Seja bem-vindo (a) a sua Neverland virtual!

Aqui você encontrará tudo sobre o anjo e homem Michael Jackson e também poderá conhecer pessoas com os mesmos gostos que você. Irá conviver e aprender muito mais sobre este artista e ser humano maravilhoso que é Michael Jackson!

Faça parte da nossa família você também! Michael Jackson não é só um cantor e sim uma filosofia de vida!

------- Equipe Neverland -------

Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

[FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes

Ir à página : Anterior  1, 2, 3 ... , 11, 12, 13  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 12 de 13]

276 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Out 19 2012, 12:51

lili angel


Fã Dedicado
Fã Dedicado
Miloca escreveu:
Ai que massa que você está voltando!!

Já estou qui coladinha esperando pelos capítulos flor.

Beijacksons linda. E seja bem-vinda e volta I love you

Obrigado Miloca!

Olha é melhor trazer muuuuita pipoca mesmo se não corremos o risco de roer as unhas das mãos e dos pés! kkkkkkkkkkkk

respire fundo tá?

277 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Out 19 2012, 13:06

lili angel


Fã Dedicado
Fã Dedicado
Meninas, estão preparadas?

Então vamos lá. Hoje vou postar uma parte bem grande para recompensar minha ausência, ai deixo vocês com um pouco de suspense e segunda- feira teremos o começo do "Gran Finale"!

Boa leitura!

POR TRÁS DOS HOLOFOTES - CONTINUAÇÃO



Queridas leitoras, preciso resumir aqui como foi todo processo que envolveu a turnê “This is It”, muitas coisas aconteceram e todo mundo sabe onde Michael chegou com essa aventura, tudo que aconteceu foi um mistério tão grande, que foge até da minha capacidade de entendimento, mas o fato é que tudo aquilo nos levou ao mais profundo desespero.



A era This is It havia chegado e não havia nada a ser feito para que ela não acontecesse. Depois do ocorrido com o carro, outras ameaças de mortes continuaram, todos nós estávamos frustrados pois por mais que investigássemos nunca conseguíamos chegar até as pessoas que estavam querendo nos ver pelas costas, as vezes as pistas nos levavam até a SONY, que preferia ver Michael morto a ter que vê-lo fazer sucesso em outra gravadora, com Michael vivo, a SONY não poderia usar nem seu nome, nem suas canções. Chegamos até a pensar na teoria de que havia sim uma conspiração de um grupo que comanda o mundo, os tais “Iluminatis” que tinham determinado que não queriam mais Michael no cargo de “rei”. Tudo eram meras especulações, chegavam a serem absurdas e surreais.

Particularmente, nossa vida, tão boa e tão desejada estava chegando a um limite que nem Michael, nem eu sabíamos até onde poderíamos suportar. Além de tudo, estávamos cercados por pessoas interesseiras, haviam muita gente perigosa envolvida com essa turnê. A medida que o tempo passava a procura pelos ingressos aumentava, de modo que os produtores fizeram Michael assinar um documento onde se comprometeria a fazer 50 concertos iniciais e faria ainda outros se fosse necessário. Eu não pude evitar que aquilo acontecesse, fiquei sabendo no mesmo instante em que Michael também ficou sabendo, porque nem mesmo ele, leu o que estava assinando. Apesar de tudo, havia a esperança de que tudo aquilo terminasse bem e quando o fim chegasse, Michael fosse visto outra vez como o maior artista de todos os tempos.

Porém, com a aproximação do inicio da turnê, houve uma virada repentina, na situação e nos ânimos de todos. Eu logo de cara, fui impedida de participar de qualquer coisa relacionada a turnê, porque os produtores entenderam que eu era uma ameaça, pois Michael sempre questionava algumas atitudes quando eu estava por perto. Seis meses antes do primeiro show, Michael me chamou no escritório da nossa casa para termos um “seria conversa”. Era noite de segunda feira e ele havia acabado de chegar em casa, muito sério e pensativo, demonstrou uma certa rigidez no tom da voz ao falar comigo, embora tivesse estranhado aquela atitude, não fiquei muito preocupada, afinal de contas, até onde sabia, as coisas estavam indo bem com a turnê e em casa, nada havia mudado entre nós, apesar de toda apreensão em que estávamos vivendo. Michael caminhou em minha frente, pisando duro, abriu a porta do escritório e esperou que eu entrasse para fechá-la, entrei sentei e esperei que começasse a falar, porém ele continuou com a mão direita na maçaneta da porta e com a outra segurava o queixo.

_Michael, está acontecendo alguma coisa errada? _Eu perguntei quando percebi que ele não estava conseguindo falar. Ele caminhou até uma outra cadeira, arrastou-a para perto de mim e enfim disse:

_Lily, é... eu... _Ele fechou os olhos, respirou fundo e prosseguiu. _É que tem alguns pontos que precisamos acertar daqui pra frente, algumas coisas que vou precisar fazer, por isso preciso muito da sua compreensão e paciência...

_Mike, o que está acontecendo? Você está me deixando preocupada!

_Lily, você sabe que a turnê está se aproximando, e que isso vai exigir muito mais o meu tempo, eu pretendo dar o máximo de mim para o sucesso desse projeto, e por conta disso, algumas coisas terão que mudar entre nós!

_Como assim Mike? Eu não estou entendendo! _Meu coração começou a saltitar dentro do peito.

_Eu preciso que você entenda, mas... mas daqui pra frente, temos que nos afastar um pouco, quero dizer... vai... vai ser melhor, pra mim e pra você também, porque vou ficar muitos dias fora, e é melhor começarmos a fazer isso agora, assim vai ser mais fácil quando a turnê começar!

Estranhamente, Michael não olhava nos meus olhos quando falava e a todo instante apertava as mão como se quisesse puni-las pelo que estava dizendo.

_Michael, eu continuo sem entender! Que história é essa agora? Como assim temos que nos afastar? Por que isso?

_Vai ser melhor Lily!

_Melhor pra quem? Pra mim? Por favor Michael, seja claro! Você está dizendo que devemos nos separar?

_Não! Não é isso... ou melhor... é quase isso, nós devemos nos separar sim, mas até a turnê terminar, sabe... você volta para Westland, fica lá com as crianças, eu posso ir lá sempre que puder e... vai ser melhor do que vocês me acompanharem o tempo todo, nós temos crianças ainda muito pequenas, e os maiores terão que estudar... vai ser melhor assim!

Eu estava confusa, meu rosto estava ardendo, minhas pernas começaram a doer, aquilo que Michael estava querendo era um absurdo, eu já estava muito chateada com o fato de não poder acompanhar o andamento da turnê mas até ai, mesmo contra a minha vontade, dava pra segurar, mas nos separarmos? Isso nunca fez parte dos meus planos.

_Michael, espera um pouco, deixa eu entender. Você está dizendo que eu devo voltar para Westland com as crianças e você vai seguir sozinho com a turnê? É isso mesmo Michael?

_Lily, eu não vou estar sozinho, você sabe quantas pessoas estão envolvidas nesse projeto...

_Mas e eu? Há quase vinte anos eu acompanho você em tudo... todas as turnês... shows... premiações... eu sempre estive junto e... e porque isso agora?

Embora minha cabeça estivesse fervendo e meus “miolos” pulando feito pipoca, meu coração estava quase parando, eu levantei-me da cadeira e comecei a andar de um lado a outro e tive que fazer um esforço enorme para não começar a chorar. Michael parecia tenso, mas aquele tom de tranqüilidade que carregava na voz, me fazia pensar que ficar afastado de mim não era tão doloroso para ele quanto seria para mim.

_Amor me escuta! _Ele segurou meus ombros me fazendo parar. _Olha, eu seu que parece estranho, sei que nós nunca nos separamos, eu também estou confuso Lily, toda essa euforia com a turnê está mexendo comigo, alem de tudo ainda tem o fato de que nós estamos sendo ameaçados, sabe-se lá por quem ou porque... tudo isso é muita coisa para a minha cabeça, eu sei que se você e as crianças ficarem comigo, eu não vou ter um minuto sequer de paz, não vou conseguir me concentrar, eu sei que o perigo está aqui, em volta dessa turnê e eu tenho que mantê-los afastados disso tudo.

_Michael, nada do que você disser vai me convencer! Você pode me dar mil motivos mas não vai me convencer de que o melhor é ficarmos longe, isso é um absurdo! Nós somos uma família, Prince, Paris e Blanket tem consciência de quem você é, eles já conhecem o seu trabalho e tem muito orgulho disso, você disse que estava fazendo essa turnê para nós... para seus filhos... e agora isso... eu... eu não consigo entender!

_Lily! Vai ser melhor assim! Olha sempre que puder, quando as coisas estiverem tranqüilas eu mando buscá-los, vocês podem assistir algumas apresentações, nós passamos um tempo juntos, mas depois vocês voltam para Westland, lá sim é seguro!

_Michael, tem alguma coisa acontecendo que você ainda não contou para mim?

Michael soltou meus ombros e franziu um pouco a testa, ele virou as costas para mim e ficou calado, dava para perceber que aquela minha pergunta de algum modo o perturbou, em frações de segundo percebi que aquele era o X da questão, talvez o que ele tinha que me responder era o motivo dele estar querendo nos afastar.

_Michael? Existe alguma coisa?

_Que bobagem! _Ele tentou sorrir. _Não existe nada...

_Existe sim! _Eu o interrompi correndo para ficar em sua frente. _É claro que existe! Olha pra você! Sua expressão mudou, eu te conheço o suficiente para saber que você está escondendo algo de mim.

_Lily, por favor! _Ele sentou-se na cadeira outra vez. _Não se trata de esconder alguma coisa, eu amo você, amo meus filhos e quero ver a segurança de vocês, isso é o que importa!

_Então tem alguma coisa não é? _Eu me ajoelhei apoiando os braços em seu joelho. _Agora vamos ter segredos também?

_A coisa é muito mais séria do que você pensa! Seria ótimo se isso se tratasse de um simples segredinho, ou de uma briguinha de casal, nós estamos falando de coisa grave!

_Então me diga do que estamos falando Mike! _Eu ergui o corpo de modo que ficamos com os rostos bem próximos, eu toquei no seu rosto com a mão esquerda e quase supliquei. _Me diga o que esta acontecendo, não me deixe aflita desse jeito, por favor!

_Lily! _Ele segurou firme em meu rosto com as duas mãos e chegou ainda mais perto. _Você é a mulher que eu amo, mãe dos meus filhos, e eu não vou envolve-la nesse assunto, não vou expor vocês a... a tudo isso, eu... eu te amo Lily e isso é tudo que você precisa saber!

_Michael, você tem idéia de quanto tempo nós vamos ficar longe um do outro? São 50 apresentações, você sabe que isso pode se estender a um ou dois anos, e depois tem os contratempos, atrasos, isso costuma durar muito, você sabe disso...

_Desculpa! _Ele soltou meu rosto e levantou-se, me deixando de joelhos no chão. _Eu não tenho escolha! _Ele suspirou fundo, abriu a porta devagar e saiu.

Que droga! Michael estava escondendo alguma coisa séria de mim, e seja o que fosse, era muito grave mesmo para ele querer me manter afastada por tanto tempo. Se fosse apenas a mim, eu pensaria diferente, apesar de saber que ele me amava, a vida no show busness envolve muita coisa, talvez fosse uma jogada de marketing, talvez fosse melhor ele não ter uma esposa a tira colo, seria melhor para a imagem dele e as fãs não reclamariam, mas algo me dizia que aquela não era a questão, por mais que eu tentasse não conseguia entender, eu conhecia Michael como a palma da minha mão, e ficar longe dos filhos era uma coisa que ele nunca aceitaria numa boa, aquela ideia não estava vindo da cabeça dele... Meu Deus, o que será que estava acontecendo?

Durante três dias o diálogo entre Michael e eu era praticamente: “Oi”, “Obrigado” e “Boa noite”, ele passava a maior parte do tempo fora de casa, e quando voltava brincava com os filhos e me ignorava totalmente, e para minha maior surpresa e decepção, depois daquela conversa ele pediu para uma das empregadas retirar todos os objetos de uso diário dele do nosso quarto e colocá-los em outro, sem me dá o mínimo de explicação, Michael passou a dormir em outro quarto.

Ou eu estava enlouquecendo, ou a minha vida estava desmoronando outra vez, a diferença era que de todas as vezes que uma tempestade vinha sobre mim, eu sabia de onde e porque estava vindo, mas dessa vez eu estava totalmente as escuras. Minha vida com Michael Jackson, podia ser para qualquer um, um jogo de cartas marcada, ele era o mega astro, um verdadeiro rei, o maior músico que o mundo já viu, e eu era a plebéia, uma sem nome que viveu um romance, intenso, mas que como em qualquer história de amor no mundo das celebridades, tinha que acabar, Michael havia se cansado de mim, era o que parecia, mas não era assim que eu via, não podia ser, não era isso que eu via em seus olhos todas as vezes que o pegava olhando para mim, e desviando o olhar rapidamente como se não quisesse que eles me mostrassem a verdade, não era isso que eu pensava quando lembrava de todas as palavras que ele me dizia, dos nossos filhos, do nosso casamento, eu não podia acreditar, não podia aceitar que minha história, meu casamento, minha vida estava acabando.

Passei aqueles três dias bem mal, chorava pelos cantos sozinha, Michael não conversava comigo, e eu tentava me convencer de que ele estava sufocado por “This is it”. Eu pensei que ficaríamos mais tempo, mas na manhã do quarto dia, quando eu saia do meu quarto, dei de cara com Michael, ele estava de pijamas e parecia que estava me esperando.

_Bom dia Lily! _Ele falou comigo como se fossemos apenas conhecidos.

_Bom dia Michael! _Eu respondi com um nó na garganta e o coração saltitando.

_Você está muito ocupada essa manhã?

_Não! Ultimamente eu ando sem ter o que fazer.

_Podemos então conversar um pouco?

_Claro!

_Vamos tomar café juntos?

_Está bem!

Michael seguiu em minha frente e eu me arrependi daquele encontro, nossa, como foi estranho e frio encontrá-lo naquela manhã, nós não tínhamos o que falar, foi um ping pong de perguntas e respostas frias e evasivas, aquele não era o meu Michael e eu não era eu, com certeza não. Descemos e sentamos na varanda, a cozinheira havia preparado uma mesa para nós, com frutas e sucos, eu olhava para a mesa, tentava manter as mãos ocupadas descascando uma maçã, mas mesmo assim dava para sentir o olhar tranquilo e insistente de Michael sobre mim.

_Assim não vai sobrar nada da maçã para comer! _Ele falou apoiando os cotovelos na mesa.

_Nossa, eu nem percebi! _Só ai eu notei que já havia descartado quase metade da maçã.

_Lily, eu quero que você faça as malas hoje, não precisa ter pressa, pode pedir ajuda as empregadas e fazer tudo do seu jeito, mas... Branca vai levar você e as crianças essa noite para Westland!

Eu congelei literalmente. Minha vontade era pedir explicações, perguntar mais uma vez o que estava acontecendo, eu queria entender o motivo daquilo tudo, daquele afastamento, daquela frieza, mas não consegui dizer uma palavra, sentia como se Michael tivesse se tornado um gigante na minha frente e eu tinha sido reduzida ao tamanho de um ratinho indefeso. Sem qualquer controle, senti meus lábios tremerem, minhas mãos gelarem e meu coração doer sem nenhuma dó, meus olhos inundaram, e vazaram, eu não fiz nada para impedi-los, talvez assim Michael tivesse alguma compaixão e me contasse o que estava acontecendo de verdade. De cabeça baixa, eu notei quando ele se levantou e abaixou-se em minha frente.

_Não precisa chorar Lily! Por favor! Nós só vamos ficar afastados por um tempo, e nesse tempo, vamos nos ver, nós não estamos nos separando!

Eu segurei as mãos dele e apertei o máximo que pude.

_Mike, eu não quero ficar longe de você! _Eu consegui dizer em meio ao choro angustiante.

_Lily, não chora por favor! Nós já conversamos sobre isso... não faz isso comigo!

Michael franziu as sobrancelhas, fez cara de choro e me puxou para seus braços.

_Não Chora! Você tem que confiar em mim! Eu amo você meu amor, você é minha vida, meus filhos são a minha vida, eu prefiro afastá-los do que ver alguma coisa acontecer a vocês! Aconteça o que for, eu preciso que você confie em mim, como sempre confiou, eu preciso que você me entenda, fique ao meu lado, por favor meu amor, prometa que aconteça o que for, você vai confiar em mim sempre!

_Michael, eu só queria entender o que está acontecendo, eu sinto que algo muito serio está incomodando você, eu queria estar do seu lado, ajudar você como sempre fiz, eu... eu tenho medo de deixá-lo sozinho, toda essa loucura, toda essa pressão em cima de você... oh Deus! Eu não consigo me ver nessa situação!

_Amor, pense que você vai tirar umas férias, eu vou deixar alguns seguranças a sua disposição, e você poderá fazer o que quiser, ir para onde quiser, pense o quanto vai ser bom para as crianças, vocês poderão passear, ir a parques... vai ser ótimo para Liam e Jacey, vocês podem ficar em Encino, com minha mãe...

_Para Michael! _Eu o interrompi, levantando bruscamente. _Para de fazer isso comigo! Eu não sou nenhuma criança. Nada disso importa, eu só quero está perto de você, ainda mais agora, com esse projeto enorme... eu queria participar, eu tenho medo de te entregar nas mão dessas pessoas e você não resistir, não conseguir segurar a barra!

_Olha, não se preocupe comigo! Eu juro que vou me cuidar, nós vamos nos falar todos os dias, eu estou bem, minha cabeça está totalmente voltada a essa turnê, não há risco de acontecer o que você está pensando.

_Tá bom Michael! Prá mim chega ta? Você é adulto e sabe perfeitamente o que está fazendo, se você acha que é melhor assim, então vamos em frente, vamos ver no que isso vai dar!

_Mas não é pra ficar chateada comigo!

_Eu não vou ficar chateada com você não! Só estou seguindo as suas regras. Pode dizer a Jonh que as quatro da tarde estarei pronta para partir.

Entender a situação, eu sabia que seria impossível, mas já que não tinha jeito, eu iria aceitar o que Michael queria, eu voltaria para Westland e esperaria o tempo, que fosse preciso, uma hora ele iria se arrepender e acabar com aquela loucura e se não se arrependesse, talvez a distância o encorajasse a acabar com nosso casamento de uma vez. E foi assim que Michael Jackson me colocou para fora dessa estranha e tumultuada parte da sua vida.

278 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Out 19 2012, 13:11

lili angel


Fã Dedicado
Fã Dedicado




CAPITULO XXI

APRENDENDO A DIZER ADEUS!

Não foi fácil ficar todo aquele tempo longe de Michael, de fato, nos primeiros dias ele me ligava sempre, até quatro vezes por dia e sempre perguntava as mesmas coisas, se eu ainda estava chateada com ele, como estava as crianças, o que elas estavam comendo e fazendo, e eu sempre respondia as mesmas coisas, quando tentava entrar no assunto do nosso afastamento, ele desconversava e as vezes até ficava bravo, o que me obrigava a desistir e aceitar o meu suplício. Porém com o passar dos dias, as ligações foram ficando cada vez mais escassas, ele ligava uma ou nenhuma vez por dia, e quando eu ligava para saber algo, nunca me atendia, tinha sempre alguém dizendo que ele estava bem, estava ensaiando, ou provando roupas, mas algo me dizia que as coisas não andavam bem.

Eu deveria sim, ter sido mais forte, mais insistente, eu deveria ter batido o pé e dito que ficaria ao lado dele a todo custo, não era para ter aceitado tudo aquilo sem ao menos questionar, meu maior medo era que Michael não resistisse a pressão da responsabilidade que tinha com a turnê e sucumbisse as drogas ou a coisa pior como já tinha feito tantas vezes, mas ele me parecia tão centrado, tão convicto do que queria que acabou passando despercebido pelos meus olhos que naqueles momentos, ele precisaria mais de mim do que qualquer outra vez na sua vida.

Passei aqueles meses, tentando focar nos meus filhos, Prince, Paris e Blanket começaram a estudar, em casa é claro, e eu dedicava meu tempo as traquinagens de Liam e Jacey. As crianças me pressionavam e questionavam bastante o fato de estar longe do pai, ele tinha prometido que elas acompanhariam passo a passo toda a preparação da turnê, elas estavam empolgadas e agora extremamente frustradas por ele não cumprir o que tinha prometido. Eu tentava aliviar a barra, dizia que nós ainda iríamos ficar com ele, mas elas já tinham entendimento suficiente para compreender que algo de estranho estava acontecendo. Paris era a mais insistente, ela andava aborrecida, irritada, queria a todo custo estar ao lado do pai, eles nunca tinham ficado tanto tempo separados. Nós ficamos seis meses morando separados, Michael sempre vinha nos visitar, nós tínhamos lindas e calorosas noites de amor, ele me tranquilizava dizendo que aquilo tudo ia passar e nós iríamos vivem nossa história de amor novamente, ele chegava a passar três dias em Westland e depois voltava, me deixando cada dia mais dependente e desesperada pelo seu amor.

Em 27 de abril, em recebi um telefonema que me despertou do meu estado de transe, era tarde de uma quinta feira quando uma das empregadas trouxe o telefone para mim na varanda:

_Lily, alguém deseja falar com você!

_Quem é?

_Ele disse que é um amigo do Sr. Jackson, você vai atender ou quer que passe para um dos seguranças?

_Amigo de Michael? Quem pode ser? Me dê aqui, eu vou atender.

Eu esperei ela se afastar.

_Alô? Quem é?

_Lily? É você?

_Sou eu sim! Quem está falando?

_Aqui é Frank! Frank Cascio, amigo de Michael lembra?

_Claro que lembro! Oi Frank, que surpresa boa! Como vai Michelle e todos ai?

_Estão todos bem, obrigado! Olha Lily, eu estou te ligando porque preciso muito falar com você!

_O que há Frank? Algum problema?

_Lily, eu estou em Los Angeles, estive ontem com Michael... Lily, por que você não está aqui com ele? O que é que está acontecendo com vocês?

_Você conversou com Michael sobre isso Frank?

_Na verdade, não! Eu nem pude falar com ele. Lily, seja lá o que for que esteja acontecendo com vocês, você tem que está do lado do Mike, eu... eu não gostei do que vi, cara você sempre cuidou tão bem dele, eu não entendo como pôde deixá-lo numa hora dessa!

_Eu não deixei Michael Frank, nunca deixaria! Ele me pediu para ficar aqui, disse que era perigoso para mim e as crianças ficar perto dele agora, nós estávamos sendo ameaçados, alguém não quer que essa turnê aconteça e estavam nos ameaçando de morte, ele achou melhor ficarmos aqui. Mas o que você está sabendo? O que está acontecendo lá?

_Eu realmente não sei! Tem muita gente nova ao redor dele, parece que evitam que ele fale muito, não nos deixaram a sós nem um momento sequer, há um clima estranho, Lily, Michael está estranho, Jonh Branca, Dileo e Travis está com ele, mas todos estão agindo muito estranho, falaram comigo como se não me conhecessem há tanto tempo, Michael me pareceu irritado, cansado... ele... ele pareceu está drogado!

_O que?? Como assim, você tem certeza do que está dizendo? Oh meu Deus, eu sabia! Eu sabia que algo muito terrível estava acontecendo! Meu Deus e eu estou aqui sem saber de nada, sem poder fazer nada! Ai Frank, pelo amor de Deus o que eu vou fazer?

_Sinceramente, eu não sei Lily, mas se você acha que alguma coisa tem que ser feita, é melhor se apressar, ou então Michael pode... você sabe, pra ele cair de novo naquele estado, não precisa muita coisa, olha, eu vou ficar aqui até o final da semana, tô trabalhando numa amostra de cinema, venha Lily, venha para cá rápido!

_Frank, eu vou tentar entrar em contato com o pessoal da equipe, alguém tem que me dizer alguma coisa, eu vou buscar informações e se não conseguir, amanhã bem cedo eu vou está ai, custe o que custar.

Frank e Michael eram amigos desde sempre, eles se conheceram muito antes que eu tivesse vindo trabalhar para Michael e Frank tinha apenas quatro anos quando isso aconteceu. A vida toda Frank tinha estado ao lado de Michael, ele cresceu em meio a viagens e turnês e por muitas vezes eu acabei sendo uma espécie de babá para ele. Quando adulto, por volta dos seus dezenove anos, Michael o nomeou como seu assistente, porém quando Michael finalmente se livrou das acusações em 2005, ele fechou-se em um mundo particular e infelizmenteFrank acabou ficando de fora, embora eles ainda mantivessem uma bonita amizade, ele deixou de trabalhar para Michael.

Eu estava decidida a voar com todos os meus filhos para Los Angeles, não importava mais a opinião de Michael, mesmo que ele tentasse impedir, eu iria estar perto dele e saber o que realmente estava acontecendo.

Na manhã seguinte já estava com tudo arrumado, eu sabia que os seguranças não iriam me levar e se soubessem para onde eu estava indo, ligariam para Michael logo em seguida, então decidi fazer tudo sozinha, apenas contando com a ajuda de Grace. Às seis da manhã eu coloquei as malas no meu jipe, com muito cuidado para não ser vista, depois Grace trouxe as crianças e dirigimos em direção ao portão.

_Posso ajudá-la Srª Jackson? _Um dos seguranças me abordou.

_Por favor, abra os portões! _Eu pedi tentando manter a calma.

_Desculpa Srª mas não pode sair sozinha, pode ser perigoso! _Ele insistiu.

_Thomas, eu estou indo para Encino, estou cansada de ficar aqui trancada, vou levar as crianças para verem Khatarine, eu não preciso de segurança para isso, confie em mim, não há perigo algum!

_Mas Srª são ordens de Sr. Jackson...

_Escuta aqui! _Eu coloquei o rosto para fora do carro. _O Sr. Jackson não está aqui e é obvio que na ausência dele, sou eu quem devo estar no controle, então por favor Thomas, abra esse portão ou eu passo por cima dele!

Thomas abriu o portão e agora eu tinha que ser rápida se quisesse chegar antes que Michael ficasse sabendo que eu não tinha ido para a casa da mãe dele. De Westland, até o aeroporto era uma hora ou duas de estrada, de lá eu ainda pegaria um avião e levaria mais duas horas para desembarcar em Los Angeles, seriam quatro ou cinco horas de viajem, mas eu estava bem preparada.

Prince, Paris e Blanket não estavam usando nenhum disfarce, Grace e eu os vestimos da maneira mais discreta possível, e os bebês que chegaram dormindo ao aeroporto, bastou apenas jogar uma manta sobre eles. Ao andar pelo aeroporto, rápido e como uma mãe qualquer, ninguém prestava muita atenção em nós, as crianças já estavam acostumada a andarem de cabeça baixa e não olhar diretamente para ninguém, então foi fácil. Eu não tinha comprado passagens com antecedência, então tive que contar com uma agencia que escolhi quase na base do “papai do céu”. A agencia estava vazia, e a moça que me atendeu era muito simpática mas acho que não estava muito a fim de olhar nos rostos dos seus clientes, nós quase passamos despercebidos até o momento em que tive que apresentar meu passaporte, ao notar o nome que estava escrito, ele olhou para mim, depois para as crianças e arregalou os olhos, mas antes que a sua boca abrisse perplexa, eu juntei as mão e supliquei:

_Por favor querida, seja discreta! Pelo amor de Deus, não diga a ninguém quem somos, por favor!

Eu devo ter falado de uma forma tão assustada que a moça mudou a expressão do rosto imediatamente, de fato eu estava assustadíssima, nunca tinha viajado sozinha com as crianças, e aquela não era uma tarefa fácil. A moça se recompôs e fez todo processo sem fazer nenhum alarde, quando me entregou o passaporte ela olhou pra mim e sussurrou baixinho:

_Seus filhos são muito lindos! Diga a Michael que mandei um abraço!

Ela piscou o olho e eu agradeci com um sorriso. Ufa! Escapei de uma!

Corremos para o avião e conseguimos embarcar sem nenhum problema, toda vez que tinha que apresentar meu passaporte, pedia discrição e graças a Deus era atendida.

Chegamos em Los Angeles ao meio dia como havia previsto, como meu jipe ficou no estacionamento do aeroporto em Westland, peguei um taxi e fui para Holmby Hills.

Meu coração estava aflito, eu não sabia como Michael me receberia e não fazia idéia do que encontraria pela frente, mas agora eu já estava lá e tinha que enfrentar a situação com calma como sempre fazia. Os seguranças da mansão me reconheceram logo quando desci do taxi, imediatamente, um deles veio ao meu encontro e ajudou a tirar as malas, eu percebi que o outro que ficou no portão, deu as costas discretamente e começou a falar pelo radio transmissor, é lógico que ele estava avisando a alguém que eu havia chegado.

Ao entrar o primeiro a vir ao meu encontro foi Frank Dileo, ele mostrou-se perturbado com minha presença, eu estava cansada, confusa e furiosa por ninguém ter atendido aos meus telefonemas na noite anterior, estava claro que eles estavam me escondendo alguma coisa, restava descobrir o que era:

_Lily? Como... como você chegou até aqui? _Dileo perguntou assustado.

_Ora como Dileo? Dirigindo, pegando um avião, depois um taxi e aqui estou eu! _Eu ironizei nervosa. _Onde está Michael?

_Ele... é... ele está no... é... deixa eu ver...

_Cara, o que está acontecendo aqui? _Eu explodi. _Você não sabe onde Michael está?

_Claro que eu sei Lily, não é isso! Eu.. eu fiquei surpreso com sua chegada repentina e...

_E agora eu vou estragar os planos de vocês não é? Eu quero saber porque tanto mistério, todo mundo está me fazendo de boba, estão escondendo alguma coisa de mim...

_Lily, olha, fique calma! É melhor você falar com Jonh, eu vou ligar e dizer que você está aqui certo? Acomode as crianças, você conhece a casa, leve-as para cima, fique calma e logo, logo Jonh falará com você!

_Você não me conhece não é Dileo? Eu não sou tão calma quanto pareço ser! Grace, por favor, leve as crianças lá para cima. Agora somos só eu e você, então? Vai me contar o que esta acontecendo?

De repente, a sala principal foi invadida por um grupo de pessoas, Jonh Branca era uma delas.

_Lily o que você está fazendo aqui? _Ele também estava espantado.

_Graças a Deus você chegou! Lily estava a ponto de me matar! _Dileo falou aliviado.

_Jonh, o que está acontecendo? Porque todo esse espanto por eu está aqui? Ninguém quis me atender, então tive que vir! Onde está Michael?

_Michael está no teatro, hoje tem ensaio geral com os músicos. Mas... porque você veio? Aconteceu alguma coisa?

_Eu estou aqui justamente para saber se aconteceu alguma coisa! Jonh, há quase uma semana Michael não fala comigo, sempre que eu ligo, alguém diz que ele não está ou está em reunião, eu não sou burra Jonh, é claro que está acontecendo alguma coisa seria por aqui!

_Eu não tenho nenhuma duvida de que você não é burra Lily, e justamente por isso, imagino que deva saber que Michael está sobre uma grande pressão, você sabe como ele fica quando está prestes a iniciar uma turnê, ele ta uma pilha, concentrado, fala nisso dia e noite, você não é um peso Lily, nunca foi, mas para Michael é melhor que você esteja longe nesse momento, assim ele tem mais tempo para se concentrar, não precisa ficar pensando se você está em perigo ou não, aquelas ameaças não pararam, nós tivemos que redobrar ainda mais a segurança dele, Lily, Michael agora é pai de cinco crianças, imagina como ele ficaria se vocês estivessem aqui rodeadas por essas ameaças que nós nem sabemos de onde vem, você sempre foi a nossa melhor arma para acalmar o coração do “rei do pop”, e o melhor para o coração dele agora é sua segurança, sua e dos seus filhos, por favor Lily, você tem que manter a calma, pensar como a assessora que sempre foi, você tem que confiar em nós e em Michael, você sabe que eu amo esse cara, a minha vida toda estive envolvido com ele, eu não vou deixar nada de ruim acontecer, isso tudo vai passar, essa turnê vai acabar e tudo vai ser melhor, você tem que confiar em mim.

De alguma forma, as palavras de Jonh tiraram um pouco da pressão que estava em minha cabeça, eu não estava convencida de que estava tudo bem, mas pelo menos Jonh estava lá e acho que para mim ele nunca mentiria, pelo menos era o que eu esperava dele.

_Ok, Jonh! Tudo bem! Eu entendo que as coisas estão complicadas por aqui, principalmente para Michael. Mas eu estou aqui e não há como voltar atrás, eu vim para ver Michael, falar com ele e é isso que vou fazer.

_Tudo bem! Eu posso te levar até ele, só não me culpe se ele explodir com você ta? Você e Michael formam um par perfeito, “ a Cabeça Dura e o Casca Grossa”! _Jonh sorriu fazendo todos rirem do que havia falado.

Jonh me levou até o Staples Center, onde Michael estava ensaiando com os músicos, durante todo o caminho, nós não nos falamos, eu pensava em cada palavra que Jonh havia me dito, tentava tranqüilizar meu coração, mas quanto mais eu tentava ligar os fatos com a preocupação excessiva de Michael, mais minha cabeça dava nós, eu devia estar aliviada por estar prestes a vê-lo, mas por algum motivo não estava.

Quando chegamos eu fiquei deslumbrada com a grandeza do lugar e logo quando entrei ouvi o som dos instrumentos sendo afinados, haviam cerca de cento e cinqüenta ou mais pessoas andando de um lado para outro.

_Nossa isso aqui é bem maior do que imaginei! _Eu sussurrei segurando o braço direito de Jonh.

_Você ainda não viu nada! _Ele sussurrou de volta.

_Onde Michael está?

Jonh apontou para um palco enorme que estava há alguns metros de nós, haviam várias imagens geométricas e fotos dos Jackson Five espalhadas em cartazes luminosos que mudavam de cor com as batidas do som que estavam tocando, as imagens geométricas também mudavam de forma e tamanho e de vez em quando luzes faiscantes surgiam nas extremidades do palco, Michael estava no centro, de onde eu estava parecia que ele era um bonequinho em cima de um grande bolo, nós nos aproximamos devagar até pararmos em um ponto onde podíamos vê-lo melhor.

_Vamos ouvi-lo um pouco! _Jonh sugeriu.

Michael estava vestindo uma calça de courino vermelha, blusa preta e bleazer azul, logo quando pude vê-lo melhor, achei-o mais magro, mas talvez fosse por causa da roupa que estava usando. O baterista bateu três vezes em suas baquetas e de uma só vez, músicos e vocais, introduziram “Can you feel it” depois de um tempo, Michael, cantou de uma maneira branda, sem esforços, mas lindo e com o talento que só ele tinha, meu coração estremeceu em meu peito, era emocionante vê-lo cantar outra vez, mesmo que fosse só em um ensaio, ao final da musica, ele tentou gritar agudo como de costume para dizer a todos que era hora da próxima canção, mas estranhamente a voz dele não saiu, eu percebi que ficou um pouco sem jeito, mas começou a cantar “All be there”, no meio da canção, Michael pediu para pararem, disse que estava tendo dificuldades para ouvir os instrumentos, ele parecia irritado, tentou recomeçar, pediu para parar mais uma vez e em fim desistiu, pediu desculpas a todos e disse que retomariam o ensaio mais tarde.

_Ele deve está cansado, deve ser isso! _Jonh disse apertando minha mão sobre seu braço.

Michael caminhou cabisbaixo em direção ao fundo do palco, eu percebi que alguém ofereceu uma garrafa, talvez com água, mas ele negou e sumiu atrás de uma enorme parede feita de madeira preta.

_Venha comigo, ele deve está indo para o camarim.

Enquanto eu andava em meio as pessoas, meu coração pulava como pipoca, Jonh me conduziu até uma ala reservada, Kenny Ortega, Randy Phillips e Daill Marck estavam conversando, quando entramos e fomos vistos.

_Ortega, onde Michael está? _Jonh perguntou.

_Ele... ele está lá dentro! _Ortega respondeu sem desgrudar os olhos de mim. _Ele queria ficar um tempo sozinho, está se sentindo cansado.

_Todos já conhecem a Sra. Jackson não é? _Jonh falou e todos acenaram com a cabeça e sorrisos discretos nos lábios. _Lily, eu não vou anunciar que você está aqui, já que você teve a coragem de vir, vá em frente, enfrente sua fera sozinha.

Jonh tentou brincar, mas eu sabia que seria bem provável que Michael ficasse mesmo uma fera comigo, depois de saber a loucura que tinha feito até chegar em Los Angeles com as crianças. Eu abri a porta devagar e minhas mãos estavam tremendo, entrei sem ser notada e vi Michael sentado bem em minha frente, ele estava de costas para mim, diante de um enorme espelho, o camarim estava quase vazio, ainda não tinha maquiagem, nem roupas, nem nenhuma das coisas que ele exigia, haviam apenas alguns papeis, fotos e recortes de jornais e também garrafas de água, vinho e refrigerante, em um canto havia uma mesinha com vários tipos de chocolates, chicles e pirulitos e claro muito MM’S.

Michael estava com a cabeça afundada entre os braços apoiados na bancada que ficava logo em baixo do espelho, eu caminhei suave e abaixei até seu ouvido:

_Alguém aqui está se sentindo sozinho? _Eu sussurrei.

279 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Out 19 2012, 13:13

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado


Michael levantou a cabeça bruscamente e seus olhos fitaram os meus de uma maneira tão profunda que se ele quisesse poderia enxergar ate a minha alma, ele parecia não acreditar que eu estava ali, bem diante dos seus olhos.

_Lily? O... o que você está fazendo aqui?

_Nossa essa já é a quarta vez que me fazem essa pergunta! _Eu sorri amarelo

_Oh My God! Eu não posso acreditar! Você... onde... onde estão as crianças?

_Amor olha, tenha calma! _Eu segurei suas mãos enquanto ele me olhava com cara de assustado. _As crianças estão bem, eu as deixei na mansão e Jonh me trouxe para ver você!

_Lily, mas porque você não me avisou que vinha? Como vocês chegaram aqui?

_Eu vim sozinha, apenas com Grace e as crianças! Eu tive que fazer isso porque sabia que os seguranças não iam me trazer sem sua permissão.

_Meu Deus, você é louca garota! Porque se arriscar tanto assim? Se você estava precisando de alguma coisa, porque não me avisou?

Ele levantou-se e andou um pouco, colocou uma das mãos na testa e a outra na cintura.

_Mike, por favor, não fique bravo comigo. Eu sei, você tem vários motivos para isso, mas entenda amor, eu estava morrendo de preocupação, há três semanas você não vai para Westland e não atende minhas ligações, eu tinha que vir Michael, não aguentava mais esse mistério todo!

Eu cheguei a pensar e até esperar que Michael perdesse de vez a paciência comigo, mas surpreendentemente, ele sorriu, ainda assustado, mas colocou a mão na boca, respirou fundo e sem que eu esperasse, aproximou-se mais de mim, segurou firme meu rosto e disse:

_Maluca! Você perdeu completamente o juízo!

Michael me deu um beijo forte, não foi um beijo profundo, mas também não posso dizer que foi um selinho, ele encostou os lábios nos meus e segurou forte, depois dessa reação, meu corpo relaxou e eu atrevi-me agarrá-lo pela cintura, ele soltou meu rosto e também me abraçou, deslizou a cabeça em meu rosto e repousou em meu ombro.

_Eu não devia dizer isso, mas você não sabe o quanto estou feliz por você está aqui!

Meu Deus! que alivio! Ele não estava bravo comigo, talvez depois fosse até esbravejar , mas o que pude perceber era que minha presença, pelo menos naquele instante era tudo que ele precisava.

_Ah Mike, que bom! Graças a Deus você não está bravo! _Eu o beijei no rosto.

_Eu estou feliz sim Lily, mas isso não quer dizer que acho certo você viajar sozinha com as crianças, sem nenhuma segurança e sem me avisar!

_Eu sei meu amor, eu sei! Mas, eu tinha que vir, Michael o que está acontecendo de verdade? Porque você está se afastando tanto assim? Eu não aguento mais isso, eu queria tanto estar aqui, acompanhando tudo isso, como sempre fiz, mas essa distancia, essa falta de comunicação está acabando comigo!

_Vem cá, senta aqui! _Ele me conduziu até a cadeira e ajoelhou entre minhas pernas. _ Amor, eu já disse mais de mil vezes que não há com o que se preocupar, eu estou bem, esse é o projeto da minha vida, eu quero que saia tudo perfeito, há muitas crianças que dependem do sucesso dessa turnê para continuar vivas, eu vou construir o maior hospital infantil que o mundo já viu, então Lily, eu tenho que reunir todas as minhas forças, tenho que focar cem por cento nisso, eu quero fazer o maior espetáculo da terra, depois de tudo pronto, nós vamos descansar, você e as crianças vão assistir aos shows, nós vamos ficar juntos, mas agora eu preciso que você me entenda!

Michael falava com uma empolgação diferente, eu percebi que ele estava realmente empenhado em fazer daquela turnê a maior de toda sua carreira, mas ao mesmo tempo, havia um certo pesar em sua voz, seus olhos estavam brilhantes, mas ao mesmo tempo cansado. Eu fiquei olhando para ele e lembrando do que Frank havia me dito, só de pensar que ele poderia está sofrendo uma pressão tão grande que estava recorrendo aos remédios novamente, fazia meu coração apertar e ainda mais com o fato de que agora eu não podia fazer nada.

_Porque você está me olhando desse jeito? _Ele me perguntou.

_Mike, Frank ligou pra mim!

_Frank? O que ele queria?

_Michael, você diz que não há motivos para me preocupar mas no fundo sabe que há sim. Frank esteve aqui e disse que você estava estranho, disse que todos falaram com ele de forma estranha... Michael, eu entendo que você queira voltar de uma maneira sensacional e eu juro que estou tão ansiosa quanto qualquer um dos seus fãs, mas você sabe tudo que já passou, você não pode arriscar sua vida e sua saúde por causa disso, não vai valer a pena se você se sacrificar tanto e acabar ficando doente...

_Não, não, não! _Ele me interrompeu. _Não quero ouvir essas coisas! Eu estou bem Lily! Frank não ficou nem cinco minutos comigo, ele disse que estava aqui a trabalho, como ele pode ter me achado estranho? Nós nem conversamos direito. Isso é excesso de preocupação, eu sei que já pisei muito na bola, mas agora tá na hora de vocês me darem um credito! Eu estou fazendo isso, porque quando tudo acabar quero que você sinta orgulho de mim, quero que meus pais, meus irmãos vejam que eu estou diferente, que realmente cheguei onde queria, conseguir ser o homem que queria...

_Eu entendo Michael, mas... por favor, você tem que entender também que pra mim é difícil. Eu me preocupei com você a vida toda, e agora não podia ser diferente, eu estou olhando pra você agora e vejo o quanto parece exausto, você está mais magro Michael, aposto todas as minhas fichas que não está comendo nem dormindo direito, eu posso até vê-lo aqui nesses palcos ensaiando horas e dias a fio, sem parar para descansar, eu imagino o quanto você fica afinando sua voz até sua garganta não aguentar mais, meu Deus, eu posso ver você dançando, dançando até... até desfalecer Michael, eu tenho certeza que é exatamente isso que está acontecendo!

Eu estava muito aflita àquela altura e estava desesperada, eu não estava disposta a voltar para Westland, e sabia que Michael também não estava disposto a me deixar ficar. Ele levantou-se e distanciou um pouco;

_Quanta bobagem Lily, você está vendo coisas que não existe! Você está certa, e sabe que tudo isso esta acontecendo porque me conhece, eu não estou brincando, isso aqui é serio é claro que vou me doar o máximo, e mesmo que você fique aqui, nada vai mudar Lily, eu não vou deixar de ensaiar até desfalecer ou até minha garganta não aguentar mais, esse sou eu, é isso que sei fazer, por isso que acho melhor você ficar longe, eu não quero brigar, quero ficar com minha mente livre, agora dá pra você entender?

De todas as desculpas que Michael havia me dado, aquela foi a mais convincente, de fato eu iria pegar no pé dele, não por mal, mas por costume talvez, eu detestava admitir, mas ele estava coberto de razão, não seria nada bom ter uma esposa falando e brigando por ele querer fazer seu trabalho em paz, mas eu estava disposta a fazer qualquer coisa para acompanhar aquilo de perto, eu sabia que não ia adiantar nada, mas a ideia de estar perto acalmava meu coração. Eu também levantei, aproximei-me dele, uni minhas mão e supliquei:

_Mike, por favor, deixe-nos ficar! Eu juro que fico quietinha, não me meto em nada, não pergunto nem digo nada, eu só quero ficar perto de você, eu prometo que não vou interferir em nada, por favor Mike, por favor!

Ele encostou na parede, cruzou os braços no peito e ficou me olhando por um tempo, eu já estava sem argumento, não tinha mais o que dizer para convencê-lo, em fim, ele disse:

_As crianças não podem parar de estudar Lily, você já pensou nisso?

_Eu tenho certeza que a Professora deles irá onde for preciso, é só conversar um pouco e ela vai me acompanhar!

_Lily, eu não posso fazer isso, os produtores da turnê vão me matar, as coisas não são tão simples como você pensa!

_Michael, você sabe que eu nunca me aproveitei da sua condição de mega astro para conseguir as coisas, mas você é Michael Jackson, essa turnê só vai ser um sucesso por sua causa, você é o que move tudo isso aqui, exija a presença de sua família, eles não podem te negar isso! Por favor Mike!

_Está bem! _Ele soltou os braços e caminhou até mim, foi como se eu estivesse com o corpo em ebulição e alguém jogou um jato refrescante em mim, Michael segurou meu rosto novamente e falou doce, porem firme.

_Você vai poder ficar, mas vai ter que seguir as regras. Nada de perguntas, nada de investigações e principalmente nada de teimosia! _Ele me beijou suavemente. _Você vai poder ficar aqui com as crianças, mas nós vamos providenciar um hotel para vocês, então vocês ficam comigo sempre que der , mas a noite, não importa o que estejamos fazendo, você pega as crianças e vai para o hotel, está certo?

_Mas... porque isso amor?

_Lily, você já está quebrando as regras!

_Tá bom, tá bom, desculpa! Eu aceito Michael, aceito tudo que você quiser! Eu vou seguir todas as suas regras direitinho. _Eu o abracei e ele correspondeu calorosamente. _Ah, Mike, você não imagina o quanto fico aliviada, só de está aqui pertinho de você, meu coração já fica mais leve!

_Amor, eu não podia deixar você ficar, mas quero que saiba que é muito bom ter você e os meus filhos perto de mim nesse momento. Eu ... eu amo vocês demais!

A voz de Michael, pareceu embargada, eu tentei me afastar um pouco para olhar em seu rosto, mas ele me apertou ainda mais, parecia que não queria que eu visse que talvez ele tivesse... chorando.

Estava decidido então, eu ia ficar. Todos da equipe levaram um susto com a decisão de Michael e mais uma vez eles tiveram certeza de que eu tinha o poder de mudar as decisões do “rei”, eu sabia que tinha que tomar muito cuidado, não queria que as pessoas pensassem que eu poderia atrapalhar fazendo Michael mudar de opiniões, eu iria fazer o possível para não ficar longe outra vez. Jonh providenciou um hotel no centro da cidade, não era tão longe da mansão, e eu aceitei ficar lá sem questionar nada, assim, todos os dias, um segurança vinha e nos levava para Holmby Hills, mesmo se Michael não estivesse, as crianças e eu passávamos o dia inteiro lá e a noite éramos levados para o hotel novamente. Aquilo era estranho, não parecia nada com a vida de uma pessoa normal, mas eu tinha que aceitar que mesmo eu sendo a pessoa mais normal do mundo, meu esposo passava bem longe de tudo que parecesse normal, eu sabia que aquele vai e vem não seria saudável para meus filhos, mas mesmo pensando nisso tudo, algo mais forte que eu me dizia que aquela era a hora de ficar perto de Michael.

Faltava pouco mais de um mês para a turnê começar e mesmo nas poucas vezes que ficava com Michael eu percebia o quanto ele estava cansado, apreensivo e com medo de que tudo pudesse dar errado. Logo quando eu voltei para Westland e Michael ficou em Los Angeles, ele me contou que pediu a AEG que providenciasse um médico para o acompanhá-lo vinte e quatro horas, a principio eu me assustei, mas ele disse que era apenas por prevenção e também por um pouco de estrelismo, “Se o presidente tem um médico a disposição dele, eu também quero ter um!” ele me falou brincando.

280 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Dom Out 21 2012, 13:52

Miloca

avatar
Fã Veterano
Fã Veterano
Ai meu pai! Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked Quanto suspense, quanta tensão, quanto tudo! Voltou abalando bangu hein, colega? Puxa vida, nem sei o que comentar depois disso além de: POSTA MAAAAAAAAAAIIISSS!!!!
verrr* verrr* verrr*
Ansioseréssima pros próximos capítulos.
verrr* verrr* verrr*

Ah, o conselho de trocar a pipoca pelas unhas não adiantou. Tá só nos cotocos aqui de tanta ansiedade e de tanta pressão pra ver esses dois bem de novo. odeio ver o bebê mal e se envolvendo com gente que só quer se aproveitar dele. gonnacry cry** Espero que tudo fique bem rápido.

I love you Beijacksons flor I love you
E seja muitissíssimo bem-vinda de volta novamente turned

281 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Dom Out 21 2012, 20:15

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Miloca escreveu:Ai meu pai! Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked Quanto suspense, quanta tensão, quanto tudo! Voltou abalando bangu hein, colega? Puxa vida, nem sei o que comentar depois disso além de: POSTA MAAAAAAAAAAIIISSS!!!!


Ansioseréssima pros próximos capítulos.
Ah, o conselho de trocar a pipoca pelas unhas não adiantou. Tá só nos cotocos aqui de tanta ansiedade e de tanta pressão pra ver esses dois bem de novo. odeio ver o bebê mal e se envolvendo com gente que só quer se aproveitar dele. Espero que tudo fique bem rápido.


I love you Beijacksons flor I love you
E seja muitissíssimo bem-vinda de volta novamente



Miloca do meu coração, você não imagina como eu fico nervosa escrevendo, meu coração dá umas pontadas doidas kkkkk! obrigado por acompanhar tá? beijão!

282 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Seg Out 22 2012, 11:28

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Eram raras as vezes que eu encontrava Conrad Murray, ele era sempre muito discreto e parecia que evitava qualquer contato mais próximo comigo, eu ficava intrigada, mas não podia quebrar as regras, então ficava na minha.
Essa condição de “ficar na minha” foi algo que não escolhi, eu nunca fiquei na minha quando o assunto era Michael Jackson, sempre analisei a fundo tudo que era contrato, sempre estive presente em todos os lugares, sempre fui uma verdadeira “Sininho” voando atrás do seu “Peter Pan” por todos os lugares. De fato, não tive escolha e acabei embarcando na pior loucura de toda minha vida. Aquela era a primeira turnê de Michael depois do nascimento dos seus cinco filhos e talvez por esse motivo, pelo fato de que agora era muito difícil seguir todos os passos do meu “Ídolo” eu me acomodei, Michael me assegurava a todo instante de que ele estava bem, e eu não quis sacrificar ainda mais os meus filhos, em meu coração, lá no fundo, eu esperava que aquilo tudo ia passar e nós voltaríamos a viver nossa vida como sempre sonhei... Ah meu Deus, se arrependimento matasse...
Vivemos assim por todo aquele tempo e já estávamos com as malas quase prontas, e a ansiedade que as crianças e eu estávamos sentindo nos motivava a suportar tudo aquilo com a certeza de que veríamos o homem mais importantes de nossas vidas, brilhar mais que as estrelas, mais até que o próprio sol.
Uma das coisas que me marcou nos preparativos para aquela turnê, foi o dia em que finalmente Michael decidiu me levar para assistir a um dos seus ensaios, 24 de junho de 2009, aquele foi especial porque seria o último antes do grande concerto, depois partiríamos para Londres.
O que eu pude ver foi um Michael Jackson perfeito, lindo e mais talentoso do que nunca, suas performances estavam esplendidas e a cada música ele interpretava com uma emoção perceptível a todos, o meu Michael estava pronto, tudo estava saindo como ele sempre sonhou, nada poderia dar errado, eu sabia que mais uma vez, ele tinha encontrado mais uma vez o seu lugar ao sol. Quando tudo terminou, a noite já havia chegado, eu esperava que passaríamos rápido na mansão, pegaríamos as crianças e seguiríamos direto para o hotel, sem Michael é claro, porem assim que o carro começou a andar, ele me surpreendeu com um pedido:
_Lily você está muito cansada? _Ele perguntou segurando minha mão.
_Não, porque?
_Eu queria que você ficasse na mansão hoje, pode ser?
Eu olhei para Michael e imaginei, “meu Deus, como ele pode me fazer uma pergunta dessa?” era obvio que aquilo era tudo que eu queria, não precisava nem pedir, meu coração estava sorrindo discreto, eu estava morrendo de saudades da intimidade que tínhamos, eu entendia que aqueles dias não eram nem pra pensar nisso, mas só a possibilidade de poder passar uma noite ao lado dele, mesmo que só conversando ou dormindo já era suficiente para mim.
_Você sabe que é o que mais quero!
Michael me abraçou com ternura e eu me aconcheguei ainda mais em seus braços, ele estava com o corpo quente e embora estivesse bem mais magro do que sempre foi, eu senti como se ele fosse um gigante, ficamos assim ate chegarmos na mansão.
_Você deve está exausto não é? _Perguntei.
_Estou sim, muito exausto, mas não estou com o mínimo sono. Nossa estou tão ansioso, não sei quando vou conseguir pregar os olhos!
_Imagino! Mas hoje eu estou aqui, vamos ficar jogando conversa fora até você dormir, como sempre faz.

_Vamos ver as crianças?
_Elas estão dormindo Mike, já é tarde!
_Eu não vou acordá-las, só quero vê-las e beijar-las, há muito tempo que não levo meus filhos para a cama!
Michael estava falando baixo, desanimado, nem parecia o mesmo que estava ensaiando há algumas horas atrás, eu subi o primeiro degrau e virei para ficar na mesma direção do rosto seu rosto, ele me seguia com a cabeça baixa, eu segurei seu queixo e ergui um pouco, ele me olhou e eu perguntei:
_Michael você está triste?
_Triste? _Ele perguntou sério. _Não, triste não! Apreensivo talvez, mas triste não!
_Estou te achando calado demais! Olha eu não quero de maneira nenhuma quebrar as regras, mas... tem alguma coisa que você queira me contar?
_Você não desiste mesmo não é? _Ele sorriu meio sem graça. _Vamos lá curiosa, vamos ver nossos filhos!
Ele me virou e empurrou minhas costas de leve me fazendo subir as escadas, e minha pergunta ficou como sempre, sem resposta. Chegamos na porta do quarto da Paris e entramos sem fazer barulho, ela estava deitada de costas com uma das pernas flexionada e com seu travesseiro de estimação em cima da cabeça, Michael caminhou até a cama, ajoelhou e começou a alisar a testa da filha, depois ele encostou o nariz em sua bochecha vermelha e ficou assim por um bom tempo, eu observava tudo da porta.
_Minha princesinha! _Ele sussurrou. _Você trouxe muita alegria para a minha vida, eu tenho muito orgulho por ter uma filha tão linda como você! _Ele cheirou o rosto de Paris mais uma vez, passou a mão em suas costas e levantou, ela nem se mexeu.
_Que soninho gostoso! _Ele disse. _Vamos!

O próximo a ser visitado foi Prince, nos entramos da mesma forma, de mansinho e Michael seguiu o mesmo ritual, ajoelhou e cheirou o rosto do filho.
_Nossa, como você está grande filho! Tenho certeza que você vai se tornar um grande homem, e quando eu estiver fora, vou ficar tranqüilo sabe porque? Porque sei que você vai cuidar da sua mãe e dos seus irmãos. Eu te amo muito meu pequeno príncipe, você deu um sentido novo a minha vida!
Até então aquela atitude de Michael estava normal para mim, mas de repente, senti uma pontada aguda no peito, eu não entendia mas as palavras dele estavam trazendo um pouco de angustia para meu coração.
Saímos e fomos ao quarto onde Blanket, Liam e Jacey dormiam, Grace ainda estava lá, nós entramos de mansinho:
_Olá Grace! _Michael falou baixinho, eu apenas sorri e toquei no ombro dela.
_Boa noite Sr. Jackson!
_Viemos ver as crianças Grace! _Falei.
_Jacey acabou de dormir, ela está com o sono leve hoje! Vou lá em baixo trocar as mamadeiras está certo? Qualquer coisa pode me chamar.
_Obrigado Grace, você tem feito um bom trabalho! Deus abençoe você por amar essas crianças! _Michael disse a ela. Grace sorriu e deixou o quarto.
Michael caminhou até a cama de Blanket, se ajoelhou, afastou os cabelos do filho do rosto e disse:
_Cara, como você se parece comigo! _Ele olhou para mim e estendeu-me a mão. _Você lembra o susto que levamos quando ele nasceu? _Eu sorri com o coração apertado. _Valeu a pena, nosso “Cobertor” é a criança mais doce do mundo todo, ele é um presente! O meu presente!
Michael se levantou e carregou Liam no colo, ele se contorceu todo no colo do pai:

_Amor você vai acordá-lo! _Eu disse sussurrando.
_Como eles são lindos! Tão parecidos, parecem uma só pessoa! _Ele beijou a testa de Liam e o colocou novamente no berço, depois curvou o corpo e beijou Jacey de leve:
_Você é igual ao papai não é? Não gosta muito de dormir! _Ele sorriu. _Você é linda Jacey, linda como sua mãe!
Saímos e fechamos a porta devagar, Michael me deu a mão e me conduziu até seu quarto, eu estava sem palavras, eu sabia que ele estava se despedindo dos filhos porque a turnê estava começando e certamente, demoraria muito até ele poder fazer aquilo novamente, mas de alguma forma aquilo me trouxe tristeza, alguma coisa não caiu bem, eu não sabia o que era, mas as coisas não estavam bem.
Quando entramos no quarto, Michael pegou o telefone e antes de discar, ele falou:
_Fique a vontade ta? Eu vou fazer uma rápida ligação!
_Tudo bem!
Michael falou ao telefone de uma maneira misteriosa, eu não era ingênua e logo percebi que ele não queria que soubesse com quem estava falando:
_Oi, sou eu! E então... é... acho que vou precisar de você hoje. _Ele disse.
_...
_Então ta, te espero! É... minha família está aqui, eu... eu vou ficar com minha esposa um pouco e depois começamos nossa reunião, está certo?
Boba eu poderia até parecer, mas com certeza não era. Eu fiquei morrendo de curiosidade de saber com quem ele tinha falado, mas não ia perguntar, estava cansada de desculpas.
_Reunião? _Foi apenas o que perguntei.
_É... é que marquei com algumas pessoas, vamos resolver pequenos detalhes que ainda faltam, eu sabia que não conseguiria dormir, então nada melhor do que trabalhar para passar o tempo, você se incomoda?
_Não! Só achei que iríamos ter essa noite só pra nós!
_Não se preocupe! _Ele se aproximou e me abraçou pela cintura. _Nós vamos ficar aqui o tempo que você quiser, não tenho pressa!
_Ah Mike! Tudo parece tão estranho! _Eu também o abracei colocando minha cabeça em seu peito. _Agora que a turnê está para começar, me bateu um sentimento estranho, eu ouvi você dizer aquelas coisas as crianças e me senti tão mal!
_Bobagem amor! É que você está ansiosa também! _Ele segurou minha mão e caminhou até uma poltrona que estava bem em frente a sua cama, sentou-se e me fez sentar em seu colo:
_Sabe amor, você é a coisa mais importante da minha vida! Tudo isso que está acontecendo é fruto da sua dedicação, da sua paciência, do seu amor...
_Mike! _Eu passei a mão em seu rosto. _Você é o único responsável por tudo isso, sua força de vontade e sua garra te trouxe até aqui, você tem muito amor no coração e é isso que te move!
_Um dia eu te disse que todo mundo tem uma missão na vida, e que a sua missão era cuidar de mim, me proteger, e isso é a pura verdade, eu não te tirei do seu Pais e da sua família por acaso, não foi uma mera paixão a primeira vista, foi... foi algo divino, um plano que não foi feito nem por mim, nem por você, e em todos esses anos você cumpriu sua missão perfeitamente, cuidou de mim como ninguém nunca fez, eu amo muito você Lily!
_Eu também te amo demais Michael!
Nós nos beijamos intensamente, há muito tempo não tínhamos tempo, nem clima para nos beijarmos daquela forma, a medida que íamos nos entregando, ele apertava meus braços e deslizava as mãos até a minha coxa, meu corpo arrepiava por inteiro, quanta saudade eu sentia do meu anjo, só Deus sabe a falta que ele me fazia.
_Quando olho pra você assim bem de pertinho me lembro do primeiro dia em que te vi! Ele disse quando paramos o beijo. _Você entrou naquele quarto com uma cara tão assustada, que parecia que estava vendo um fantasma!
_Mentira!!! Você é quem estava assustado, com medo de estar doente, e além do mais estava com o rosto coberto e nem viu quando entrei! _Eu falei sorrindo.
_Eu te vi sim! Cobri o rosto para não rir do seu susto!
_Eu me lembro como se fosse hoje...

“ Entrei na suite devagar e minhas pernas tremiam como galhos ao vento, minhas mãos estavam geladas que faziam as pontas dos meus dedos doerem, haviam várias pessoas no quarto, umas oito, se não me engano, lembro-me daquela cena como hoje, Marcel Avram, Bill Brain, Karen Faye entre outras pessoas que conheçi e convivi ao longo do tempo. Ao atravessar a porta da pequena antesala da suite, dei de cara com uma cena memorável, Michael estava sentado na cama segurando uma toalha branca no rosto, seus cabelos estavam enrroladinhos e levemente baguncados, ele estava vestindo uma camiseta de algodão branca, tão fininha que era quase transparente, calça preta e somente meias alvas como a neve, eu não conseguia desviar os olhos para mais nada, enquanto o Dr. Martins falava eu ia traduzindo para Marcel mecanicamente. O que aconteceu foi que mesmo com todo clima agradável que estava na suite por causa dos condicionadores de ar, Michael não parava de suar e isso o estava deixando nervoso e preocupado, para que o Dr. pudesse examina-lo, Marcel pediu:

_Michael, tire a toalha do rosto!
_Oh, sorry! _ Disse Michael, com a voz mais doce que eu já tinha ouvido em minha vida. Ele abaixou a toalha e escutava atentamente a tudo que eu dizia, sem tirar os olhos do Dr.”

_Você estava muito engraçada! De cara me encantei com a cor de sua pele, a cor de seus olhos, achei seu cabelão lindo e exotico, e me interessei muito com a sua fluência no inglês.
_Eu quase tive um troço quando você me pediu para ficar! _Eu falei colocando as mão no rosto.
_E daí em diante, nunca mais nos separamos!
_E quanta coisa já vivemos! Quando pisei em Neverland pela primeira vez, parecia que estava entrando em outro mundo, lembro de você vir me receber com aquele macacão laranja engraçado, eu te achei tão estranho!
_Naquele dia eu estava tão cansado, não queria conversar com ninguem e Branca queria resolver onde você iria ficar, eu inventei um desculpa lembra? E você foi ficando, ficando...

“Quando os portões de Neverland se abriram, minha boca se abriu tanto quanto, eu estava perplexa, era madrugada, tudo escuro, mas o rancho estava iluminado como se fosse dia, a distância dos portões até a casa principal era grande, e fomos de carro até lá. A casa não estava muito movimentada, aliás eu esperava ver por lá muita gente andando de um lado para outro, um monte de empregados, mas ao contrário, estava bem tranquila, apenas seguranças circulavam por lá. Jonh me conduziu até uma enorme sala, com poltronas em estilo barroco, quadros de Michelangelo, nas paredes e tapetes felpudos, Michael estava em pé, em frente a uma enorme laleira, vestido em um macação laranja.
_Boa noite Michael, eu trouxe sua encomenda! _Disse Jonh.
_Oh, seja bem vinda Lilian! Que bom que você veio! _ Michael disse, caminhando em minha direção, eu estava tremendo por dentro.
_Obrigado Michael, espero fazer o melhor que puder!_Falei.
_Michael, precisamos combinar onde ela vai ficar...
_Está tarde Branca! _Michael o interrompeu, deixe-a ficar por aqui essa noite, a casa é muito grande, isso se você não se importar Lilian!
_Claro que não, eu posso ficar onde vocês quiserem! _Respondi. Era muito engraçado, Michael chamava Jonh, de Branca, esse era o sobrenome dele, mas não é comum no Brasil, e apenas ele chamava Jonh assim.
_Lilian, lá em cima tem muitos quartos, você pode ficar em um deles esta noite, você pode tomar um banho, descansar um pouco e mais tarde conversamos! _Disse Michael gentilmente.
_Tudo bem! _ Respondi.
_Branca, por favor, peça para a Tuddy levá-la até um dos quartos!”

_Eu lembro da minha primeira turnê, fiquei com o queixo caído, minha vontade era ligar para o Brasil e contar pra todo mundo que tinha assistido aos shows de Michael Jackson todinhos e bem de pertinho! _Eu ri envergonhada.

_Mas você apesar de ter se tornado minha melhor amiga, sempre foi muito profissional e discreta!

_Eu fazia o maior esforço para não sair me babando toda quando estava perto de você Michael!

_Sua boba! Eu achava engraçado o seu sotaque, adorava quando você me chamava de “Chefe”!
_É amor, acho que você tem toda razão, só sendo um plano Divino mesmo prá você gostar de uma mulher tão simples e tão sem graça como eu!
_Lily, não foi dificil me apaixonar por você! Qualquer homem se dobraria aos encantos da sua simplicidade! Quando você se acostumou comigo, sua naturalidade me encantava a cada dia, você dormia de moleton e meias, acordava descabelada, ficava me perguntando as coisas quando viajavamos, era tudo tão natural que me encantou de verdade, eu sempre fui rodeado de pessoas que fingiam ser quem não eram só porque estava do meu lado, e quando encontrei você, não teve geito, tive que me apaixonar!
_É mais demorou prá perceber essa paixão não é? Eu senti isso na pele!
_Eu sei! Eu não entendia porque não conseguia ficar longe de você, quando você inventava ir para o Brasil eu ficava perdido, tudo que eu fazia tinha que ter você por perto, parecia que faltava uma parte de mim quando não estava. E quando você namorou com Branca, meu Deus, eu ficava com tanta raiva, não entendia o porque, e mesmo estando com Lisa, sentia ciumes de você, eu... eu... não entendia porque aquilo acontecia, só agora eu entendo que aquilo que sentia por você não era capricho, nem simples amizade, era amor!
Ele me deu um beijo suave.
_E eu te amei desde o primeiro dia que pisei em sua casa! Levei muito tempo para admitir, mas quando você casou com Lisa... ai não deu pra segurar!

“Voltei para os EUA e viajamos para a Republica Dominicana, onde Michael e Lisa se casaram em um quarto de hotel, sem festa, sem alarde e sem ninguém da familia presente, alías ninguem sabia desse casamento, apenas Jonh e eu estavamos presente, alem do juíz de paz, para sermos testemunha. Naquela noite eu chorei mais do que tudo na minha vida, foi duro ver o sorriso maravilhoso que Michael estampava no rosto, no final, um beijo apaixonado. Depois da cerimônia, deixamos os dois sozinhos, eu e Jonh, fomos dar uma volta, jantamos, mas nada conseguia arrancar um sorriso de mim, Jonh começou a notar que havia algo de errado, mas eu não conseguia disfarçar a minha tristeza, de volta ao hotel, ele ainda tentou se aproximar, me fazer carícias, ma amar, mas eu não permitir que ele me tocasse, eu não podia, não nessa noite:
_Lily, você está assim por causa do casamento de Michael? _Jonh perguntou franzindo a testa, eu senti um frio na espinha, queria dizer que sim e chorar nos braços dele, mas as coisas não podiam ser assim, eu não podia magoá-lo e esperar compreenção:
_Não Jonh, eu estou feliz por Michael, mas é que... sei lá! _Eu ainda procurava uma desculpa. _É que eu queria ter ficado um pouco mais com minha familia! _Algumas lágrimas correram em meu rosto, senti ele ferver, Jonh aproximou-se mais de mim, enlaçou minha cintura e me puxou para seu peito afagando meus cabelos:
_Lily, você está ardendo em febre! _Ele falou assustado, afastando-me para olhar meu rosto, eu voltei a me abraçar nele e afundei meu rosto em seu peito:
_Jonh, cuide de mim, eu preciso tanto de você!

Ficamos juntos e Jonh me tratou com toda dedicação e carinho de um homem apaixonado, não era justo o que meu coração estava fazendo comigo, nem muito menos com Jonh.”

_Nossa, eu posso imaginar o quanto você sofreu! _Ele me abraçou.
_Sofri sim, mas acho que com Debbie foi ainda pior! Eu sabia que você não a amava, eu estava desapontada por ela está esperando um filho seu sem eu saber quando nem como vocês resolveram fazer aquela loucura, foi a unica vez que você escondeu algo de mim, eu estava sozinha, eu... eu tive tenta vontade de fugir e esqueçer que um dia tinha te conhecido, no fundo eu pensava, porque ela e não eu, já que eramos tão amigos?
_Sabe, eu cheguei a cogitar essa possibilidade, mas achei que você nunca aceitaria, Debbie era doidona, não ligava pra nada, mas você era diferente, sempre certinha, discreta, eu tive medo de te fazer essa proposta e te ofende e você acabar indo embora!


“De volta a Neverland, Michael recebeu um convite para fazer uma apresentação em um show de premiação na Turquia, ele seria homenagiado pela música “Remember the Time”, então quase sem descançar, voamos para a Turquia com toda a equipe. Michael não estava diferente, e eu não percebi que algo estava prestes a acontecer. Nós ficamos hospedados em um hotel na capital, na noite anterior a apresentação, eu estava em meu quarto quando Michael entrou sem bater:
_Oi. Tá ocupada? _Ele parecia preocupado.
_Não, não. Só tô aqui organizando seus figurinos.
_Eu preciso lhe dizer algo!
_Ô,ô! O que foi dessa vez Michael? _Brinquei jogando uma camisa nele.
_Senta aqui comigo um pouco! _A expressão dele me preocupou um pouco, eu percebi que a coisa poderia ser seria.
_O que aconteceu Mike? Você está tão sério. _Sentei ao seu lado.
_Lily, eu... er... poxa, não sei como dizer!
_Eu estou ficando preocupada Mike, fala logo!
_Jura que vai me entender?
_Michael, por favor!
_É... é a Debbie!
_Debbie? O que há com ela?
_Ela vai... ela vai ter um bebê!
_Mas... espere ai Michael, quem é o pai desse bebê? _Ele não respondeu, apenas olhou para mim e franziu a sombrançelha.
_Michael, eu não acredito! Você e a Debbie vão ter um filho? _Eu levantei da cama e andei de um lado a outro, incredula. _Mas Mike, como você pôde? Por acaso eu deixei de ser seu amiga? Você disse que era amigo de Debbie e agora vão ter um filho? E eu não sabia de nada?
_Mas você é a única pessoa que sabe!
_Sei do que? _Minha voz estava ficando alterada. _Você tem um caso com Debbie, e eu sabia? Vocês planejavam ter um filho, e eu sabia Michael? Eu nem posso acreditar!
_Calma Lily, as coisas não são como você pensa.
_Eu não penso nada Michael, aliás, desculpa tá, a vida é sua e você pode fazer dela o que quiser!
_Lily, deixa eu te explicar...
_Não precisa explicar nada! Eu sou só a sua assistente, sua funciónaria, só isso! Você não me deve explicações.
Eu deixei o quarto bruscamente, eu estava tão irritada, tão decepcionada que nem percebi que tinha gritado com Michael, eu estava em pedaços, me sentindo traída, o caso com Debbie estava sendo pior que o de Lisa, com ela eu sabia de tudo que estava acontecendo, mas agora, Michael estava fazendo segredos. Eu corri para a garagem do hotel e abaixei-me atráz de um carro vermelho que estava nos fundos, eu estava me sentindo como um bicho ferido e coagido, chorei, chorei muito até minha cabeça ficar ao ponto de entrar em ebulição, senti uma raiva enorme, um sentimento negro invadiu meu coração, eu odeio Michael, odeio Debbie... odeio essa criança.”

_Foi muito dificil prá mim, mas quando aquele loirinho nasceu e eu tive que assumir o papel de mãe na vida dele, meu Deus, como me apaixonei! Com a Paris foi mais fácil, eu já sabia que ela seria minha, e você estava tão feliz, se quisesse poderia ter mais uns dez filhos daquele geito que não me importaria!
_Eu sei que não! Mas o destino nos deu uma mãozinha né?
_Sei, o destino chamado Katharine, não é?
_Como assim? _Ele sorriu fingindo que não sabia do que eu falava.
_Eu sei que sua mãe te contou que eu te amava Michael, eu vi vocês dois conversado no mesmo dia em que eu contei pra ela, depois você ficou todo melosinho, se aproximando cada vez mais de mim, me tirando todo oxigênio e me matando de nervoso!
_Ela me contou sim Lily, mas só acendeu o que eu já sabia! Lembra de quando você me contou?
_Eu não te contei nada, você leu meu diário! Eu tive alguma escolha?

“_Sabe Lily, há algund dias venho pensando no verdadeiro sentido de se estar apaixonado, tenho pensado em até que ponto uma pessoa apaixonada pode se doar para outra, eu vejo o amor que tenho por todas as crianças, e hoje com meus filhos, eu já fiz e faria tudo por eles, é um amor muito grande que não tem como acabar, é pra sempre! E se fosse amor ou mesmo paixão o que houve entre Lisa e eu não teria acabado, eu me doaria pra ela e não teria feito tudo que fiz para mágoa-la e ela também faria isso por mim entende?_ Michael deitou a cabeça no travesseiro e ficou olhando para o teto, uma mechinha de cabelo lhe cobria o olho esquerdo, era linda aquela visão, num gesto involuntário eu afastei a mecha de uma maneira tão suave que ele fechou os olhos, tive uma louca vontade de beija-lo, meu coração deu um pulo, recuei a mão tão rápido que bati o cotovelo na parede, ele abriu os olhos e virou o rosto em minha direção, ele estava sério e eu sem graça perguntei:
_Você disse que não está apaixonado, mas com certeza deve ter acontecido alguma coisa que te levou a pensar desse jeito!
_Aconteceu sim! _Ele disse levantando devagar. _Aconteceu algo que me deixou extremamente pensativo em relação ao amor e tem a ver com você!
_Comigo??? _Senti um forte soco no estômago. _Como assim?
_É essa coisa de você estar sempre ao meu lado, me suportando por todos esses anos, ter deixado sua familia, e ... e ter ficado comigo, agora com meus filhos, nesse mundo louco em que vivemos, eu tenho olhado pra você e visto sua dedicação, sua lealdade, você... você é uma mulher muito bonita Lily, inteligente, você poderia estar com quem quisesse, eu conheço vários caras que fariam de tudo para ficar com você, até já apresentei alguns deles, anônimos e famosos e você prefere sempre estar sozinha, você e Branca, parecia que era pra sempre, mas...
Michael segurou minhas mãos e olhou fixamente para mim, meu Deus o que está acontecendo? Porque ele estava dizendo aquelas coisas? Eu estava tão atônita que não conseguia respirar, eu procurava o ar mas não conseguia fazer com que ele chegasse ao meu pulmão, só eu sabia do meu sentimento, mas ele não, não era para saber.
_Eu queria ouvir de você se já se apaixonou alguma vez, ou se ainda está apaixonada, porque... porque... oh, meu Deus, como vou dizer isso... hamm... você vai me odiar, mas vamos lá, eu ... eu li o seu diário!
Eu nem sei como consegui soltar as minhas mãos e pular da cama daquele jeito, quando dei por mim, estava em pé no chão. Meu Deus, não pode ser, meu segredo, guardado a sete chaves, agora estava tudo revelado, ele sabia de tudo, em segundos eu lembrei de todas as coisas que escrevi naquele diário, nossas viagens, a dor de vê-lo casado com Lisa...tudo, ah meu Deus, que vergonha.
_Michael, como... como você fez isso?
_Foi sem querer eu juro!
_Meu Deus, você não podia ter feito isso! Que vergonha!
_Calma Lily, vamos conversar!
_Não há o que conversar Michael, onde você achou meu diário?
_Calma, não foi porque eu quis, é... eu achei e...
_Você não tinha esse direito Michael, não tinha mesmo!
Ficamos calados um tempo, Michael sentado na beira da cama, com as mãos cruzadas sobre o peito, e eu que estava em pé, tive que me apoiar na mesinha que tinha em baixo da janela, eu estava completamente sem chão e parecia que ia desabar a qualquer instante. Eu não tinha muito o que fazer, ele já tinha lido e agora sabia de tudo, eu até pensei em desmentir, mas como explicar tantos detalhes, não, se eu fosse fazer isso ficaria pior, agora que não tinha saída, o melhor que tinha a fazer era encarar os fatos, de frente.
_Como foi que você achou meu diário Michael?
_Eu não achei, você deixou ele no meu quarto!
_Impossível, eu nunca faria isso, nem se tivesse bêbada!
_Lembra do dia que a Paris teve febre e você ficou no quarto dela até pegar no sono?
_Lembro.
_Então, eu acho que você estava muito cansada e quando fui até o quarto, você estava deitada no tapete, eu não quis te acordar, então vi o diário ao seu lado, achei que era um livro qualquer, sei lá, eu peguei e começei a ler, cada relato era mais interessante que o outro, tinha alegrias, tristezas, realizações... dor, eram tantos detalhes, eu fiquei curioso... sinto muito! _Ele abaixou a cabeça.
_Então é isso Michael, agora você sabe de tudo! _Disse suspirando. Michael levantou da cama e caminhou em minha direção, eu senti meu ventre contrair.
_Você ainde é apaixonada por mim?
Aquela pergunta mexeu comigo, o que dizer ao homem que se ama numa hora dessas, eu sonhei tanto com aquele momento e agora que ele havia chegado, não tinha coragem para encará-lo, Michael queria saber se ainda era apaixonada por ele, e eu poderia dizer qualquer coisa, sim ou não, nada ia mudar, ele nunca me olharia com outros olhos.
_Michael, eu... isso é complicado, você não tinha que saber dessas coisas, são bobagens, minhas bobagens, não tem nada a ver com você...
_Como não tem nada a ver comigo? _Ele me interrompeu. _É exatamente sobre mimque estamos falando, você diz no diário que sempre me amou, que sofreu quando eu casei com Lisa e com Debbie, você descreve uma dor profunda cada vez que eu estava com alguém, como isso não tem a ver comigo? Eu li coisas que nem lembrava que tinha acontecido, e em relação a Branca? Você não se casou com ele por minha causa, você disse que poderia ter sua casa, seus filhos, ter ao seu lado o homeme que realmente te amou e não o fez por minha causa. Não dá pra simplesmente ignorar isso Lily, eu devo ter feito muito mal a você, eu atrapalhei sua vida.
_Não Michael! Isso é coisa da minha cabeça, você não tem culpa se eu cultivei algo dentro de mim que não deveria! _Ele estava em minha frente, eu estava com muita vontade de chorar e morrendo de vergonha. _Sabe Michael, eu sempre gostei de você como toda fã, mas todo esse tempo juntos, eu pude conhecer o verdadeiro Michael Jackson, não aquele que vemos no palco ou na tv, mas aquele que é homem, que ri, que chora, que sofre, e aquilo que sentia foi ficando cada vez maior, então eu percebi que não era só amizade, quando você casou com Lisa... eu sofri tanto, só Deus sabe, e aquilo só aumentava, depois tinha Jonh, ele me amava, eu cheguei gostar dele, tentei me apaixonar, mas não conseguia, eu pensava em você o tempo todo e quando acabou tudo entre você e Lisa, eu tinha que ficar ao seu lado, é claro que eu nunca pensei que... eu juro que nunca passou pela minha cabeça que um dia você ia querer ficar comigo, é por isso que eu digo Michael, é um sentimento só meu. Depois veio a Debbie, as crianças, as outras namoradas... na verdade Jonh era um porto seguro para mim, mas ele sabia que eu gostava de você e um dia ele cansou e... você sabe... _As palavras começaram a sair cortando minha garganta, meus olhos ficaram quentes e algumas lágrimas saíram sem permissão. _Quando Jonh desistiu de mim, eu desisti do amor, me conformava apenas em ficar do seu lado...
_Oh Liy! _Michael aproximou-se de mim e começou a acariciar meu rosto, meu corpo ficou mais tenso, as pernas pareciam não existir. _Se eu soubesse disso! _Ele disse prendendo um dos meus cachinhos atrás da minha orelha.
_Não Mike, por favor! A última coisa que eu quero ver é você ter pena de mim, isso eu não iria suportar!
_Mas eu não estou com pena de você, eu imagino como seria diferente, se... talves se... olha, vem aqui comigo. _Ele segurou minha mão e me conduziu até a cama, sentou ao meu lado, passou mais uma vez a mão no meu cabelo e disse:
_Olha, eu te acho uma mulher muito bonita e atraente, eu estaria mentindo se disesse que nunca olhei para você, para seu corpo, as vezes penso bobagens quando estamos juntos. _Ele esboçou um sorriso e colocou a mão em cima da minha. _Nós estamos sempre tão próximos, mas você é tão discreta e tão minha amiga, que eu nunca tive coragem de falar ou perguntar alguma coisa, tinha medo de te magoar, passar dos limites, eu até cheguei a desconfiar que você gostava de mim, e até torci para que isso fosse verdade, até que minha mãe abriu meus olhos...
Michael aproximou-se ainda mais, meu coração estava batendo em ritimo de escola de sambe, eu não pensava em nada, minha respiração estava ficando cada vez mais forte e dificil.
_É tão estranho eu te falar isso! _Ele disse.
_É mais estranho ainda ouvir isso de você! _Falei enxugando os olhos com as costas das mãos, ele acariciava meu rosto, eu segurei sua mão e abaixei devagar.
_Você é uma pessoa frágil Mike, esqueça tudo isso, nós não precisamos mexer nisso agora!
_Não, isso não é frágilidade. Eu queria ter a chanse de retribuir tudo que você faz por mim, eu te dou tanto trabalho, e tudo que você me dá é amor, e eu nunca te dei o amor que você esperava... eu queria retribuir...
_Michael, não é normal ficar com alguem por gratidão, isso é pena, me incomoda!
_Lily ninguém está me obrigando a nada, eu confesso que não queria fazer isso só por você, eu sempre procurei amor em todo lugar, mesmo rodeado de pessoas, sempre me senti tão só, eu queria dar uma chanse a mim, aos meus filhos... a você! _Ele agora estava tão perto que eu podia sentir a sua respiração em meu rosto, ele me olhava de uma forma tão penetrante que me dava tontura, eu tentava desviar o olhar, mais os olhos dele atraíam os meus como imas, ele encostou a ponta do nariz no meu e fez um movimento suave, ele fechou os olhos e eu fiquei imóvel.
_Michael não! _Eu falei tão baixo que meus ouvidas não escutaram a minha voz, ele parou e também ficou imóvel, colado em meu rosto, abriu os olhos sem se afastar e prendia levemente meus cachinhos atrás da minha orelha, agora foi minha vez de fechar os olhos, eu já não sentia mais a cama, nem o chão, nem as batidas do meu coração, havia uma explosão de sentimentos, uma confusão de sensações dentro de mim, mesmo de olhos fechados, notei quando Michael umedeceu os lábios e sem que eu esperasse os encostou de leve nos meus, senti borboletas voarem em bandos dentro de mim, eu tentava falar mais a voz não saía, ele afastou om pouco o rosto e tocou em meus olhos fazendo com que eles se abrissem, aproximou-se mais uma vez, deu-me outro selinho.
_Michael, não faz isso! _Eu parecia estar gritando , mas minha voz saía tão baixo que parecia vir de outro mundo.
_Psiuu! _Ele tocou com o dedo indicador em meus lábios, me envolveu com seus braços, encostou a boca em meu ouvido e sussurou:
_Por favor me deixe experimentar esse amor... eu preciso!
Meu corpo foi amolecendo, a sensação era de que eu ia desmaiar a qualquer instante, aquilo era tudo que eu queria, deixar ele experimentar o meu amor, e quanto amor eu tinha para oferecer! Eu resolvi arriscar, aquela não era a hora de pensar em consequências, nem de medir atos, afinal eu esperei muito por aquilo, eu nunca ousaria tomar uma iniciativa, mas já que ele mesmo tinha vindo até mim, eu tinha que mostrar o quanto eu o amava, aquela era a hora de sair do casulo e mostrar que eu não era uma simples amiga ou assistente, tinha que acreditar em mim, tinha que parar de olhar para a distância entre Michael e eu, pois apesar de ele ser o maior astro que já existiu na face da terra, eu era um mulher apaixonada, que mesmo nunca tendo coragem de fazer de tudo para conquistar o homem que amava, estava tendo a chanse de ter dele, nem que fosse apenas um beijo. Deixei minha cabeça pender um pouco para trás e Michael apoiou com uma das mãos, eu olhei fundo nos seus olhos, deslizei uma das mãos da testa até o seu queixo e sussurei:
_Michael, porque você está querendo acordar algo que fiz o maior esforço para manter adormeçido dentro de mim?
_Porque a magia começa quando a Cinderela acorda!”

_Foi o dia mais feliz da minha vida! Eu queria morrer naquela hora, pensava que tinha sido um sonho e não queria acordar nunca mais!
_Foi o dia mais importante pra mim também, o dia em que descobrir o verdadeiro sentido da palavre amor!
_Depois veio Blanket, nossos casamento, nossa vida na Irlanda, nossos gemêos!
_Você gostou muito de ter morado na Irlanda não é?
_Por mim, viveriamos lá pra sempre!
_Mas o importante que em qualque lugar estaremos juntos para sempre, como sempre estivemos, nas horas boas e nas horas más, eu sempre vou ser alimentado pela sua força, pelo seu amor, como foi na primeira acusação, naquele terrível julgamento, no Bahrain, com... com as drogas, você foi e sempre será meu porto seguro.
Eu abracei Michael e deitei a cabeça em seu ombro, ele suspirou fundo e beijou meu pescoço, aquelas lembranças nos fizeram bem, eu me sentia feliz por saber que apesar de toda grandeza de ser um mega pop star, ele reservava um cantinho todo especial em suas lembranças para um ser simples e mortal que ele sabia que daria até a própria vida se fosse possível para fazê-lo feliz.
Lentamente ele ergueu minha cabeça e nos beijamos suavemente outra vez, o beijo foi tomando uma intensidade arrepiante e me fazia derreter no colo dele, suas mãos deslizaram suavemente em minhas costas em direção a minha nuca, eu senti quando seus dedos se embaraçaram nos meus cachos, uma das mãos conseguiu se libertar, e ele segurou minha cintura me apertando ainda mais, eu estava totalmente hipnotizada, e me deixava ser conduzida da maneira que ele queria, eu encostei minha boca em sua orelha esquerda e suspirei, Michael gemeu baixinho e eu senti a pele do seu rosto arrepiar, ele apertou meus cabelos na região da nuca e puxou um pouco para traz:
_Eu preciso te amar essa noite! _Ele disse ofegante.
_Por favor! _Eu sussurrei com a boca colada a dele.

283 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Seg Out 22 2012, 13:39

julyjackson

avatar
Super Fã Veterano
Super Fã Veterano
affraid affraid AAAAHHHHH QUE FELICIDADE FLORZINHA.....


QUE BOM QUE VC VOLTOU.....EU AMO SUA FIC, CONFESSO QUE FIQUEI TAO TRISTE QUANDO VC DEU UMA PAUSA.....

MAS MEU CORAÇÃOZINHO ESTA EM FESTA DESDE O MOMENTO QUE VI QUE VC VOLTOU ....


VOU LER ESSE ULTIMO CAP GIGANTE E DEPOIS DEIXO O MEU COMENTARIO....MIL BJS

284 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Seg Out 22 2012, 21:36

julyjackson

avatar
Super Fã Veterano
Super Fã Veterano
Aahhhhh que emoção .......que amor eh esse.....

Flor amando sua fic, vcvoltou com tudo heim...parabéns, e pfv não some mais viu.



Mil bjs



mjlover.

285 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Ter Out 23 2012, 12:07

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Bem! Hoje vou causar um pouquinho de impacto Shocked
Peço desculpas a todas e também paciência... sei que é dificil, mas confiem em mim.


Michael me ergueu, levantou da poltrona e nós caminhamos até a cama, ele me deitou devagar e nós nos amamos com toda intensidade e emoção que estava contida em nossos corpos apaixonados, no final, ficamos deitados um ao lado do outro, com as mãos dadas, até que ele falou:
_Lily, você sabe que vamos ter que ficar longe algumas vezes não é?
_Sei sim Michael!
Ele ficou de bruços na cama e chegou bem pertinho do meu rosto:
_Olha amor! Aconteça o que for, eu quero que você continue confiando em mim ta? Eu preciso que você lembre que quando isso tudo acabar, nós vamos ficar juntos, vamos viver nossa vida em paz e longe de tudo. Eu preciso que você seja muito forte e não acredite em nada que vier a ser publicado pela mídia.
_Porque você está dizendo isso?
_Você sabe, eles podem inventar várias coisas, podem inventar uma mulher imaginária, ou podem dizer que eu estou drogado, temos que ficar preparado pra tudo, você tem que se lembrar que não deve acreditar em nada! Nada mesmo!
Naquele momento, eu tive certeza que Michael estava usando algum tipo de medicamento para aguentar aquela pressão, foi a única coisa que passou pela minha cabeça:
_Mike! _Eu toquei em seu rosto. _Tudo bem, eu confio em você e vou fazer tudo direitinho quando não estivermos juntos, mas por favor Mike, me prometa que vai tomar cuidado, essa é a grande cartada da sua vida, mas você tem que ser forte, seja você mesmo, sem depender da ajuda de nada pra ficar de pé, você já não é mais nenhum garotinho, cinquenta anos é muita coisa pra quem levou a vida toda fazendo os esforços que você fez, me prometa Michael que quando estiver cansado demais, não vai insistir, você pode pedir um tempo, dormir, se alimentar, por favor, eu estou deixando você partir para essa aventura sem mim, todas as vezes que eu estiver presente em This is It, vai ser apenas como uma fã, como uma simples espectadora e não mais como sua sombra, eu não vou estar lá pra te dizer quando é hora de parar ou comer, eu não vou estar lá pra segurar a barra se você fizer alguma coisa errada, então por favor Mike, se cuide, você é meu maior tesouro, meu único patrimônio, não esqueça Michael, seus filhos e eu só temos você no mundo, sem você nós vamos ser como barcos levados ao vento, nós vamos ficar perdidos nessa selva, a única coisa que eu aprendi nessa vida foi te amar, eu nunca vou saber viver sem isso!
_Pode deixar Lily! _Michael deixou uma lágrima cair do seu olho direito e ela caiu em minha bochecha, imediatamente meus olhos também inundaram. _Eu vou me cuidar, você tem que confiar em mim, eu também só tenho você na vida, aconteça o que for eu preciso que você fique do meu lado!
Nós nos abraçamos e choramos um pouco, de uma certa forma aquilo era uma despedida, a turnê ia começar e Michael se afastaria de nós por um ano ou até mais, acompanhá-lo como antes seria impossível, com cinco crianças, duas entrando na adolescência e três dependendo totalmente de mim, mesmo com ajuda de babás, não daria muito certo, eu tinha que deixar Michael livre dessa vez, a maior preocupação dele era a segurança de seus filhos e eu sabia que ele confiava em mim, assim, mesmo com o coração apertado, se eu ficasse quieta num canto só, ele ficaria tranquilo para seguir em frente com a maior realização de sua vida, eu sempre soube que Michael Jackson pertencia ao mundo, a musica e aos seus fãs, tinha que aceitar, alem do mais, a turnê iria acabar e ele voltaria para os meus braços, era isso que eu esperava, era isso que me confortava.
_Promete que nunca vai me abandonar Mike? _Eu choraminguei agarrada ao seu pescoço.
_Nunca querida, nunca, nunca, nunca! Lembre-se disso, nós vamos ficar juntos para sempre.
Ficamos ali um pouco mais até que eu peguei no sono, não lembro exatamente que horas eram, mas lembro bem quando em algum momento, Michael chamou meu nome baixinho:
_Lily! Lily!
Eu acordei confusa, estava cansada e ainda morrendo de sono.
_O... o que foi?
_Você tem que ir para outro quarto agora!
_Porque? _Eu ainda tentava manter meus olhos abertos.
_Eu estou muito cansado agora, mas meu sono está muito leve, se dormirmos juntos qualquer movimento que você fizer eu vou despertar e ai já viu né?
_Que horas são Mike?
_Já é madrugada! Olha tem um quarto que ninguém usou, ele fica ao lado do quarto onde os bebês estão, fique lá, será melhor pra você!
_Está bem!
Eu levantei cambaleando e enquanto calçava os chinelos percebi que Michael tinha trocado de roupa, algumas caixas pequenas de papelão estavam empilhadas em cima de um dos criados mudos, a poltrona havia sido trocada de lugar, ela estava agora ao lado da cama, simples detalhes talvez.
_Boa noite amor! Tente descansar um pouco. Se você precisar de mim, me chame. Eu te amo muito! _Eu toquei no rosto de Michael e percebi que ele estava frio e muito suado, eu quase despertei de vez, mas sabiamente, ele passou a mão espalmada em meu rosto e disse me conduzindo até a porta.
_Agora vá! Você está parecendo que bebeu uma adega inteira de vinho! _Ele me deu um selinho na porta e sussurrou: _Eu te amo mais! E vou te amar para sempre!
_Para sempre! _Eu repeti, e caminhei em direção ao meu quarto, ele ficou me observando até que entrei e fechei a porta, eu estava morrendo de sono, então desabei na cama, se o mundo tivesse acabado naquele dia eu não veria, aquele foi o dia em que literalmente fui “roubada” pelo sono.

25 de junho de 2009, 09:55 AM

Eu acordei morrendo de dor de cabeça, olhei para o despertador que estava em cima do criado mudo e percebi que tinha dormido demais, uma mãe de família nunca pode dormir tanto assim. Escovei os dentes, tomei um banho de chuveiro morno, eu sabia que Grace já havia cuidado das crianças e se Michael estivesse acordado já teria ajudado e eu certamente levaria uma bronca. Abri a porta do quarto e o corredor estava deserto e silencioso, passei pela porta do quarto de Michael e achei melhor nem entrar, se ele ainda estivesse lá, não queria acordá-lo, os quartos das crianças já estavam vazios como eu suspeitava. Eu não estava sentindo fome, nem tinha vontade de fazer nada naquela manhã. Cheguei na cozinha e Kai Chase já estava preparando o almoço.
_Bom dia Kai!
_Bom dia Srª. Jackson! Quer que eu prepare algo especial para hoje?
_Por favor Kai, me chame de Lily! Pode ficar a vontade, a cozinha aqui é toda sua. _Ela sorriu. _Kai, você viu se as crianças já desceram?
_Já sim! Grace passou aqui, eles tomaram café, e eu a ajudei com os bebês, agora eles estão na piscina.
_Meu Deus, eu perdi mesmo a hora! E Michael? Também já desceu?
_Ah não! O Sr. Jackson não acorda cedo. O Dr. Murray sempre desce as nove e leva o café dele lá pra cima, por sinal, ele já está atrasado!
_Como? _Eu quase engasguei com o susto. _Dr. Murray?
_Sim! Ele vem todas as manhãs, só depois por volta das doze ou uma da tarde, o Sr. Jackson desce para o almoço.
_Espere um pouco, você está me dizendo que o Dr. Murray dorme aqui todas as noites?
_De uns dias pra cá ele tem dormido aqui constantemente!
Meu coração acelerou e quase eu perdia o equilibrio das pernas, Michael não tinha me contado aquilo, e eu comece a pensar o que mais ele estava me escondendo:
_Kai, o que está acontecendo? Porque o Dr. Murray tem que dormir aqui? O que você sabe? Me conte Kai, por favor!
_Ah meu Deus! Você não sabia! Por favor Lily, esqueça, faz de conta que não disse nada!
_Não Kai, o que é isso? _Eu a segurei pelo braço. _Há meses que eu percebo que Michael está me escondendo alguma coisa, ele conseguiu me afastar daqui, e agora você me fala que o Dr. dorme todas as noites aqui, por favor, se você sabe de algo, tem que me contar, eu já estava preocupada, mas agora estou desesperada, o que você me disser não vai te prejudicar, nem muito menos a Michael, muito pelo contrario, eu preciso entender o que esta acontecendo pra tentar fazer alguma coisa!
Kai passou a mão na testa e soltou um sopro nervoso, ela encostou em uma bancada e muito aflita disse:
_Lily, isso pode custar meu emprego! Eu vou para Londres com o Sr. Jackson e isso é muito importante pra mim, se ele descobre que falei alguma coisa, eu estou perdida!
_Ele não vai saber, por favor Kai, eu estou muito aflita!
_Está bem, eu vou te contar. Olha tem algo acontecendo sim, mas eu não sei bem o que é, o que eu vejo, é que o Sr. Jackson ultimamente anda mais nervoso que nos últimos tempos, ele não come quase nada, veja! _Ela abriu um freezer. _Está vendo? Tudo isso são coisas que eu preparo e ele não come, sempre diz: “Eu como mais tarde!” mas nunca come. Todas as noites o Dr. Murray vem e sobe até o quarto sempre carregando duas espécies de cilindros de ar, se não me engano, ele fica lá em cima a noite toda, as vezes dorme em um quarto, outras vezes dorme no quarto do Sr. Jackson, pela manhã ele desce,com os cilindros coloca no carro e volta para buscar o café. O Sr. Jackson tem faltado aos ensaios, eu sei disso porque outro dia, um pessoal da AEG estiveram aqui e gritaram com ele, disseram que assim não dava, que ele tinha que comparecer, isso sempre acontece antes de você chegar ou quando vai embora, nem sempre quando ele sai da mansão é para tratar de negócios, as vezes ele vai para um lugar onde só o Dr. e ele sabem.
_Meu Deus! Eu não posso acreditar! Tudo isso está acontecendo e eu não sabia de nada? Como você sabe dessas coisas Kai? Como nunca me contou? Michael pode está correndo perigo!
_Lily, quando você trabalha para uma celebridade do porte do Sr. Jackson precisa esquecer que tem ouvidos e boca, agente acaba ouvindo e sabendo de coisas que podem prejudicá-los para sempre, eu não podia simplesmente sair contando isso.
Ela tinha razão e eu sabia muito bem disso, durante minha trajetória como assistente pessoal de Michael, eu fiquei sabendo de coisas que as vezes queria nunca tê-la ouvido, mas uma coisa era fato, Michael estava me enganando e naquele dia eu iria colocar tudo em pratos limpos, quando ele acordasse, iríamos resolver aquele problema.
Deixei a cozinha indignada e ao mesmo tempo desesperada, fui até a piscina e tentei me distrair com as crianças, carreguei um pouco Liam e Jacey, fingi torcer quando Paris,
Prince e Blanket apostaram quem nadava mais rápido, e acabei ficando lá, mesmo aflita, não tinha muito o que fazer, apenas esperar, na verdade eu estava pensando no que diria a Michael, estava com medo de como chegaria a esse assunto, eu não podia dizer o que Kai havia me contado, tinha a impressão que brigaríamos sério.
Faltava pouco para o meio dia quando resolvi tirar as crianças da piscina, o sol já estava muito quente e eles precisavam almoçar:
_Ok, agora chega! Vamos, vamos, está quase na hora do almoço.
_Ah mãe, deixa agente ficar mais um pouco, por favor! _Prince pediu.
_Não! Chega! Vamos aproveitar que o papai está aqui hoje e almoçarmos com ele.
As crianças tentaram resistir mas em fim consegui fazê-las sair da piscina.
_Grace dê um banho nos bebês e deixa que eu cuido dos outros está bem?
_Tudo bem Lily, estou lá em cima então!
Depois que ajudei as crianças, passei na cozinha novamente, Kai olhou para mim assustada:
_Ele ainda não desceu não é? _Perguntei.
_Não! Nem ele, nem o Dr. Murray, será que eles estão mesmo aqui? Você passou no quarto?
_Não, não passei! Bem pensado Kai, eles podem ter saído de madrugada, devem ter ido ao lugar que sempre vão!
De repente, algo inusitado aconteceu, como um raio, o Dr. Murray desceu as escadas correndo e gritando feito louco:
_Corram, pelo amor de Deus! Corram e peçam ajuda! Rápido, chamem os seguranças!
Kai e eu nos olhamos e meu coração pulou em meu peito.
_O que está acontecendo Dr. Murray? _Perguntei aflita, ele não me viu, nem muito menos me ouviu.
_Kai, vá chamar o Prince rápido! _Ele gritou.
Kai largou a faca que segurava e correu para a sala ao lado onde as crianças estavam, eu desesperada, corri atrás do Dr. Murray, gritando feito louca, enquanto ele falava por um rádio chamando a segurança:
_O que houve com Michael? O que houve Dr. Murray?
Murray entrou primeiro no quarto e da porta eu vi Michael deitado ainda na cama, sem camisa, com a boca e os olhos abertos, minhas pernas congelaram, eu não conseguia me mexer, não conseguia sair do lugar, minhas mãos subiram até a minha boca sem que eu percebesse e minha garganta soltou um gemido involuntário:
_Michael!!!
Por um instante o quarto deu uma volta e tudo ficou escuro, uma mancha negra caiu sobre minha mente, eu não consegui raciocinar, mas na hora eu soube que algo muito ruim e devastador estava acontecendo, de repente ouvi um grito fino e desesperado:
_Nããããoooo! Papai! Papai!
Paris já estava com o rosto molhado e debatia-se nos braços de um dos seguranças, Prince estava de pé ao lado da cama, paralisado, sem chorar, sem se mexer, sem dizer uma palavra. O quarto foi invadido por pessoas vestidas em macacões azuis com faixas vermelhas, um deles segurava uma maca, foi ai que acordei do transe. A mansão virou um caos, eu esqueci dos meus filhos, e tentei chegar mais perto quando senti braços fortes me conterem, um dos seguranças me agarrou:
_Me solta! _Eu gritei.
_Calma Srª. Vamos deixar os médicos examiná-lo!
Eu já não conseguia entender mais nada, eu vi quando eles colocaram Michael no chão e tentavam desesperadamente reanimá-lo, eles falavam alto, suavam, injetavam coisas em seus braços, massageavam seu peito, e eu atônita assistia a tudo aos gritos de Paris. Depois de tentarem tudo, eles resolveram levá-lo e enquanto o acomodavam na maca, eu gritava desesperada:
_Michael! Michael! O que ele tem? Por favor, me digam alguma coisa? Eu sou a esposa dele! Alguém me diga alguma coisa pelo amor de Deus! _Eu gritei tão alto que acho que minha voz pôde ser ouvida por quilômetros de distância. Um dos paramédicos virou-se para mim e disse;
_Vamos levá-lo para um hospital mais rápido e seguro possível! _Ele tocou em minha mão e disse; _Reze senhora! Reze!
Eu desci atrás desesperada, Grace segurava o carrinho com Liam e Jacey, Kai segurava Blanket no colo que a essa altura também gritava pelo pai e suplicava por explicações minhas, Paris, tinha sido amparada por um dos seguranças, eu corri até o pátio e vi a maca sendo colocada na ambulância, eu corri e quase entrei, mas fui mais uma vez impedida:
_Não! Não! Eu vou com ele, me solta pelo amor de Deus!
_Senhora não vai adiantar! Não há o que possamos fazer, os médicos vão cuidar dele. Temos que tirar todos daqui, eu preciso colocar a senhora e as crianças em segurança, por favor acalme-se!
Eu estava sozinha e perdida no pior momento da minha vida, não havia ninguém da equipe por perto, eu não sabia o que fazer, o pessoal do socorro entraram na ambulância e partiram tão rápido que não pude fazer nada. Eu tinha que está perto de Michael, eu tinha que saber o que havia acontecido, ainda trêmula e com um nó horrível na garganta, eu peguei meu celular e liguei para Jonh:
_Jonh, pelo amor de Deus! Venha agora Jonh!
_O que houve Lily?
_Aconteceu algo terrível com Michael, ele saiu daqui carregado em uma maca, desacordado, parecia que... oh meu Deus, eu não sei o que fazer, Jonh!
_Calma Lily, você está muito nervosa, eu estou em um hotel aqui perto, em dez minutos chego ai! Fique calma!
Não havia como ficar calma! Eu entrei e vi Kai, Grace e as crianças de mão dadas orando, eu não sei porque, apesar de toda aflição, não conseguia chorar, um dos seguranças veio até nós e disse que tínhamos que deixar a casa, eu não tinha forças para questionar nem entender nada. Grace e Kai choravam desesperadas, eu suspirei fundo e perguntei:
_Onde está o Dr. Murray?
_Ele saiu em seu carro, talvez tenha acompanhado a ambulância! _Disse um dos seguranças.
_Ok, vamos manter as cabeças no lugar! Grace, pegue tudo que puder das crianças e seus pertences também, Kai, você também, arrume o que for necessário, todos vocês vão para Encino, lá ficarão bem!
_E você Lily? O que vai fazer?
_Eu vou para o hospital! Me ajudem por favor, cuidem dos meus filhos como se fossem seus, eu só saio de lá quando Michael sair comigo!
_Eu vou ficar rezando, tudo vai dar certo! _Kai falou.
_Faça isso! Onde está o Prince?
_Oh meu Deus! Acho que ele ainda está lá em cima!
No desespero, ninguém lembrou do meu primogênito, eu subi para procurá-lo:
_Prince! Prince! Você está aqui?
Ao passar pela porta do quarto de Michael, vi Prince parado na mesma posição, olhando para a cama vazia, o quarto estava revirado.
_Meu filho! _Eu abaixei e falei baixinho segurando seus braços, ele piscou os olhos e as lágrimas que até então estavam presas se libertaram:
_O papai morreu! O papai morreu!
_Não filho! _Eu o abracei. _O seu pai não morreu, ele está muito mal, agente sebe, mas ele vai ficar bem, aquelas pessoas que você viu aqui são todos médicos, eles vão cuidar do papai e logo, logo ele vai está de volta!
Prince soluçou em meu ombro, eu o carreguei e desci as escadas, eu queria acreditar nas minhas palavras, tinha que acreditar! Eu deixei todos, peguei um carro na garagem e saí, eu não sabia para onde tinham levado Michael, mas bastou dar o numero da ambulância e Jonh, logo descobriu que ele tinha sido levado para o UCLA Medical Center, no centro da cidade, eu corri imediatamente para lá, no caminho, toda hora meu celular tocava, era o pessoal da equipe que já tinham sido avisados por Jonh o que havia acontecido, a cada telefonema eu dizia:
_Não se preocupem, ele vai ficar bem!
Depois, meu coração ficava repetindo para mim mesmo: “Ele não vai morrer, não vai! Por favor Deus, que seja verdade! Que seja verdade!”

286 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Ter Out 23 2012, 12:09

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
julyjackson escreveu:Aahhhhh que emoção .......que amor eh esse.....

Flor amando sua fic, vcvoltou com tudo heim...parabéns, e pfv não some mais viu.



Mil bjs



mjlover.

Obrigado Ju! Sempre atenta né? kkkk beijão

287 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Ter Out 23 2012, 18:51

Miloca

avatar
Fã Veterano
Fã Veterano
lili angel escreveu:
Miloca escreveu:Ai meu pai! Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked Quanto suspense, quanta tensão, quanto tudo! Voltou abalando bangu hein, colega? Puxa vida, nem sei o que comentar depois disso além de: POSTA MAAAAAAAAAAIIISSS!!!!


Ansioseréssima pros próximos capítulos.
Ah, o conselho de trocar a pipoca pelas unhas não adiantou. Tá só nos cotocos aqui de tanta ansiedade e de tanta pressão pra ver esses dois bem de novo. odeio ver o bebê mal e se envolvendo com gente que só quer se aproveitar dele. Espero que tudo fique bem rápido.


I love you Beijacksons flor I love you
E seja muitissíssimo bem-vinda de volta novamente



Miloca do meu coração, você não imagina como eu fico nervosa escrevendo, meu coração dá umas pontadas doidas kkkkk! obrigado por acompanhar tá? beijão!

Ai flor, se dói em vc escrevendo, imagina como a gente que tá lendo não fica? Unhas já não tenho mais, tá sabendo, né? Razz

Mas, caraca!!!!!! affraid Shocked Shocked Shocked Shocked E eu achando que os capítulos de ontem, com todas aquelas lembranças, clima de despedida e tudo o mais tinham sido pesados mas, isso... é... indescritível... cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** Mas eu estou com uma esperancinha dentro de mim, pelo tom de voz do Mike, que essa história não vai terminar assim, see Deus quiser e vc Deixar, né flor? Rolling Eyes slove* turned A esperança e o amor vivem para sempre. batecoração*
Nem tem como não acompanhar. Ainda mais agora. Ainda bem que vc voltou. NÃO SOME JUSTO NESSA PARTE PELO AMOR DE DEUS!!!!! PLEEEEEEEEEASE!!!! Tô crazy crazy aqui, torcendo muito para o final ser beeeeem diferente do da vida real YES*



I love you Beijacksons florzinha linda I love you

288 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Qua Out 24 2012, 13:58

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Miloca escreveu:
lili angel escreveu:
Miloca escreveu:Ai meu pai! Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked Quanto suspense, quanta tensão, quanto tudo! Voltou abalando bangu hein, colega? Puxa vida, nem sei o que comentar depois disso além de: POSTA MAAAAAAAAAAIIISSS!!!!



sorryy* cry** cry** cry** cry** cry**
Ansioseréssima pros próximos capítulos.
Ah, o conselho de trocar a pipoca pelas unhas não adiantou. Tá só nos cotocos aqui de tanta ansiedade e de tanta pressão pra ver esses dois bem de novo. odeio ver o bebê mal e se envolvendo com gente que só quer se aproveitar dele. Espero que tudo fique bem rápido.


I love you Beijacksons flor I love you
E seja muitissíssimo bem-vinda de volta novamente



Miloca do meu coração, você não imagina como eu fico nervosa escrevendo, meu coração dá umas pontadas doidas kkkkk! obrigado por acompanhar tá? beijão!

Ai flor, se dói em vc escrevendo, imagina como a gente que tá lendo não fica? Unhas já não tenho mais, tá sabendo, né? Razz

Mas, caraca!!!!!! affraid Shocked Shocked Shocked Shocked E eu achando que os capítulos de ontem, com todas aquelas lembranças, clima de despedida e tudo o mais tinham sido pesados mas, isso... é... indescritível... cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** Mas eu estou com uma esperancinha dentro de mim, pelo tom de voz do Mike, que essa história não vai terminar assim, see Deus quiser e vc Deixar, né flor? Rolling Eyes slove* turned A esperança e o amor vivem para sempre. batecoração*
Nem tem como não acompanhar. Ainda mais agora. Ainda bem que vc voltou. NÃO SOME JUSTO NESSA PARTE PELO AMOR DE DEUS!!!!! PLEEEEEEEEEASE!!!! Tô crazy crazy aqui, torcendo muito para o final ser beeeeem diferente do da vida real YES*



I love you Beijacksons florzinha linda I love you

289 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Qua Out 24 2012, 14:00

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
lili angel escreveu:
Miloca escreveu:
lili angel escreveu:
Miloca escreveu:Ai meu pai! Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked Quanto suspense, quanta tensão, quanto tudo! Voltou abalando bangu hein, colega? Puxa vida, nem sei o que comentar depois disso além de: POSTA MAAAAAAAAAAIIISSS!!!!



sorryy* cry** cry** cry** cry** cry**
Ansioseréssima pros próximos capítulos.
Ah, o conselho de trocar a pipoca pelas unhas não adiantou. Tá só nos cotocos aqui de tanta ansiedade e de tanta pressão pra ver esses dois bem de novo. odeio ver o bebê mal e se envolvendo com gente que só quer se aproveitar dele. Espero que tudo fique bem rápido.


I love you Beijacksons flor I love you
E seja muitissíssimo bem-vinda de volta novamente



Miloca do meu coração, você não imagina como eu fico nervosa escrevendo, meu coração dá umas pontadas doidas kkkkk! obrigado por acompanhar tá? beijão!

Ai flor, se dói em vc escrevendo, imagina como a gente que tá lendo não fica? Unhas já não tenho mais, tá sabendo, né? Razz

Mas, caraca!!!!!! affraid Shocked Shocked Shocked Shocked E eu achando que os capítulos de ontem, com todas aquelas lembranças, clima de despedida e tudo o mais tinham sido pesados mas, isso... é... indescritível... cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** Mas eu estou com uma esperancinha dentro de mim, pelo tom de voz do Mike, que essa história não vai terminar assim, see Deus quiser e vc Deixar, né flor? Rolling Eyes slove* turned A esperança e o amor vivem para sempre. batecoração*
Nem tem como não acompanhar. Ainda mais agora. Ainda bem que vc voltou. NÃO SOME JUSTO NESSA PARTE PELO AMOR DE DEUS!!!!! PLEEEEEEEEEASE!!!! Tô crazy crazy aqui, torcendo muito para o final ser beeeeem diferente do da vida real YES*



I love you Beijacksons florzinha linda I love you

sorryy* cry** cry** cry** cry** cry**

290 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Qua Out 24 2012, 14:04

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Hoje eu estou Speechless! Sad

Quando cheguei ao hospital, Jonh já estava lá, não havia ainda reporteres, nem fãs do lado de fora, mas a correria lá dentro era intensa, o hospital todo já sabia que Michael Jackson tinha dado entrada com indicios de uma parada cardíaca, Jonh me esperava na recepção e quando me viu, passou o braço em meu pescoço e corremos sem dizer nada. Entramos no elevador e em fim ele falou:
_Isso aqui vai virar um inferno! Daqui a pouco ninguem mais vai conseguir entrar nem sair!
_Você já teve noticias dele Jonh?
_Não! Cheguei agorinha também, estava esperando você chegar! Mas o que aconteceu?
_Não sei Jonh! Não sei mesmo. Só o Dr. Murray pode explicar alguma coisa, mas ele sumiu!
_Chegamos! Venha, vamos saber onde ele está?
Corremos pelo corredor e muitas pessoas também corriam de um lado a outro, chegamos até um balção onde três enfermeiras mexiam aflitas em vários papeis:
_Por favor, onde esta Michael Jackson? _Jonh perguntou.
_Ele está na sala da UTI, mas vocês tem que esperar aqui! _Ela falou um pouco nervosa.
_Mas nós precisamos saber como ele está, por favor, nos diga alguma coisa! _Eu supliquei.
_Sinto muito senhora! Ainda não temos nenhuma informação, mas fique calma, daqui a pouco os médicos vem falar com vocês!
Nós não tinhamos o que fazer, tinhamos que esperar mas a aflição estava acabando comigo, aquilo era horrivel, Michael estava ali, na UTI, correndo risco de morte e eu nem se quer sabia o porque, eu andava de um lado a outro, não conseguia manter meus pés parados, minhas mãos já estavam doloridas de tanto que eu as apertava, Jonh também estava nervoso, ele não parava de ligar para as pessoas e menos de quinze minutos aquela ala do hospital estava lotada de gente, Frank Cascio foi o primeiro a chegar, depois Kenny Ortega, Frank Dileo e muitos outros que não consigo me lembrar agora.
Trinta minutos de angustia se passaram até que um homem moreno de estatura média vestindo um jaleco branco, atravessou o corredor e abriu as portas que davam acesso ao lugar onde estavamos, ele parecia exausto, segurava um estetoscópio na mão como se quisesse jogá-lo fora. Assim que o vi, corri em sua direção, eu nem sei se meu coração estava batendo naquele momento, todo mundo ficou em estado de alerta, todo mundo parou de respirar:
_Dr. O senhor estava com Michael Jackson não é? _Eu falei aflita.
_Sim! Eu o atendi! _Ele disse.
_E então Dr. Como ele está? _Jonh perguntou.
O Dr. suspirou fundo, passou o estetoscópio no pescoço e perguntou:
_A Srª é a esposa dele não é?
_Sou sim Dr. Como ele está?
_Sinto muito senhora, nós fizemos o possível... mas... infelismente... ele... ele não resistiu!
Vocês já devem ter ouvido falar sobre como foi quando jogaram uma bomba nuclear sobre as cidades de Hiroshima e Nagasaki, pois foi exatamente esse efeito que aquela noticia causou em minha vida, eu não conseguia raciocinar e minha mente assumui uma postura de defesa:
_Não Dr., nós estamos falando de Michael Jackson! Ele... ele passou mal em casa e uma ambulância o trouxe pra cá... foi só um mal estar... Jonh, fale com ele... diga quem nós estamos procurando, fale a ele que estamos procurando Michael Jackson!
Todo mundo entendeu que o impacto das palavras do Dr. causaram um estrago em minha mente, Jonh e Frank se aproximaram e me seguraram:
_Dr. meu nome é Jonh Branca, sou advogado do Sr. Jackson. O senhor tem certeza do que está dizendo?
_Infelismente! _O Dr. suspirou outra vez.
_Não pode está havendo um engano Dr.? _Frank tentou argumentar.
_O Sr. Jackson chegou com uma parada cardiorespiratória, infelismente não respirava e o seu coração não batia, nós tentamos reanimá-lo de todas as formas, usamos todos os métodos que a medicina nos oferece mas não tivemos sucesso em nenhum deles, o Sr. Jackson não respondeu a nenhum estimulo... _Ele terminou a frase abaixando o tom da voz.
_Não pode ser! Não pode ser! Michael não! _Frank se desesperou.
Eu me soltei dos braços de Jonh e fui para um canto da sala, não conseguia digerir nada do que tinha ouvido, eu ouvi os cochichos e o desespero de todo pessoal da equipe, enquanto o Dr. dava maiores informações a Jonh, eu senti minhas pernas fraquejarem, meus olhos ficaram meio embaçados eu sentia que ia perder os sentidos, mas não queria, não ia me entregar, eu não podia aceitar o que tinha ouvido, Jonh se aproximou de mim, segurou meus ombros e disse:
_Fique calma Lily! Tome um pouco de água.
Eu tentei beber mas a água escapou da minha mão antes de chegar a minha boca e eu tive um pequeno surto, agarrei Jonh pela gola da camisa e muito nervosa falei:
_Jonh, o Dr. está mentindo! Michael não pode está morto! Vamos tirá-lo daqui Jonh, vamos levá-lo para um hospital confiável, ele não está morto, não é verdade!
_Calma, calma Lily! Sente por favor! Pelo amor de Deus Lily, não desabe agora, por favor! Eu pude ver lágrimas escorrerem atravez dos olhos azuis de Jonh. _Eu preciso que você fique firme, eu preciso da sua força para enfrentarmos tudo que virá pela frente, por favor Lily, fique firme, não me deixe sozinho agora!
_Ele... ele está... está mesmo...
_Sinto muito querida!
Eu juro que queria ter apagado naquela hora, queria ter apagado e só acordar quando aquilo tudo tivesse acabado, não é possível uma pessoa aguentar um sentimento tão horrível como o que eu estava sentindo, mas não sei de onde nem porque, uma força estranha invadiu meu corpo inteiro e embora estivesse despedaçada, minha mente não parava de funcionar.
_Meu Deus! Não pode ser! Não meu Deus, não! _Eu tive que descer do salto e gritar um pouco para tentar aliviar a dor, as enfermeiras me olhavam com grande pesar, algumas choravam, o pessoal da equipe estava desolado, Frank precisou ser atendido, meu Deus que dia horrível!
Em quarenta minutos a familia Jackson estava toda reunida no hospital, apenas Janet não tinha vindo porque estava fora do país, àquela altura, a nóticia da morte de Michael Jackson tinha vazado na mídia, na porta havia um mar de pessoas, eram fãs e jornalistas de todos os cantos, La Toya chegou desesperada e não precisava nem perguntar nada, bastava olhar para os rostos desolados das pessoas que estavam ali para saber que aquela notícia terrível não era falsa, Kate chegou mancando mais do que o normal, ele estava amparada por Randy, entrou sem olhar para ninguém sentou-se em uma cadeira e a cena mais dolorosa de todas foi quando Frank Dileo abaixou-se em sua frente e disse:
_Nós o perdemos Kate! Nós perdemos o nosso garoto!
Ninguém conseguiu resistir, Kate também precisou ser atendida por um médico, os irmãos se abraçaram, sem conseguir acreditar que a maior estrela da familia Jackson havia se apagado, foi devastador, Rabbie veio até mim chorando e sem dizer nada, me abraçou forte:
_O que eu vou fazer Rabbie? O que eu vou fazer da minha vida? _Eu disse chorando.
Não há mais o que dizer sobre aquele dia, imagino perfeitamente o que todos que estão lendo o meu relato agora, lembram daquele dia trágico que afetou o mundo inteiro, todos lembram do que viram, ouviram e sentiram naquele dia, a dor era imensa e a sensassão de incrédulidade era visível em todos, eu não sabia o que fazer, mas sabia que tinha várias providencias a tomar, meu Deus, eu ainda tinha que contar as crianças... eu implorei a Deus que me desse forças pois as minhas já tinham ido embora, nós tinhamos que deixar o hospital, todos já tinham olhar o corpo de Michael, e antes de ir embora eu também tinha que vê-lo, não sei se aguentaria, mas eu tinha que fazer isso.
_Jonh, eu... eu quero vê-lo!
_Não é preciso Lily! Não faça isso com você!
_Eu quero Jonh, eu preciso! Venha comigo por favor!
Jonh me acompanhou até o quarto e foi como se eu estivesse flutuando porque não sentia minhas pernas. Entrei, parei na porta e olhei de longe, meus olhos explodiram e eu soluçei um pouco alto, Jonh me amparou e disse:
_Pronto, você já o viu, não chegue perto, Lily, você não vai aguentar!
_Eu... eu preciso falar com ele...

291 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Qua Out 24 2012, 14:06

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Caminhei devagar, toquei na grade fria da maca e lá estava a luz que iluminava a minha vida... completamente apagada! Não era possível! O homem mais forte, mais sábio, mais iluminado que já conheci em toda minha vida, ali, deitado, completamente indefeso, ele que sempre teve tanto medo de se mostrar, estava ali vulneravél, sem suas roupas impecáveis, sem sua maquiagem, sem seu perfume... eu toquei em seu rosto e ele estava frio, sua pele pálida ainda tinha flexibilidade apesar de fria, ainda podia sentir a textura de sua pele que muitas vezes foi o portal que me levou a outras dimensões.
_Michael! _Eu sussurrei passando a mão em seu cabelo bagunçado. _Você nunca mentiu pra mim Mike! Porque você fez isso comigo? Você prometeu que nunca ia me abandonar, você dissa ontem a noite que nós ficariamos juntos pra sempre... e agora? O que vou fazer sem você? Mike, você é tudo que eu sei! Você é tudo que eu tenho... eu vivo por você Mike, eu sou parte de você... eu não aprendi nada nessa vida, tudo que sei está relacionado a você, eu não tenho nada... eu não tenho ninguém... você não pode ir embora! Você não pode me deixar Mike? Se você for, metade de mim vai com você, como vou conseguir sebreviver sem meu coração? Sem meus pulmões? Sem meus braços? O que eu vou dizer aos nossos filhos? Como eu vou chegar em casa sem você? Quem vai dançar a valsa de quinze anos com a Paris e Jacey? Quem vai entregar os diplomas do Prince, do Blanket e do Liam? Você não pode fazer isso comigo... não pode, você prometeu...
Eu abaixei a cabeça sobre o rosto de Michael e chorei com toda minha alma, parecia que todo sangue do meu corpo estava sendo drenado pelo meus olhos, eu tremia involuntáriamente, como eu ia sair dali sem levar o sentido da minha vida comigo?
A uma certa altura, Jonh se aproximou de mim e tocou em meu ombro:
_Já chega Lily, vamos embora! _A voz dele estava embargada, eu resisti, não podia ir embora, Jonh me puxou com um pouco mais de força e me agarrou em um abraço sofrido.
_Já chega minha amiga! Ele não vai te ouvir! _Ele começou a chorar em meu ouvido.
_Eu não podia tê-lo deixado sozinho Jonh... eu sempre estive presente em todos os momentos da vida dele e justo na hora que mais precisou, eu não estava... eu não me conformo!
_Não, não faça isso! Você não tem culpa nenhuma, aconteceu o que tinha que acontecer! Vamos embora, você tem que pensar nos seus filhos agora!
Eu soltei-me dos braços de Jonh e olhei mais uma vez para Michael:
_Me perdoa meu amor! Me perdoa por não ter estado lá... me perdoa por não ter segurado sua mão... eu... eu não vou te dizer adeus... nunca vou dizer isso a você!
Eu abaixei novamente e beijei seus lábios suavemente:
_Eu te amo... para sempre! _Sussurrei.
Me afastei olhando para ele até a porta, Jonh me conduziu e fechou-a diante de mim, eu estava sangrando, caindo aos pedaços, nunca mais aquela voz, nunca mais aquele toque, nunca mais aquele sorriso, nunca mais aqueles beijos...
Na sala de espera, todos os Jacksons estavam de pé, quando apareci, Tito estendeu-me os braços e eu desabei neles chorando copiosamente, todos os irmãos me abraçaram e nós choramos juntos. Algum deles, que eu não vi e nem consegui reconheçer a voz, sussurrou palavras que pelo menos trouxeram um leve balsámo ao meu coração:
_Você não está sozinha! Nós estamos aqui!
Eu já tinha enfrentado uma situação de morte na minha família, já tinha sentido a dor da perda e sabia o estrago que ela causava, eu já tinha enfrentado situações que qualquer um que tivesse enfrentado desistiria no primeiro round, mas nada do que havia passado me preparou para uma situação daquela, eu vivi tão intensamente ao lado do “rei do pop”, eu amei aquele homem de uma forma tão sobrenatural que acabei me esquecendo que aquela história que ele mesmo soava aos quatro cantos do mundo de que era imortal, infelizmente não era verdade.
Um pouco antes das nove horas, Jermanie anunciou a imprensa que Michael Jackson havia mesmo morrido, houve um terremoto em Los Angeles e no mundo, até então todo mundo esperava que chegaríamos a TV e diríamos que houve um engano, que Michael estava bem, mas a notícia de Jermanie trouxe a todos uma realidade que ninguém queria aceitar.
O Brasil também tinha sido atingido por aquele terremoto devastador e infelizmente todas as pessoas ligadas a mim acabaram sendo levadas pelas larvas de fogo que atingiram minha vida, minha mãe e minha irmã, coitadas, tentavam desesperadamente falar comigo, elas ligavam para Jonh, para meu celular, para todos os números que podiam, mas eu não tive coragem de falar com elas naquele momento, não estava preparada para admitir com minha própria boca que Michael estava morto, eu sei que ainda teria que dizer várias vezes, mas já que teria que ser assim, era justo que isso fosse feito primeiro aos meus filhos, eu queria dar aquela notícia para eles com toda originalidade que a situação permitia, eu sabia que minha emoção chegaria ao limite do insustentável, mas a vida inteira Michael e eu os privamos de tudo que era real, e dessa vez, mesmo com todo cuidado e amor do mundo eu seria eu mesma, e mostraria pela primeira vez a eles a vida como ela realmente é.
Chegamos em Encino quase uma da manhã e Paris, Prince e Blanket ainda estavam acordados. Grace achou melhor não força-los a dormir, não era justo para eles ficar rolando na cama sem nenhuma notícia do pai. Não era nem preciso dizer a Grace e Kai o que tinha acontecido, elas entenderam assim que eu e Katharine e parte da família Jackson entramos em casa.
_Onde estão as crianças?
_Elas estão no jardim Lily, alguns dos primos vieram para distraí-los!
Eu não disse nada, de cabeça baixa caminhei até a varanda, olhei-os de longe e senti alguém tocar em meu ombro;
_Você precisa de ajuda? _Era Marlon.
_Não! Obrigado Marlon, prefiro fazer isso sozinha!
Eu tentava não pensar no que diria, preferia que as palavras fossem surgindo conforme a emoção, eu os chamei de longe e assim que me viram, correram em minha direção:
_Mãe! Eu não aguentava mais esperar, ainda bem que vocês chegaram, o papai está lá em cima? _Paris perguntou com os olhinhos saltando do rosto.
_Não meu amor! Ele não está lá em cima.
_Então ele não veio com você? _Prince perguntou.
_Não, ele não veio comigo, olha, vamos sentar aqui um pouco, eu... eu preciso falar uma coisa... _Sentamos no chão, em um canto da varanda, os três sentaram-se em minha frente.
_É... eu... bem, aconteceu uma coisa, que não é boa para nós, uma coisa muito chata, que vai nos obrigar a mudar muita coisa em nossas vidas daqui pra frente. _Elas estavam com os olhos grudados em mim. _Talvez tenhamos que mudar de casa, mas o importante é que devemos nos lembrar sempre do que o papai nos ensinou, que não importa o que aconteça devemos sempre ficarmos juntos, cuidando uns dos outros, confiando em Deus e acima de tudo com muito amor em nossos corações... _Eu dei uma pequena pausa, esperei que eles me perguntassem alguma coisa, mas eles estavam tensos demais.
_A partir de agora... nós... nós teremos que continuar nossa aventura sozinhos... seremos como os meninos perdidos, mas... mas... agora sem o nosso Peter... _Eu engoli seco, evitando chorar.
_Sem o nosso Peter? _Prince parecia não entender.
_O que houve com o papai? _Paris ficou ainda mais aflita, eu respirei fundo e sem mais rodeios disse:
_O papai se foi! Ele... ele está no céu agora!
Houve um silêncio cruel, eles olharam uns para os outros e em fim Prince perguntou:
_Meu... meu pai está morto? É isso que você está dizendo?
_Está Prince... eu sinto muito!
_É mentira! _Paris gritou. _É mentira! Meu pai não está morto! Ele disse que nunca morreria, ele disse que nunca iria embora, porque você está dizendo isso mãe? Porque?
_Calma Paris! _Eu a segurei pelo braço. _Infelizmente não é mentira, eu queria que fosse, mas o papai não vai mais voltar.
_O que aconteceu com ele mãe? _Prince ajoelhou-se em minha frente.
_Nós ainda não sabemos meu amor, o médico disse que o coração dele parou de bater e ele não conseguia respirar, você sabe, ninguém consegue sobreviver se não respirar...
_Mas eles não fizeram nada? _Ele me interrompeu.
_Os médicos fizeram tudo que podiam...
_Mas não salvaram meu pai... deixaram ele morrer...eu quero meu pai! Eu quero meu pai!
Paris estava desolada.
_Mãe, onde você estava? Porque não ajudou o papai?
_Prince eu... eu não estava no quarto quando seu pai passou mal, eu... não vi... não sei o que aconteceu...
_Mas e o Dr. Murray? Onde ele estava?
Todos que estavam em casa, nos observavam pelas portas de vidro da sala, eles estavam apreensivos, Rabbie apareceu na varanda chorando, e um a um, todos foram saindo, eles perceberam que eu estava cada vez mais coagida pelas perguntas e pelo sofrimento das crianças, eles temiam que eu desabasse bem ali na frente delas. Tito se aproximou:
_Calma crianças, tenham calma!
_Eu quero meu pai... _Paris atirou-se nos braços do tio, ele a carregou no colo.
_Eu sei meu amor! Todos nós queríamos que ele estivesse aqui agora, mas Deus achou melhor levá-lo!
_Que droga! Meu pai não podia ter morrido! Ele é o melhor pai do mundo! Ele não podia ter morrido, ele ia nos levar na turnê tio, ele era forte, não podia ter morrido assim de repente, foi o Dr. Murray, ele fez alguma coisa com meu pai, ele não cuidou dele como devia!
_Calma Prince! Não podemos colocar culpa em ninguém! _Randy também se aproximou.
Eu estava calada, acuada no cantinho da varanda, era dor demais para suportar, abaixei minha cabeça entre os joelhos e chorei dolorosamente.
_Venham, vamos entrar! _La Toya conduziu as crianças para dentro de casa.
_Venha também Lily, você precisa descansar um pouco!
_Eu vou ficar um pouco mais, preciso ficar sozinha, cuidem deles, por favor!
Todos entraram e eu fiquei ali, sozinha, chorando, pensando ainda na possibilidade daquilo tudo ter passado ao amanhecer, meus filhos estavam sentindo uma dor insuportável, eu nem sei se eles tinham real noção do que era a morte, Blanket com certeza não tinha, ele ficou assistindo a tudo com a carinha mais assustada do mundo, com a boca aberta, parecia não entender nada do que estava acontecendo, ele foi levado pelos tios, mas em algum momento, alguém deve ter se distraído, porque ele voltou e eu senti quando uma mãozinha fina passou em meu cabelo.
_Mãe, você está chorando? _Ele perguntou. Eu levantei a cabeça e ele estava com o rosto bem pertinho do meu.
_Estou meu anjinho! Eu não queria que o papai tivesse ido embora!
_Ele não vai mais voltar? Nunca mais?
_Não Blanket! Ele não vai voltar nunca mais!
_Não chore mãe, eu vou ficar no lugar dele! Eu durmo na sua cama todas as noites, eu vou cuidar de você, não vou deixá-la sozinha. _Ele passou a mãozinha em meu rosto e eu chorei e sorri ao mesmo tempo.
_Eu sei meu anjo, eu sei que você vai cuidar de mim! Vem cá dá um abraço na mamãe!
Eu abracei meu filho como se ele fosse o próprio Michael, o cabelo dele tinha cheiro de pêssego maduro, a mesma essência do shampoo do pai, eu sabia que teria que me acostumar com aquilo porque cada um dos meus filhos tinham características idênticas as de Michael, eu sabia que todas as vezes que olhasse para eles me lembraria do homem que os colocou na minha vida. Ao abraçar Blanket, eu percebi que sua calça estava molhada, ele havia feito xixi na roupa, aquele era só o começo de um trauma que certamente demoraria a passar.

292 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Qua Out 24 2012, 18:05

Miloca

avatar
Fã Veterano
Fã Veterano
gonnacry gonnacry gonnacry gonnacry gonnacry gonnacry gonnacry gonnacry gonnacry gonnacry gonnacry gonnacry gonnacry gonnacry gonnacry gonnacry gonnacry gonnacry Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad Crying or Very sad baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** baby** Por que? cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry** cry**

293 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Out 26 2012, 05:50

Isabela Nascimento

avatar
Super Fã
Super Fã
Michael vc faz muito falta em minha vida eu te amo com todo o meu coração lili me emocionei muito com este capítulo me faz reviver momentos que eu não gostaria de lembrar continua amiga não demora ok?sou muito ansiosa e quero ver o que vai acontecer no final dessa fic estava com muitas saudades que bom que vc voltou beijos i love you

294 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Out 26 2012, 11:19

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Isabela Nascimento escreveu:Michael vc faz muito falta em minha vida eu te amo com todo o meu coração lili me emocionei muito com este capítulo me faz reviver momentos que eu não gostaria de lembrar continua amiga não demora ok?sou muito ansiosa e quero ver o que vai acontecer no final dessa fic estava com muitas saudades que bom que vc voltou beijos i love you

Oi Bela, que bom que você também voltou!
Obrigado viu? desculpa por fazer vocês relembrarem disso tudo tá? Beijão
Sad

295 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Out 26 2012, 11:22

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
A noite não passava, ninguém conseguiu dormir, todos estavam preocupados com Katharine, ela parecia cacos de vidros jogados ao chão, as crianças ficaram comigo o tempo todo, passado o impacto da noticia, grudaram-se em mim como chiclé, Elas ficaram algumas vezes com os tios e avós, mas não tinham o costume de ficar sem os pais por muito tempo, e agora sem Michael, eu era a única pessoa que eles tinham.
Depois daquela noite, eu não vi mais o corpo de Michael, acho que ninguém mais da família o viu, a não ser aqueles que se diziam mais fortes. Jonh Branca ficou comigo o tempo todo, me ajudando, me dizendo palavras que me sustentavam nos momentos mais difíceis. Jana Bartolli, também veio, e ficou hospedada em um hotel na cidade para ficar perto de mim, eles foram comigo até Westland, quando precisei pegar alguns documentos, daquele dia um diante, nunca mais consegui entrar naquela casa, tudo lá lembrava Michael Jackson, os objetos de decoração, a mesa de xadrez, os manequins, o enorme pôster de “The Way You Make Me Feel” que eu tinha na cabeceira da minha cama, o cheiro dele, embora não passasse por lá há um bom tempo, ainda estava impregnado em todas as coisas, principalmente em nosso quarto.
Finalmente consegui falar com minha mãe e minha irmã, elas estavam desoladas, minha mãe queria vir para ficar comigo, mas achei melhor ela ficar, eu ainda estava em Encino, na casa dos Jackson’s e não sabia quando e nem para onde voltaria. Depois de muita conversa, eu decidi em meu coração que iria para o Brasil, era o melhor que eu tinha que fazer, eu iria pegar meus filhos e tentar viver da maneira mais normal possível, eu sabia naquele momento que o único lugar onde encontraria forças para continuar era perto da minha mãe, eu precisava dar algum sentido a minha vida, não por mim, porque minha vontade era me isolar em um lugar e ficar lá, sem comer, sem beber, sem nada até a morte decidi vir me buscar também, mas eu precisava resistir pelos meus filhos, eles tinham a vida inteira pela frente e embora muito sofridos precisavam continuar.
Todas as TVs do mundo fervilhavam com homenagens e notícias sobre Michael, todo mundo tirou das gavetas a trajetória inteira da vida do “rei do pop”, algumas pessoas ainda mantinham o mau gosto de difamá-lo, outras destilavam um amor subitamente estranho e eu ainda tinha que agüentar a insistência de jornais, revistas, emissoras de TV e muitos outros que queriam a todo custo que eu desse uma entrevista falando sobre Michael. Eu recebia convites do mundo todo, todos queriam ter a chance de ser o primeiro a entrevistar Lily Angel, a esposa discretinha de Michael Jackson, alguns dos irmãos até queriam me assessorar, mas aquilo estava fora de cogitação, eu havia passado a vida inteira sem dar uma declaração se quer sobre Michael Jackson e não seria agora que quebraria nosso pacto de silêncio, aquilo que foi justamente o que o fez ficar tão ligado a mim por todos aqueles anos.
A partir do dia sete de julho, dia da cerimônia de despedida que a AEG estrategicamente organizou, eu comecei a perceber que minha vida seria arrebatada das minhas mãos, tudo foi feito e organizado sem ao menos me perguntarem uma virgula sequer, até o lugar onde eu e as crianças sentaríamos foi determinado por eles, não era da minha vontade que Paris falasse em publico, por mim, as crianças não seriam nem filmadas, mas eu não fiz parte de nenhuma decisão. Eu sei que isso era bobagem, que mais cedo ou mais tarde meus filhos cresceriam e seria inevitável mostrá-los para o mundo, mais eu ainda guardava em mim a essência do que Michael nos passou e a idéia de ser infiel ao que ele acreditava não me fazia nenhum bem.
Depois do trágico dia 25, uma sucessão de fatos infelizes começaram a acontecer em minha vida, muita coisa me traziam a dura realidade de que eu não mais existia, infelizmente eu não tinha sido destruída apenas emocionalmente, mas minha identidade foi deletada a partir do momento em que Michael Jackson deu seu ultimo suspiro de vida.
Uma das maiores decepções no entanto foi com o próprio Michael. No dia em que foi lido o testamento, mais uma bomba foi jogada sobre mim, Michael havia deixado 80% de tudo que ele construiu ao longo de sua carreira, bem como qualquer renda futura, para Prince, Paris, Blanket, Liam, Jacey e eu, 10% seria dado a Katharine e outros 10% para instituições de caridade. Meus filhos e eu, só poderíamos tomar posse de qualquer bem quando as crianças atingissem a maior idade, mas estaríamos amparados pelos executores do espolio, que por sua vez tinha Jonh Branca como membro. Mas isso não era nenhum problema para mim, pois ao longo dos anos, Michael fez bons negócios e muitos deles estavam em meu nome, além do mais eu tinha uma grande quantia de dinheiro guardada em minhas contas particulares, também a casa de Westland estava em meu nome e eu detinha toda coleção de roupas e acessórios de Michael, com aquilo eu viveria para sempre com meus filhos sem precisar de nada nem de ninguém. Mas isso como já disse, era o mínimo, o choque maior, era o fato de que Michael deixou toda a responsabilidade da nossa família nas mãos de Katharine.
Eu não perderia a guarda das crianças, mas Katharine seria como uma espécie de “Guardiã”, assim, mesmo que eu tomasse alguma decisão, só poderia ser executada se ela permitisse, aquilo era um absurdo! Eu era a esposa legítima, embora não fosse mãe biológica de Prince e Paris, eu os tinha criado desde o primeiro dia, eu era a mãe deles e ponto.
Então ficou determinado assim, eu não contestei, não reclamei, não exigi nada de ninguém. O que eu mais queria, nunca poderia ter, e tudo que ainda restou não tinha nenhuma importância para mim, a não ser meus filhos... esses sim, eu lutaria como uma leoa para ninguém tomá-los de mim.
Ficamos morando então em Encino, na casa de Kate e Joe. Randy, Marlon e LaToya também moravam lá, bem como alguns netos, isso fazia um bem enorme para as crianças, pois os primos sempre os distraiam. A vida tinha que seguir, mas para mim, continuar estava sendo um suplício, era como se eu tivesse enormes bolas de ferro nos meus pés me impedindo de caminhar. Eu estava triste, devastada, angustiada e decepcionada, embora todos ali me tratassem muito bem, eu sentia uma certa bajulação interesseira no ar. Todo mundo dava palpites sobre como criar as crianças dali pra frente e aparentemente todos os irmãos se dividiram em dois lados, um queria preservar tudo que Michael fez conosco, o outro lado queria liberdade total para nós, e eles disputavam quem teriam o meu apoio, aquilo me fazia muito mal.
Eu queria ir para o Brasil, queria comprar uma linda casa, perto da minha família e criar meus filhos longe daquilo tudo, porém estava fragilizada demais. Resolvi esperar, eu iria agüentar aquilo tudo, mais tarde, quando estivesse me sentindo mais forte, lutaria por minha liberdade.
O que mais me machucava era quando as crianças me questionava sobre a morte repentina do seu pai, as vezes eles choravam, as vezes ficavam bravos, Paris ficou depressiva, agarrava-se a tudo que a lembrasse do seu tão amado “Peter Pan”, Prince, ao contrário, tornou-se recluso, ele que sempre foi muito falante e brincalhão, passava a maior parte do tempo calado e fugia de tudo que lembrasse o seu maior e único amigo. Blanket cumpriu a promessa, todas as noites dormia comigo, ele fazia cara de assustado toda vez que falávamos em Michael, Liam e Jacey as vezes partiam meu coração, eles choravam sem nenhuma explicação e eu tinha certeza que estavam sentindo falta do pai.
Depois de alguns dias, ficamos sabendo o que supostamente aconteceu com Michael, como eu suspeitava, ele estava recorrendo a tudo para conseguir levar aquela turnê adiante e o Dr. Murray foi a ponte que ele criou para conseguir o que queria. Muita gente que acompanhou Michael na turnê, depois de tudo, vinham até mim e diziam o que realmente estava acontecendo, eu ligava os fatos e via que para ele, continuar naquela situação não oferecia outro final senão aquele. Segundo relatos, Michael se sentia sozinho, acuado e incapaz, eu só não entendia porque... eu estava ali, sempre estive, mas o que parecia, era que ele tinha se arrependido de embarcar naquela enorme aventura e com medo de admitir que não conseguiria, acabou desistindo de tudo, até da sua vida. Mas no fundo, bem no intimo do meu coração algo não batia, embora houvesse muitas questões em jogo, tudo parecia muito pequeno diante dos filhos e do amor que ele sempre declarou sentir por mim.


CAPITULO FINAL- POR TRÁS DOS HOLOFOTES

Três meses haviam se passado e minha vida literalmente havia acabado, eu parecia uma marionete, sempre fazia tudo que as pessoas queriam. Jonh sempre esteve do meu lado, todas as vezes que pensava em desistir, ele sempre vinha com palavras que me sustentavam, Kate também confiava muito em Jonh, de modo que ele não saia da nossa casa.
Em dez de outubro de 2009, Jonh me ligou, ele disse que estava na Holanda, resolvendo assuntos profissionais e que precisava muito falar comigo, ele cogitou a possibilidade de eu ir encontrá-lo, mas eu não tinha nenhuma disposição e não queria me afastar das crianças.
_Vai ser bom pra você se distrair um pouco, Lily! _Ele disse.
_Ah não Jonh! Eu não tenho nenhuma vontade de sair, porque não conversamos quando você voltar?
_Na verdade, eu não queria conversar com você ai em Encino, eu prefiro que seja em outro lugar!
_O que é que foi Jonh? Mais problemas? Pelo amor de Deus, eu não agüento mais nem uma notícia ruim!
_Calma Lily, não é nada ruim não! Está bem, eu vou dizer o que é só pra você não ficar aflita. Michael estava pensando em refazer Neverland, como você sabe, e antes de... antes de acontecer, ele chegou a comprar uma propriedade, era pra ser uma surpresa para você, ele colocou em seu nome... mais ai... Bem, o fato é que agora isso virou um enorme elefante branco, o espolio está me cobrando uma posição e eu preciso que você veja e decida se vai continuar com o sonho dele ou se desfazer do negocio.
_Ah Jonh! Por favor, eu não quero ver nada! Não tenho estrutura pra negócios agora! Veja o que será melhor, eu confio em você!
_Eu entendo sua posição Lily, mas a propriedade está em seu nome, é preciso que assine alguns papéis! Eu te levo, você dá uma olhada e volta logo!
_Está bem Jonh! Mas já adianto que não quero dar prosseguimento em nada!
_Tudo bem! Eu chego ai amanhã a tarde e nós partimos na manhã seguinte!
_Jonh, onde fica essa propriedade?
_Ahã? Lily? Eu não estou conseguindo mais te ouvir...
_Onde fica a propriedade?
_A ligação está péssima! Te vejo amanhã!
Aquilo era a ultima coisa que eu queria, tratar de negócios não estava em meus planos. Mas como nos últimos tempos eu não tinha escolha de nada, tudo bem, eu iria resolver aquilo.
No dia seguinte Jonh chegou, e depois de instalado, saímos para jantar fora, a maioria dos Jacksons estavam em Encino e a casa estava cheia de crianças, então foi fácil meus filhos me liberarem. Jonh e eu jantamos no centro da cidade e aproveitamos para conversar.
_Como você está se sentindo Lily?
_Se eu disser que não consigo sentir nada Jonh... você acredita?
_Imagino! Que barra não é?
_Ah Jonh! Minha vida está horrível! Eu não consigo entender porque Michael tomou essa decisão de nomear Kate como guardiã da família, ela é gentil, compreensiva, mais eu não posso dar um passo Jonh, tudo tenho que pedir permissão, além do mais, eu sinto o clima pesado, alguns dos irmãos querem tirar proveito de tudo, eles só falam em dinheiro, ficam dando entrevistas, organizando tributos tudo para ganhar dinheiro, eles usam o legado de Michael como se fosse moeda de troca... aquele Joe... meu Deus, eu sabia que ele era difícil, mais agora descobri que ele é impossível... quanto interesse aquele homem trás dentro de si... ele me bajula, finge que é meu amiguinho e depois vem com umas conversas doidas, de colocar Prince, Paris e Blanket na carreira de cantores, eu não aguento mais Jonh... eu quero ir embora daquela casa! _Eu desabafei com uma enorme vontade de chorar.
_Para onde você quer ir?
_Eu quero ir para o Brasil, lá é meu lugar!
_Oh querida! Eu sei que você queria ficar perto da sua família, mas isso é impossível, pelo menos agora! Você não pode levar as crianças para longe de Katherine.
_Mas eles são meus filhos Jonh! Não é justo o que Michael fez!
_Ele deve ter tido seus motivos!
_Sabe Jonh, as vezes eu sinto raiva dele!
_Entendo! Mas ele não pediu para você confiar nele? Então, porque não acalma seu coração e deixa as coisas acontecerem?
_Acalmar como? Eu confiei em Michael a vida inteira, mesmo quando ele fazia bobagens eu confiava porque ele estava sempre ali para consertar as coisas, mas agora ele se foi Jonh! Ele não vai mais voltar para concertar nada! Ele sempre fez as coisas sem pensar, e dessa vez não deu... não deu tempo para concertos!
_Olha, eu estou revendo a questão do testamento, acho que poderemos mudar algumas coisas. Fique tranqüila, Lily, essa fase ruim vai passar!
Jonh segurou minhas mãos sobre a mesa e apertou um pouco, eu não resisti e chorei discretamente.
_Ah Jonh, ta tão difícil! Meu coração está despedaçado! Eu sinto tanta falta de Michael, eu daria tudo para tê-lo de volta. Eu me arrependo tanto de tê-lo deixado sozinho nos últimos dias, sabe... as vezes eu fico horas acordada esperando ele voltar, sempre tenho a impressão de que o telefone vai tocar e eu vou ouvir a voz dele me chamando de “Sininho”, me pedindo para ir buscá-lo... Eu nunca imaginei que ele ia me deixar tão cedo! Eu achava que cuidaria dele bem velinho, achava que estaríamos juntos no casamento dos nossos filhos, que carregaríamos nossos netos... eu... eu tenho tanta vontade de desistir... tem horas que eu queria tanto morrer...
_Psiu! Não fale assim! Você tem que ter força! Olha, vamos esquecer isso um pouco, só um pouquinho! Amanhã vamos viajar, depois de resolvermos a questão da propriedade, vou te levar para fazer umas comprinhas, você precisa voltar a ser mulher!
_Só você mesmo Jonh! Sempre do meu lado! _Eu sorri um pouco. _Onde fica essa propriedade?
_Olha, não se assuste ta? Mais nos vamos muito longe! Ele comprou essa propriedade em Nova Guiné!
_Nova Guiné??? Mas isso fica em outro continente Jonh!
_Eu sei, mas a intenção era justamente ficar longe de tudo quando a turnê acabasse!
_Michael e suas loucuras! Aposto que você concordou!
_E alguém conseguia tirar alguma coisa daquela cabeça?
Nós conversamos bastante e até consegui me distrair um pouco. Jonh pediu para que eu não contasse a ninguém para onde eu iria nem o que ia fazer, ele disse que se todos soubessem não iam me deixar em paz e com certeza iriam querer tomar parte disso também. Eu não estava tão animada, mais achava que seria bom sair daquela casa um pouco, mesmo não podendo levar as crianças comigo. Então, dei uma desculpa a todos, disse que teria que ir ao Brasil urgente para resolver assuntos de família, as crianças reclamaram um pouco, mas Tito prometeu levar todos para um passeio a Disney, então tudo ficou combinado.
Na manhã seguinte embarquei com Jonh, nós pegaríamos um avião até a Austrália e de lá, pegaríamos um jatinho até a Nova Guiné, eu estava certa de que encontraria um paraíso semi acabado, com a cara e o jeito doido de Michael Jackson, já estava me preparando para sofrer ainda mais quando visse que ele não voltaria mais para terminar o que começou, no caminho comecei a cogitar a possibilidade de levar aquele sonho adiante e cheguei a me animar um pouco, mas o que eu não sabia era que chegando lá, questões ainda maiores estariam postas na mesa, e para aquilo eu não tinha me preparado!


Segunda eu volto tá? beijos!

296 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sex Out 26 2012, 18:34

Miloca

avatar
Fã Veterano
Fã Veterano
Só segunda?! A não, continua amanhã, por favor!!!!!!!! Me diz que é o que eu tô pensando!!!!! Se for o que eu tô pensando... cry** lágrimas de emoção estão brotando. Mal vejo a hora de segunda chegar logo (ou de vc ser boazinha e postar antes Wink Razz #VaiQueCola Razz )
Ai flor, apesar de estar triste, pq seu sonho lindo está acabando, eu fico aliviada de, pelos meus pressentimentos, estar vindo uma surpresa boa por aí (espero estar pressentindo certo Wink )

I love you beijacksons e tudo de bom linda. I love you Até mais turned

297 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Sab Out 27 2012, 18:20

Isabela Nascimento

avatar
Super Fã
Super Fã
eu estou achando que vai acontecer uma coisa maravilhosa neste proximo capitulo tomara que esse meu desejo se realize beijos amiga bem que vc poderia postar hoje eu iria ficar muito felizbeijos beijos beijos beijos

298 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Seg Out 29 2012, 14:32

julyjackson

avatar
Super Fã Veterano
Super Fã Veterano
Aiwwnnnn eu me derramei agora flor... baby** isso é tão triste, algo que aconteceu de fato e não somente em sua fic....mas mesmo assim isso não tira o brilho da sua historia que acompanho desde o primeiro capitulo.


Infelizmente esse fato ocorreu na vida real, pena que não é como as fics que podemos alterar a qualquer momento não é?!


continuo vidrada, e te confesso que essa é a minha fic predileta, pelos detalhes, a forma que me amarrou ao ler, a vivacidade exatamente nos anos que vc passa em detalhes....amo, amo, e amo sua fic florzinha, pena que ela esta acabando.

Agora os parabéns eu deixo para meu ultimo comentario...ok!

temos um encontro marcado ainda hoje, taks* rsrsrrs bjs linda, fica com Deus!


lovemj lovemj mjlover. mjface.

299 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Seg Out 29 2012, 14:33

julyjackson

avatar
Super Fã Veterano
Super Fã Veterano
Aiwwnnnn eu me derramei agora flor... baby** isso é tão triste, algo que aconteceu de fato e não somente em sua fic....mas mesmo assim isso não tira o brilho da sua historia que acompanho desde o primeiro capitulo.


Infelizmente esse fato ocorreu na vida real, pena que não é como as fics que podemos alterar a qualquer momento não é?!


E tbm estou sentindo que alguma coisa boa vai acontecer.....rsrsrsr


continuo vidrada, e te confesso que essa é a minha fic predileta, pelos detalhes, a forma que me amarrou ao ler, a vivacidade exatamente nos anos que vc passa em detalhes....amo, amo, e amo sua fic florzinha, pena que ela esta acabando.

Agora os parabéns eu deixo para meu ultimo comentario...ok!

temos um encontro marcado ainda hoje, taks* rsrsrrs bjs linda, fica com Deus!


lovemj lovemj mjlover. mjface.

300 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Seg Out 29 2012, 14:43

julyjackson

avatar
Super Fã Veterano
Super Fã Veterano
julyjackson escreveu:Aiwwnnnn eu me derramei agora flor... baby** isso é tão triste, algo que aconteceu de fato e não somente em sua fic....mas mesmo assim isso não tira o brilho da sua historia que acompanho desde o primeiro capitulo.


Infelizmente esse fato ocorreu na vida real, pena que não é como as fics que podemos alterar a qualquer momento não é?!

E tbm estou sentindo que alguma coisa boa vai acontecer.....rsrsrsr


continuo vidrada, e te confesso que essa é a minha fic predileta, pelos detalhes, a forma que me amarrou ao ler, a vivacidade exatamente nos anos que vc passa em detalhes....amo, amo, e amo sua fic florzinha, pena que ela esta acabando.

Agora os parabéns eu deixo para meu ultimo comentario...ok!

temos um encontro marcado ainda hoje, taks* rsrsrrs bjs linda, fica com Deus!


lovemj lovemj mjlover. mjface.



Última edição por julyjackson em Seg Out 29 2012, 14:44, editado 1 vez(es) (Razão : duplicidade)

301 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Seg Out 29 2012, 16:52

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado
Minhas leitoras lindas, estou com um pouco de pressa hoje, mas amanhã prometo responder a cada uma com muito carinho! Obrigado por estarem comigo! Vou postar mais um pedacinho desse final que modestia a parte acho fantástico!

Beijos a todas!

302 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Seg Out 29 2012, 16:53

lili angel

avatar
Fã Dedicado
Fã Dedicado


Demoramos muito para chegar em Nova Guiné, a todo momento eu pensava por que Michael tinha escolhido um lugar tão longe para refazer sua Neverland, eu nunca tinha ido lá e não fazia idéia onde ficava. Desembarcamos no aeroporto de Mendi, e ainda enfrentamos duas horas de carro até a capital. Eu estava morrendo de cansada, tínhamos viajado a noite inteira e já eram quase cinco da tarde.

Jonh Branca me distraía durante toda a viagem e sempre que eu reclamava da distancia, ele dizia: “Calma, já estamos chegando!”. Confesso que não foi o suplicio que imaginava, até que deu para relaxar um pouco.

_Bem Lily, chegamos! Essa é a capital da Nova Guiné. _Jonh disse quando paramos em frente a um hotel.

_Até que em fim! Pensei que passaríamos outra noite na estrada! Mas, porque viemos para um hotel? Onde fica a propriedade?

_Poxa! Você está mesmo com pressa não é? Não está gostando da minha companhia?

_Desculpa Jonh, mas é que eu não quero ficar muito tempo longe das crianças e toda essa lembrança não me faz bem, quanto mais rápido resolvermos isso melhor!

_Eu sei! Mas vamos parar nesse hotel um pouco, nós descansamos e mais tarde vamos para a propriedade, ainda temos que pegar uma lancha e ir até a ilha de Manus, então achei melhor...

_Meu Deus! _Eu o interrompi. _Esse lugar é mesmo longe... Jonh, você está muito misterioso... você está aprontando alguma coisa pra mim?

_Não! _Ele sorriu. _Não estou misterioso e nem aprontando nada! Fique tranquila, nós não vamos demorar.

Por um momento eu cheguei a pensar que Jonh tinha me levado àquele lugar para tentar reacender algo que há muitos anos havia se apagado entre nós, eu já estava me arrependendo de ter aceitado ir para aquele lugar, Jonh foi um ótimo namorado e por toda vida tinha sido um grande amigo, mas eu nunca voltaria pra ele, aquela possibilidade não existia, eu tinha decidido que nunca mais ficaria com homem nenhum, as marcas que Michael havia deixado em mim, não tinha substitutas. Mesmo desconfiada, aceitei tudo numa boa, ele pediu dois quartos, menos mal, eu subi, tomei um banho e depois fomos comer alguma coisa no restaurante do próprio hotel.

_Já é noite! Nós vamos dormir aqui e amanhã bem cedo pegaremos a lancha está certo?

_Está bem! Mas... Jonh... você tem... tem alguma coisa para me dizer?

_Sobre o que?

_Não sei, estou achando isso tudo muito estranho... esse lugar no fim do mundo... essa demora!

_Não tem nada de estranho, você é que é muito desconfiada Lily!

_Sei lá! Deve ser mesmo, acho que também aprendi a desconfiar de tudo.

_Como você está se sentindo agora?

_Estou bem... na medida do possível...

_Seria tão bom se Michael estivesse aqui conosco não é?

_Seria sim Jonh... mas eu não quero falar sobre ele!

_Porque?

_É inútil querer não lembrar, mas as vezes tenho que fugir dos meus pensamentos se não vou acabar enlouquecendo.

_Lily... se... se você pudesse ter Michael de volta... o que faria?

_Que papo é esse Jonh?

_Não, é serio! E se... se a vida te desse a oportunidade de ter Michael de volta?

_Poxa Jonh, você agora foi fundo! Se eu pudesse ter Michael de volta?

_É! Digamos que vocês brigaram, ele foi embora e agora está pedindo pra voltar... você o aceitaria de volta?

_Claro Jonh! Que pergunta! Olha, vamos falar de outra coisa?

_Já pensou se ele cruzasse aquela porta e corresse para seus braços?

_Porque você está fazendo isso? Você quer saber se eu ainda amo Michael? Você não acha que é muito cedo pra esquecer?

_Não é isso... deixa pra lá1 eu estou fazendo papel de bobo não é?

_Está sim! Eu vou dormir agora! Te vejo amanhã!

_Lily, não fica brava comigo! Desculpa!

_Tudo bem! até amanhã!

Eu fui para meu quarto chateada. O que Jonh queria afinal? Porque me dizer aquelas coisas? Tudo parecia muito estranho, mas nada me tirava da cabeça que ele iria me pedir para voltar, não tinha outra explicação, eu não via a hora de ir pra casa.

Demorou mais acabei dormindo, eu estava tão cansada que apaguei e quando dei por mim, meu celular estava tocando.

_Lily, sou eu! Desculpa te acordar tão cedo, mas temos que ir, a lancha já está a nossa espera!

_Que horas são Jonh? _Eu falei bêbada de sono.

_São cinco da manhã, quanto mais rápido formos, mais rápido voltaremos!

_Tudo bem, já vou descer!

Eu já estava de mau humor, que droga, já não bastava todo aquele mistério ainda tinha que acordar as cinco da manhã? Mas pelo menos eu ia conhecer logo aquela propriedade, decidiria logo o destino dela e pronto, tudo estaria acabado.

Pegamos um táxi e fomos para o porto de Moresby, lá já havia uma lancha nós esperando. Jonh e eu não conversamos muito, ele ficava o tempo todo no celular falando baixinho e aquilo estava me irritando ainda mais. Navegamos cerca de vinte minutos e ainda de longe pude ver uma espécie de ilha, com muito verde e arvores tropicais que sobressaiam em meio a colinas rochosas, a medida que nos aproximávamos a água ficava cada vez mais cristalina, parece que Michael sabia mesmo o que estava fazendo quando escolheu aquele lugar.

Quarenta minutos depois, a lancha parou em uma praia e um barco pequeno nos levou a terra seca, não havia porto, nem ponte, nós desembarcamos diretamente na propriedade.

_Bem vinda a sua Neverland, Lily! _Jonh falou apontando para o lugar.

Aquilo era maior e mais lindo do que imaginava, não tinha nada a ver com a antiga Neverland, era um lugar quente, de sol vibrante e o cheiro que vinha do mar dava um toque de Havaí no lugar.

_É lindo Jonh! E grande também!

_Tinha que ser não é? _Ele sorriu. _Venha, eu vou te levar a casa.

Caminhamos para dentro da propriedade e bem no centro havia uma casa enorme e linda, não parecia muito que havia sido comprada há algum tempo e estava vazia, pelo contrario, estava muito bem cuidada.

Quando entrei na sala, meu coração disparou, eu senti um cheiro que conhecia muito bem, um perfume que há vinte anos tinha me hipnotizado e que estava impregnado em minha mente, fiquei calada por um momento enquanto Jonh me observava, andei um pouco, toquei em uma poltrona e fechei os olhos, eu podia imaginar naquela hora o que Michael faria daquele lugar se estivesse vivo. Uma brisa entrou por umas das janelas laterais e de olhos fechados, vi os cabelos dele agitando-se e cobrindo seu rosto pálido, minhas mãos pesaram, meus olhos inundaram, eu sabia que sentiria aquilo quando chegasse.

_Jonh, faz muito tempo que Michael esteve aqui? _Eu perguntei chorando.

_Não! Não faz muito tempo não!

_Parece doideira, mas sinto a presença dele! _Jonh não me respondeu nada. _Sinto o cheiro do seu perfume... nossa! Meu coração está quase saindo pela boca! Quando ele esteve aqui?

Jonh, colocou uma mão no queixo e outro na cintura, ele estava estranho.

_O que foi Jonh? Você também sentiu o cheiro dele?

Ele ficou me olhando e eu achei que também estava se lembrando de Michael.

_Bem, acho melhor conhecer o restante da casa, você me acompanha?

_Lily, antes eu preciso te dizer algo!

_O que foi?

Ele se aproximou, segurou minhas mãos e apertou um pouco.

_É... eu não sei como dizer... mas... bem, eu estou envolvido nisso até o pescoço, eu trabalhei para Michael a vida inteira, sempre fui fiel, sempre fiz tudo para zelar por ele, nós tínhamos quase a mesma idade, mas eu me sentia um pouco pai dele e mesmo quando você escolheu ficar com ele... mesmo assim não deixei de amá-lo, bem que tentei... mas a verdade é que sempre fiz tudo por ele e prometi que continuaria fazendo, não importa o que aconteça, eu prometi cuidar de você e dos seus filhos...

_Jonh, o que está acontecendo...

_Olha, eu... eu não tenho outra maneira para lhe dizer isso, espero que você entenda... mas é que... _Ele suspirou fundo, abaixou o tom da voz e sussurrou: _É que Michael está aqui!

Eu senti como se alguém tivesse dado um tapa em meu rosto, eu tentei puxar minhas mãos, mais ele apertou ainda mais não me deixando sair:

_Que brincadeira é essa Jonh? Não... não tem graça!

_Não é brincadeira Lily! Michael está aqui!

Quanta coisa passou na minha cabeça naquele momento, eu só podia está sonhando, não era possível! Alias aquilo não tinha nada de sonho, era um terrível pesadelo:

_Lily, olha! Tudo que aconteceu foi um plano, sua vinda aqui é parte desse plano. Michael não morreu, ele teve que sair do ar, teve que armar isso tudo para continuar vivo...

_Para Jonh! _Eu gritei. _Para pelo amor de Deus! O que você está querendo? Quer me enlouquecer é isso? Que loucura é essa? Me trazer pra esse fim de mundo, me afastar dos meus filhos pra dizer uma asneira dessa? Por que isso Jonh?

_Não é loucura Lily! Meu Deus, eu sabia que você ia pirar, calma, senta aqui, deixa eu te explicar!

_Não, eu não quero ficar calma! Eu quero ir embora agora! Eu não sei porque você está mentindo desse jeito, mas antes que eu perca a cabeça de vez, quero ir embora!

_Eu sei que é impossível acreditar, mas não estou mentindo! Michael está vivo! Tente lembrar das palavras dele, tente lembrar dos acontecimentos, ele precisou fugir, ele precisou fazer isso... e agora está precisando de você!

_Por favor Jonh! _Eu estava tremendo e chorando, minhas pernas perderam o equilibrio e eu tombei no sofá. _Por que você está fazendo isso? _Eu perguntei em prantos.

Jonh correu até mim, se ajoelhou e tocou em meu rosto:

_Nossa você está gelada! Eu sabia que seria assim, mas olha, não há como voltar! Eu preciso da sua ajuda, Michael também, desculpa se estou sendo duro, mas não há outra forma de dizer isso, você tem que aceitar, Michael está vivo sim, ele está aqui!

Nem uma mente humana seria capaz de processar aquilo! Eu sei que minha vida nunca teve nada de normal, sei que viver ao lado de Michael Jackson me fez embarcar em aventuras que nem Steven Spielberge conseguiu escrever, mas aquilo era demais, Michael não podia está vivo, eu tinha visto ele morto, eu o vi no hospital, toquei nele, falei com ele... meu Deus, dessa vez conseguiriam me enlouquecer de vez:

_Jonh, isso é um plano não é? Você está ligado aos Jackson’s e isso é um plano para me enlouquecer não é? Pode falar! Vocês querem que eu fique louca para tomarem meus filhos de vez, pode dizer Jonh! Não é isso?

_Não é nada disso! Está bem, eu sei que não vai dar pra ficar aqui só falando! Você vai falar com ele então, eu só preciso que se controle!

Eu já tinha perdido o controle há muito tempo, e só mesmo estando louca para cogitar aquela possibilidade:

_Está bem! Eu vou entrar no seu jogo então... vamos lá Jonh, onde está Michael?

Jonh segurou minha mão me ergueu do sofá e me conduziu até um corredor, eu pensava que plano doido era esse, cheguei até a pensar que estava correndo risco de vida, meu Deus se Jonh não estava mentindo porque insistia naquilo?

Chegamos em frente a uma porta que estava fechada, antes de abrir, Jonh olhou para mim, suspirou fundo outra vez e sem pensar muito, abriu a porta, meus olhos foram direto a janela que ficava bem em frente, uma silueta conhecida estava parada de costas, meu coração parou, ou melhor o mundo inteiro parou... o cheiro de pêssego maduro e perfume amadeirado ficou mais forte e mais evidente, e por mais que quisesse desviar a atenção, meus olhos não conseguiam olhar para outro lugar... corpo esguio, pernas bem posicionadas, coluna ereta, braços cruzados... calças pretas, camisa vermelha, meias brancas, chapéu de feltro... Meu Deus... é ele!

Minha boca completamente seca pronunciou o nome que não era preciso pensar para dizer, nome que falei por quase uma vida inteira, nome que por muitas vezes me fez sentir a maior e a menor mulher do mundo, nome que fluiu involuntariamente...

_Michael!!!

303 Re: [FINALIZADA] Por Trás dos Holofotes em Seg Out 29 2012, 19:14

julyjackson

avatar
Super Fã Veterano
Super Fã Veterano
AAAAHHHHHHHHHH OMG QUE DELICIA FLOR ......QUANTA EMOÇÃO, MEUS OLHOS DE ENCHERAM DE LÁGRIMA, MEU CORPO TD SE ARREPIOU....PERFEITOOOOOOOOO

BRAVO, BRAVO, BRAVO..........VC É PODEROSA GAROTA, AINNNNN COMO EU GOSTARIA QUE ISSO FOSSE VERDADE......

A SILUETA, O CHAPÉU A CALÇA PRETA, AS MEIAS BRANCAS.....E O PRINCIPALLLLL O PERFUME..... DEUS QUE SAUDADE ME BATEU AGORA.

TO ZONZA MIGA, VERDADE! E MEU CORAÇÃO SORRIU COM OQ LI, MESMO SABENDO Q ISSO NÃO É REAL......



BJS LINDA..... E PELO AMOR DE DEUS..............CONTINUAAAAAAAAAAAA mjlover.

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 12 de 13]

Ir à página : Anterior  1, 2, 3 ... , 11, 12, 13  Seguinte

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum