervosa, havia muita gente que me conhecia desde pequena e de vez enquando eu ouvia alguem gritar meu nome, Michael ria e dizia:
_Oh, Deus! Como você é famosa por aqui!
Eu ficava mais nervosa ainda. Houve uma hora em que Michael saiu na sacada de um dos casarões e o Pelourinho quase veio abaixo, ele ficou euforico, distribuia beijos e sorrisos, e o povo gritava seu nome, exibia cartazes, choravam, foi uma loucura, ele me chamou para mostrar-me alguma coisa:
_Não Mike!
_Vem cá Lily, você precisa ver isso! _Ele dizia colocando a mão no nariz.
Quando eu apareci ao lado de Michael, os gritos aumentaram, tinha um grupo de pessoas com um enorme cartaz com um desenho de asas de anjo onde estava escrito: “Lily Angel, a Bahia tem orgulho de você!”. Michael apontou para outro cartaz: “Lily Angel é filha da Bahia!”. Eu sorri envergonhada, e Michael ficava o tempo todo falando em meu ouvido, eu pude notar alguns rostos conhecidos, foi uma emoção muito grande, eu entrei subtamente e meus olhos queria me traír, colocando para fora as lágrimas que eu segurava a todo custo, Michael entrou atrás de mim e ao me ver com cara de espanto, me abraçou forte e jogava meu corpo de um lado a outro, rindo da minha cara:
_Você é muito boba! As pessoas te amam também Lily Angel! _Ele ria tanto que fazia as outras pessoas da equipe rirem também.
_Não, essa não é a minha vida! Eu morro de vergonha! _Afundei minha cabeça em seu peito.
_Isso é ótimo, vamos lá, vamos ver de novo! _Michael tentou me puxar.
_Nada disso Mike! _Eu o empurrei. _Chega tá? É hora de trabalhar.
Gravamos o clipe e foi sensacional, Michael estava fabuloso. Viajamos para o Rio de Janeiro no mesmo dia e meus pais foram em outro voo. No Morro Dona Marta, não foi diferente, mas dessa vez eu evitei o máximo aparecer. Eu estava morrendo de medo pois Glória Maria e a equipe do fantástico conseguiu permissão para filmar o clipe de pertinho, a todo instante ela olhava para mim e ficava cochichando, com certaza imaginando me fazer uma entrevista, eu fugia dos olhares dela como o diabo foge da cruz, deixei todo trabalho de passar toalhas, retoque de maquiagem e cabelo aos cuidados de Karen. A noite, no hotel, mesmo morrendo de cansado e tendo que enfrentar uma longa viagem Michael fez questão de jantar com meus pais. Minha irmã quase teve um troço quando Michael apertou sua mão e deu um beijo em seu rosto, ela ficou paralizada e não conseguia dizer uma palavra.
_O que ela tem? _Michael me perguntou.
_Emoção Mike! Esqueceu quem você é?
Meu pai conversou muito com Michael, eles se entenderam bem e Michael adorou o fato de poder falar diretamente com ele sem precisar tradução, minha mãe embora discreta, estava tão deslumbrada quanto Marina. Michael ficou pouco, mas o suficiente para tirar a mal impressão que meus pais ficaram dele por causa do caso de Jordan, ele foi descançar e eu fiquei um pouco mais com eles. Na manhã seguinte voltamos para os EUA, e meus pais voltaram para a Bahia, eu chorei um pouco, estava longe deles a sete anos e o tempo que passamos juntos foi muito pouco para o tamanho da saudade.
_Agora eu entendo porque você é tão bonita Lily! _Michael disse, sentado ao meu lado no avião a caminho dos EUA.
_Minha mãe é muito bonita não é?
_É sim! E essa mistura de raças, seu pai branco, sua mãe negra, é fantástica, você e sua irmã são uma combinação perfeita, lindas mesmo!
_Michael você é incrivel, consegue reparar detalhes tão pequenos! Você falou de tanta coisa, e estava reparando a mistura de raças dos meus pais! Você é demais! _Falei impressionada com a observação dele.
_Mas é uma mistura mágica! Você acha que se eu casar com uma mulher branca, vou ter filhos assim como você? _Eu não respondi e quase fechei a cara quando Karen, que ouvia a conversa falou brincando:
_Se você quer filhos iguais a ela, porque então não casa com ela? _Ela sorriu.
_Você se casaria comigo Lily? _Michael pegou minha mão, e fez uma cara de menino arteiro.
_Para Michael! _Eu puxei minha mão.
_Está vendo Turtle? (era assim que ele chamava Karen) _Ela nunca se casaria com esse pobre homem aqui! _Ele colocou as duas mãos no coração.
_Eu vou casar com Silvestre Stallone! _Falei virando-me para o lado, Michael sabia que eu era fã de Stallone. Nessa hora todos gargalharam sem controle, Michael contorceu-se com os braços enlaçados na barriga e gargalhou alto. Eu fiquei olhando para ele e pensando, “Ah Michael Jackson, como eu queria que você estivesse falando sério!”.
De volta a Neverland, Michael recebeu um convite para fazer uma apresentação em um show de premiação na Turquia, ele seria homenagiado pela música “Remember the Time”, então quase sem descançar, voamos para a Turquia com toda a equipe. Michael não estava diferente, e eu não percebi que algo estava prestes a acontecer. Nós ficamos hospedados em um hotel na capital, na noite anterior a apresentação, eu estava em meu quarto quando Michael entrou sem bater:
_Oi. Tá ocupada? _Ele parecia preocupado.
_Não, não. Só tô aqui organizando seus figurinos.
_Eu preciso lhe dizer algo!
_Ô,ô! O que foi dessa vez Michael? _Brinquei jogando uma camisa nele.
_Senta aqui comigo um pouco! _A expressão dele me preocupou um pouco, eu percebi que a coisa poderia ser seria.
_O que aconteceu Mike? Você está tão sério. _Sentei ao seu lado.
_Lily, eu... er... poxa, não sei como dizer!
_Eu estou ficando preocupada Mike, fala logo!
_Jura que vai me entender?
_Michael, por favor!
_É... é a Debbie!
_Debbie? O que há com ela?
_Ela vai... ela vai ter um bebê!
_Mas... espere ai Michael, quem é o pai desse bebê? _Ele não respondeu, apenas olhou para mim e franziu a sombrançelha.
_Michael, eu não acredito! Você e a Debbie vão ter um filho? _Eu levantei da cama e andei de um lado a outro, incredula. _Mas Mike, como você pôde? Por acaso eu deixei de ser seu amiga? Você disse que era amigo de Debbie e agora vão ter um filho? E eu não sabia de nada?
_Mas você é a única pessoa que sabe!
_Sei do que? _Minha voz estava ficando alterada. _Você tem um caso com Debbie, e eu sabia? Vocês planejavam ter um filho, e eu sabia Michael? Eu nem posso acreditar!
_Calma Lily, as coisas não são como você pensa.
_Eu não penso nada Michael, aliás, desculpa tá, a vida é sua e você pode fazer dela o que quiser!
_Lily, deixa eu te explicar...
_Não precisa explicar nada! Eu sou só a sua assistente, sua funciónaria, só isso! Você não me deve explicações.
Eu deixei o quarto bruscamente, eu estava tão irritada, tão decepcionada que nem percebi que tinha gritado com Michael, eu estava em pedaços, me sentindo traída, o caso com Debbie estava sendo pior que o de Lisa, com ela eu sabia de tudo que estava acontecendo, mas agora, Michael estava fazendo segredos. Eu corri para a garagem do hotel e abaixei-me atráz de um carro vermelho que estava nos fundos, eu estava me sentindo como um bicho ferido e coagido, chorei, chorei muito até minha cabeça ficar ao ponto de entrar em ebulição, senti uma raiva enorme, um sentimento negro invadiu meu coração, eu odeio Michael, odeio Debbie... odeio essa criança.



Socorro, não estou sentindo nada
Nem medo, nem calor, nem fogo
Não vai dar mais pra chorar, nem pra rir
Socorro, alguma alma, mesmo que penada
Me entregue suas penas
Já não sinto amor, nem dor, já não sinto nada
Socorro, alguém me dê um coração
Que esse já não bate, nem apanha
Por favor, uma emoção pequena
Qualquer coisa
Qualquer coisa que se sinta
Em tantos sentimentos
Deve ter algum que sirva
Socorro, alguma rua que me dê sentido
Em qualquer cruzamento, acostamento, encruzilhada
Socorro, eu já não sinto nada... nada!








44 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Ter Nov 22 2011, 10:50

lilianrocha

avatar
Fics
Fics
Puxa...."Ah, esse amor, que me arrasta, me gasta e me faz sofrer...."


_________________________
You remember a one day....One day in your life!!!


Cumprimentos.net - faça uma montagem de foto

45 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Ter Nov 22 2011, 10:50

Mii

avatar
Fics
Fics
Tadinha da Lily!


_________________________
•Always Keep The Faith•

Michael • Marilyn Monroe • Ian Somerhalder
Sunshine, On In a Million

Let me stick my key in your ignition babe

46 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Ter Nov 22 2011, 12:33

Maria Cecília Bad

avatar
Super Fã Veterano
Super Fã Veterano
amando

47 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Ter Nov 22 2011, 13:31

Cat Jackson

avatar
Fã Veterano
Fã Veterano
Aii... Força, Lili... Dá um peteleco na Lisa... Mad

48 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Ter Nov 22 2011, 15:03

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Olá minhas queridas leitoras, quero exclarecer um ponto um pouco polêmico na minha fic, é sobre a concepção de Prince e Paris. Peço por favor que vocês entendam que isso é o que eu acho sobre essa história real da vida dele.

Quero que fique bem claro que eu nunca reprovei a atitude dele e entendi o fato das coisas terem sido da maneira que ele achou certo, se eu tiver enganada tudo bem, Michael continua lindo e adorável de qualquer jeito, tá?




Não havia o que fazer, volta para o quarto e correr o rísco de encontrar Michael, jamais. Então, fui ate o bar que ficava no restaurante e pedi uma bebida quente, que engoli de vez, fazendo-a descer queimar minha garganta.
_Outro, por favor! _O garçom me olhou com cara de assustado. Tomei três taças e depois pedi uma garrafa de vinho italiano, eu queria beber até não conseguir mais. A garrafa já estava pela metade quando, senti uma mão em meu ombro.
_Lily, o que você está fazendo? _Era Zacary, um dos dançarinos de Michael.
_Estou bebendo! Não parece?
_Pelo visto, já está bebendo a horas! Você está bem? _Ele perguntou assustado.
_Senta aqui Zac, beba comigo! Eu estou afogando as mágoas! _As palavras estavam saíndo atropeladas. _Você tem namorada Zac? _Ah é claro que sim, você é muito bonito para ficar sozinho... pois eu sou sozinha Zac... ninguém me ama, ninguém me quer... _Eu não estava falando coisa com coisa, e Zac percebeu isso.
_Lily, você não acha melhor ir para o quarto agora? Eu te ajudo vamos! _Ele tentou me erguer da cadeira.
_Não Zac! _Minha cabeça deu uma volta. _Eu vou ficar aqui! _Me aproximei do ouvido de Zac e sussurei como uma bêbada. _Eu não tô querendo encontrar Michael... Quer mesmo me ajudar? Beba comigo, ou então vou beber a garrafa toda.
Zac decidiu ficar ali comigo, ele viu que eu não estava bem e não quis me deixar sozinha, quase uma hora depois, Bill veio e falou comigo:
_Lily, Michael está procurando você!
_Eu não disse Zac? _Bebi outro gole. _Bill, diga ao chefe que eu estou ocupada, bebendo, enchendo a cara!
_Lily, você está louca? Está bêbada? _Bill falou em tom de repreenção.
_Não, eu não estou bêbada! Mas eu sou maior de idade não é?
Bill subiu e ainda voltou umas três vezes para me chamar, por fim, resolvi atender o chamado de Michael:
_Acho melhor ela não ir agora Bill, está sem condições! _Zac alertou.
_Se ela não for, nós é que não vamor ter condições de segurar o chefe! _Bill sabia do que falava.
Eu estava tonterríma, minhas pernas estavam desordenadas, eu não bebia e não sei o que deu em mim para fazer isso, meu Deus, alguém me segure! Eu quase esbarrei na porta, antes de abri-la sem controle das mãos, Michael estava em pé de costas com os braços cruzados no peito olhando por uma janela, ele estava bem enfezado.
_Você mandou me chamar? _Eu perguntei da porta.
_Entre por favor! _Ele disse bravo, eu cambalheei ao fechar a porta.
_O que é isso Lily? Você está bêbada?
_Ai meu Deus, mais um!
_Isso é ridículo garota! Você não disse que somos amigos? Amigos conversam Lily, se entendem, eu queria desabafar, queria sua ajuda e você nem me ouviu, e foi beber com um dançarino qualquer?
_Eu estava sozinha, Zac apareceu e eu pedir para ele me fazer companhia.
_Quem é Zac? É seu “novo” amigo? Ou será que é um substituto de Jonh Branca?
_Escuta aqui Michael, você faz o que achar melhor da sua vida e eu faço o que bem quiser da minha, se eu bebo, ou com quem eu bebo isso é problema meu. _Eu estava gritando, só mesmo estando bêbada para falar assim com Michael.
_Mas você não é paga para beber e sim para trabalhar, e é isso que nós viemos fazer aqui! _Ele também gritou. De repente a porta abriu-se bruscamente, Quince apareceu com os olhos arregalados:
_Ei! O que está acontecendo aqui? Vocês estão loucos? Daqui a pouco o hotel inteiro vai escutar a voz de vocês!
_Lilian está se comportando como uma criança! Você é louca, inconsequente! _Ele dizia apontando para mim.
_Lily, saia por favor! _Quince pediu. _Vá para o seu quarto, descanse um pouco, amanhã vocês conversam com calma. Eu saí indignada.
_Mike, você está descontrolado cara, o que houve? _Quince perguntou.
_Nada Quince, nada mesmo! _Ele respirou fundo.
_Ok, então está certo, mas tente se acalmar, amanhã temos trabalho a fazer! _Quince caminhou até a porta e antes de sair Michael falou:
_Ah, Quince, quero esse tal de Zac, fora da equipe agora mesmo! _Quince fez uma expressão de dúvida mas não ousou perguntar mais nada, no corredor, ele falou com Bill:
_Esses dois! Isso ainda vai dar em casamento!
Eu desabei na cama e apaguei literalmente, só acordei no outro dia com uma baita dor de cabeça, quase não conseguia abrir os olhos, confusa fui até o banheiro e ao olhar no espelho, lembrei de tudo que havia acontecido, meu Deus, o que foi que eu fiz, eu gritei com Michael, briguei com ele, isso nunca tinha acontecido, eu que sempre fui cumplice das suas loucuras , não tinha esse direito. Olhei no relógio e percebi que tinha perdido a hora, nós tinhamos que estar no local da premiação as nove da manhã para os últimos acertos, e já eram quase onze. Me arrumei rápido e peguei um táxi, todos já tinham ido, menos eu. Ao chegar, vasculhei com os olhos em todos os lugares e não vi Michael, ao perceber quem eu procurava, Karen, que me viu chegar, aproximou-se e disse:
_Ele está no estudio!
Eu fui até lá e Michael estava “afinando” a voz enquanto o sonoplasta soltava notas musicais em um violão, eu olhei pela janela de vidro e imediatamente ele olhou para mim, parece que ele tinha sido atraído pela minha presença, ele olhou e desviou o olhar me ignorando completamente, ai como eu me senti mal. Ficamos assim o dia todo, Michael passava de um lado a outro, cercado de pessoas, mas nem parecia que eu estava lá, o jeito era fazer o que eu sabia, trabalhar, fiquei cuidando das coisas e nem vi quando ele voltou para o hotel, eu almoçei sozinha e também voltei para o hotel para me preparar para a noite. A noite, Michael foi de limusine e eu fui no carro da segurança, o clima estava horrível. Nos bastidores o agito era enorme, o local da apresentação já estava lotado, eu cuidava dos ultimos retoques enquanto Michael estava no camarim, eu resolvi ir até lá. Bati de leve na porta e ouvi a voz de Karen, do outro lado:
_Pode entrar! _eu abri e coloquei apenas a cabeça para dentro.
_Michael, você precisa de alguma coisa? _Perguntei sem graça.
_Não! _Ele só respondeu isso ríspido.
Sai ferida, e fui para o lado do palco, onde eu sempre ficava, nas apresentações, pouco antes de Michael entrar Karen, veio ao meu lado e disse:
_Lily, o que houve?
_Nos brigamos Karen, eu estou me sentindo tão mal!
_Olha Lily, por favor não conte nada para Mike, mas você precisa quebrar logo esse gelo, ele está arrasado, chegou a chorar e disse que essa seria a pior apresentação que iria fazer, porque a “Sininho” dele o está despresando.
Eu senti um aperto no peito, coitado do meu bebê. O apresentador anunciou: “With you, Michael Jackson!” Michael entrou com a roupa do clipe e o palco se iluminou com a presença dele, o sorriso estava radiante, ele sentou-se em uma poltrona que estava no meio do palco e posicionou-se enquanto as dancarinas faziam a introdução da música, ao dizer: “ I don't know that you want to try, every time you see...” ele levantou da poltrona apontando o dedo indicador para o público e começou sua performance maravilhosamente bem. Ao final a platéia estremeçeu e gritavam: “Michael, I love you!” enquanto Karen e eu estavamos involuntáriamente elétricas, isso sempre acontecia. Ele foi ao centro do palco e recebeu das mãos do apresentador um troféu, ao agradeçer ele disse:
_É... eu quero agradeçer a Deus por estar sempre comigo nesses projetos...
_I love you Michael! _Alguém gritou da platéia.
_I love you too! _Ele sorriu tímido. _Eu ofereço esse trofeú a todos que me ajudam, que teem paciência comigo, aos meus pais, meus irmãos, a Quince Jones, Karen, e... _Ele virou-se um minha direção. _ E a minha grande amiga Lily Angel, obrigado Lily, por tudo!
Eu desabei, meus olhos molharam, ele virou-se e terminou seus agradecimentos, na saída, ele estava tão cercado de pessoas que eu nem encostei, eles foram ao camarim e eu fiquei esperando, quando tudo acalmou, eu aproveitei um momento em que ele estava só e entrei. Nós nos olhamos por um tempo até que ele estendeu a mão, eu estendi a minha, e ele me puxou para um abraço demorado.
_Desculpa minha Fada! _Ele sussurrou em meu ouvido. Eu afastei-me um pouco, segurei o seu rosto com as duas mãos e falei:
_Oh, Mike, me perdoe, eu não devia ter dito aquelas coisas, eu agi muito mal, eu me envergonho disso!
_Psiu, pare, eu também falei coisas que não devia!
_Michael, nós nos amamos muito para nos ferir assim, eu prometo que nunca mais faco isso, eu prometo!
_Vamos esquecer, deixa isso pra lá! _Ele me apertou mais um pouco, cheirou meu cabelo. _Eu preciso tanto de você, minha amiga!
_Vamos conversar, está certo? _Eu beijei seu rosto. _Eu preciso saber dessa história do Sr virar papai. _Ele sorriu.
Fomos para o hotel e eu estava um pouco mais aliviada, nós passamos a noite no quarto dele, acordados falando sobre aquilo que tanto me incomodava, nós estavamos deitados na cama, virados de costa.
_Lily, eu queria te contar o que aconteceu entre Debbie e eu, nós nos damos muito bem, ela é realmente uma pessoa especial, mas não é como você pensou, não houve nada entre nós.
_Mas Mike... eu não entendo!
_Entende sim Lily, você é uma pessoa inteligente, existem métodos, a ciência está muito avançada...
_Michael, Debbie fez inseminação? Mas porque?
_Lily, eu tenho que amar uma pessoa para ter um contato intimo com ela, não pode ser de qualquer maneira, e você sabe como eu quero ser pai e um dia conversando com Debbie sobre isso, sei lá ela teve essa ideia louca, ela disse que faria isso por mim, se eu quisesse, ela poderia me dar filhos, eu me empolguei, fiquei maluco com a ideia, eu expliquei que nós não poderiamos ter alguma coisa e ela aceitou numa boa...
_Michael, você é louco! _Eu disse sentando na cama com as mãos na boca.
_Eu sei!
_Mas porque você não falou comigo antes? Porque fez tudo sozinho?
_Eu fiquei com vergonha, Lily, sei lá!
_Vergonha de mim Mike? Você sabe que eu vou sempre estar do seu lado, seja lá qual for a loucura que você faça. _Ele também sentou-se e segurou minha mão.
_Sininho, promete que você vai me ajudar?
_Claro, Mike, sempre! Mas como vai ser, você e Debbie? Como vão ficar as coisas?
_Na mesma, ela é só minha amiga! Eu juro é só minha amiga e pronto!
_Michael, Michael, isso vai dar confusão! Como você vai explicar um filho, sem um casamento? Você sabe como a sociedade e conservadora, e você é um ícone da moral e bons costumes, você já pensou nisso?
_Pensei sim Lily! Mas eu faço qualquer coisa para ter meu filho. Eu não amo ninguém, e não quero esperar isso acontecer para ser pai, depois penso no que vou fazer. Fica do meu lado?
Eu encostei a testa na dele, ainda de mãos dadas e disse:
_Sempre, Michael, sempre!

49 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Ter Nov 22 2011, 18:33

Cat Jackson

avatar
Fã Veterano
Fã Veterano
AI, Michael,,, Presta atenção... A mae dos seus filhos tem que ser a Lily.....

50 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Ter Nov 22 2011, 20:38

Mii

avatar
Fics
Fics
Eles são tão fofos juntos *-* até brigando Razz


_________________________
•Always Keep The Faith•

Michael • Marilyn Monroe • Ian Somerhalder
Sunshine, On In a Million

Let me stick my key in your ignition babe

51 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Qua Nov 23 2011, 14:26

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Seguimos com a turnê HIStory e embora não estivesse contente com a situação, eu tinha que suportar Debbie e aquela barriga crescendo a cada dia, se não fosse o fato de que Michael estava ficando cada vez mais bestificado com aquela gravidez, a convivência com ela seria fácil, pois com o passar do tempo, percebi que Debbie amava Michael, mas não como mulher, ela era uma fã apaixonada que estava tendo a oportunidade de fazer o seu idolo feliz, ela sempre me dizia que se Michael quisesse uma dúzia de filhos pra ele, ela o faria, mas casamento e filhos estava fora dos seus planos, ela disse que talvez se Michael quisesse apenas namorar com ela, viajar muito e curtir a vida adoidado, poderia até rolar alguma coisa entre eles, mas a “praia” de Michael era outra, ele apesar de não ser nem um pouco normal, queria uma vidinha tranquila pelo menos em casa, onde ele pudesse chegar e encontrar uma esposa discretinha com a casa cheia de filhos, e isso ela não seria.
Michael fazia apresentações sem parar, tendo apenas um ou dois dias na semana para descançar, as vezes Debbie vinha ficar com ele, e nos intervalos entre uma etapa e outra ele voltava para EUA para acompanhar a gravidez, Michael havia comprado um pequeno e luxuoso rancho e deu de presente a Debbie, para que ela pudesse ter uma gestação confortável, ela passou a morar lá com uma amiga que cuidava dela.
No final da primeira etapa, Kate, Joe e alguns irmãos vieram assistir a apresentação em Brunei, depois do concerto, nós fomos jantar e Michael estava visívelmente cansado, ninguém da familia sabia que Michael teria um filho e ele havia me dito que aproveitaria aquele dia para contar a sua mãe. Depois do jantar, Michael levou Kate ao seu quarto e os dois ficaram lá por quase três horas seguidas. Depois de um tempo, Michael pediu para que um dos seus seguranças me chamasse, ao chegar em seu quarto, o encontrei sentado no chão com os braços estendidos e apoiados nos joelhos, ele tinha uma expressão cansada no rosto, eu entrei e fui logo me ajoelhando em sua frente.
_O que houve? A conversa foi difícil? _ Perguntei tocando em suas mãos.
_ Um pouco! Minha mãe não aceita o fato de eu querer ser pai solteiro!
_Eu avisei que não seria fácil! Mas e ai? O que ela acha?
_Ela quer que eu case com Debbie!
_Michael?! _Senti um frio na espinha. _E o que você vai fazer?
_Eu não sei dizer não a minha mãe! Ela me falou de Deus, da religião, do modo com que eu fui criado, ela disse que isso é errado... que isso pode prejudicar minha imagem...
_E você vai casar com Debbie?
_Eu não tenho escolha!
_Michael não! Você não ama a Debbie! _Eu estava quase implorando.
_Eu sei, Lily! _Ele respondeu de cabeça baixa.
_Olha Mike. _Eu segurei seu rosto com as duas mãos, eu estava com um nó imenso na garganta. _Se você casar com Debbie, pode perder a chanse de encontrar um amor de verdade, você não pode se privar disso, você não pode ficar preso a uma mulher sem amá-la, não faça isso com você Mike!
_Mas minha mãe está certa, e até você me alertou sobre isso, agora não tem mais escolha, Debbie está prestes a ter o bebê... eu... eu tenho que casar com ela.
_Droga Mike! Não! _Eu tentei levantar mas ele segurou meu braço com firmeza.
_Não Lily, por favor, você prometeu que iria ficar comigo! Eu sei que você quer o melhor para mim, mas por favor, agora não! _Ele apoiou-se nos joelhos, me fez abrir os braços e deitou a cabeça em meu peito, me abraçando pela cintura, aquele contato era o que me matava! Eu o abraçei e afundei a cabeça em seus cabelos, inspirei fundo e fechei os olhos.
“Eu ergui sua cabeça e segurei o seu rosto bem pertinho do meu, tão perto que podia sentir o seu hálito fresco, ele ficou com os olhos fixos nos meus, eu disse: _Você não pode casar com Debbie porque eu te amo! _Ele não respondeu nada, eu puxei levemente seu rosto para mais perto, toquei seus lábios com os meus, ele fechou os olhos, toquei outra vez seus lábios, afastei-me um pouco para olha-lo mas ele permaneçeu de olhos fechados, então o beijei com toda ternura do mundo, foi um beijo calmo, doce... demorado...”
Abri os olhos e Michael ainda estava com a cabeça sobre meu peito, aquela cena havia se passado apenas na minha cabeça, foi só um pensamento e pronto, eu nunca teria coragem para fazer aquilo, eu era idiota demais para isso. Michael pediu para que eu ligasse par Debbie e falasse o que estava acontecendo, e o pior, ele pediu par ligar para Jonh e pedir a ele que providênciasse os papeis, ele pretendia casar antes do bebê nascer.
No final da primeira etapa de HIStory, em novembro de 1996, Michael e Debbie casaram-se na suite do Sheratonon on the Park Hotel, em Sidney, onde estavamos passando umas pequenas férias, haviam apenas quinze pessoas na cerimônia, entre elas, Kate, Joe, Jonh e eu. Michael permaneçeu o tempo todo calado e sério, eu percebia que ele evitava a todo momento olhar para mim. Depois da “estranha” cerimônia, Michael deu um beijo na testa de Debbie, e pediu licença, pois estava muito cansado, a expressão de todos era de espanto. Debbie foi levada por Kate para outro o quarto, ela então com seis meses, estava pesada e inchada. Depois de recolher os papeis do casamento, eu também fui para o meu quarto, arrasada, humilhada e com uma hemorragia sangrenta na alma. Depois de algum tempo, Jonh, veio até o meu quarto, já havia um bom tempo desde que ele tinha voltado de viagem que nós quase não nos falavamos, ele havia ficado muito chateado por não termos reatado o namoro.
_Posso entrar? _Ele abriu a porta e colocou a cabeça para dentro.
_Oi Jonh, pode entrar! _Não sei porque mas senti medo.
_Nós nem tivemos tempo para conversar, como você está?
_Bem, só um pouco cansada, mas estou bem! _Respondi esgotada, Jonh atravessou o quarto e sentou-se no sofá.
_Mais um casamento do chefe! É Lily, parece que seu bebê não cansa de fazer besteiras!
_Deixa disso Jonh, Michael tem que dar continuidade a vida dele, não é mesmo?
_ E você Lily? _Ele curvou-se apoiando-se nos joelhos. _Quando você vai dar continuidade a sua vida?
_Como assim Jonh? _Eu fingi que não entendi.
_Michael já está no segundo casaamento, e você insistindo em esperar por ele.
_Ai não Jonh! De novo com esse assunto? _Eu levantei e caminhei até a janela.
_Lily todo mundo enxerga, só você que acha que não. Todo mundo vê essa dedicação sobrenatural que você tem por Michael, sua vida está parada no tempo, você é tão linda, tão inteligente e insiste em ficar sozinha, longe de tudo e de todos, afastando as pessoas que te amam de verdade, por causa desse amor doentiu que você sente por Michael?
_Jonh, eu realmente não estou em condições de discutir! O que você está tentando fazer? Me humilhar? Me colocar ainda mais pra baixo? _Ele levantou e veio em minha direção.
_Eu estou tentando te acordar, fazer você enxergar o que está acontecendo! Abra os olhos garota, veja o que você está fazendo com sua vida! Michael Jackson, nunca vai olhar pra você com outros olhos, ele nunca vai ver a mulher linda e maravilhosa que você é! Acorde Lily, deixe de ser tola!
As palavras de Jonh me feriam como um punhal, eu já estava tão mal e ele estava conseguindo me deixar pior, minha boca estava seca, eu brigava com meus olhos, tentava a todo custo segurar as lágrimas, eu estava me sentindo tão fraca, mas não vou chorar... não posso, não na frente de Jonh.
_Por favor Jonh! _Eu disse com a voz embargada.
_Não importa o que eu te diga, não é Lily? Nada vai mudar. Você vai continuar assim, se escondendo, diminuindo a cada passo em falso, que Michael dá. Você vai continuar a deixar de viver a sua vida para viver por ele...
uma lágrima quente e dolorosa rolou do meu olho direito, eu passei a mão rápido e virei-me de costa para ele.
_Tudo bem! Está certo, eu desisto! É uma pena você não aceitar ter um amor de verdade, um homem de verdade na sua vida. Mas eu espero que você seja feliz, de coração é isso que eu quero... com Michael ou com qualquer outro, só espero que não seja tarde de mais!
Jonh saiu, e ao fechar meus olhos, as lágrimas se libertaram deles incontroladamente, chorei baixinho, abafado, e antes mesmo que eu pudesse me recompor, Debbie entrou pela porta que Jonh havia deixado aberta, levei um susto quando ela chamou meu nome.
_Lily?
_Debbie? O que você está fazendo aqui? _Virei-me enxugando os olhos. _Você devia está descansando, Michael vai ter um troço se te ver de pé!
_Você está chorando? _Ela examinava meu rosto séria.
_Não! _As lágrimas não paravam de cair, denunciando a minha mentira.
_Você quer conversar um pouco? _Debbie segurou minha mão!
_Você tem que descançar Debbie! _Falei em lágrimas.
_Vem cá, senta aqui um pouco! _Ele puxou-me pela mão até o sofá. _Olha eu sei que não somos tão intimas assim, mas se eu puder fazer alguma coisa... você está tão mal! Converse um pouco comigo, por favor, talvez eu possa te ajudar!
_Não Debbie, ninguém pode!
_É por causa de Michael não é?
Eu não tive como me conter, por mais que eu quisesse não consegui, coloquei a mão na boca, fechei os olhos e chorei alto, eu estava tão frágilizada.
_Lily, você ama mesmo Michael? _Ela perguntou espantada. _Eu sempre desconfiei, mas... porque Lily... porque você se fecha tanto? _Eu não conseguia responder, chorava cada vez mais.
_Lily, Michael é uma pessoa maravilhosa, ele é um ser humano sem igual, e você se dedica tanto a ele, eu tenho certeza que se ele soubesse disso, as coisas poderiam ser diferentes, esse sofrimento seu não é necessário!
_Ele não me enxerga Debbie... _Desabafei. _E... e agora vocês estão...
_Não estamos nada! _Ela me interrompeu apertando minha mão. _Esse casamento é fachada Lily, você sabe disso, é pra acalmar o coração da Kate, calar a boca da mídia, eu amo Michael sim, mas ninguém entende o tamanho desse amor, ele é meu ídolo, meu astro, eu agradeço todo dia a chanse que tive de poder estar tão próxima da minha estrela, mas isso é tudo, porque é tão dificil para as pessoas entenderem isso? Eu sou assim, amo assim, quero continuar livre para amar Michael desse jeito, eu não... não me imagino... trasando com ele. _Ela sorriu desajeitada.
_Debbie, você é doidona mesmo! _Sorri em meio as lágrimas.
_Devo ser mesmo! Mas você é diferente de mim, você o ama como mulher, sofre por ele! Seja corajosa Lily, tome uma atitude antes que seja tarde!
_Agora chega tá Debbie, eu já falei o que não devia, me abri de mais, chega! Você vai descançar agora, antes que Michael apareça aqui. _Ela sorriu, e levantou-se, caminhou em direção a porta e antes de sair disse:
_Até quando você vai fugir?
_Debbie, por favor promete que não vai comentar essa conversa com ninguém? _Respondi com outra pergunta. Debbie passou dois dedos na boca fingindo fecha-la com um ziper, piscou o olho e saiu fechando a porta.
Eu tinha cometido uma loucura enorme, eu devia ter me controlado, não devia ter deixado a minha dor denunciar a verdade, agora Debbie sabia que eu amava Michael, e eu corria o risco de ele tambám ficar sabendo.

52 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Qua Nov 23 2011, 16:25

Mii

avatar
Fics
Fics
Nossa a Debbie parece tão querida nessa história...


_________________________
•Always Keep The Faith•

Michael • Marilyn Monroe • Ian Somerhalder
Sunshine, On In a Million

Let me stick my key in your ignition babe

53 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Qui Nov 24 2011, 08:41

Maria Cecília Bad

avatar
Super Fã Veterano
Super Fã Veterano
hummmm amando! Debbie ai vem coisa....

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 2 de 13]

Ir à página : Anterior  1, 2, 3, ... 11, 12, 13  Seguinte

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum